Novas plataformas de ensino e a importância da educação moderna

Alunos de tablets e telemóveis nas mãos? Sim e com todo o nosso apoio. Descubra novas plataformas de ensino a saiba por que são bem vindas.

Novas plataformas de ensino e a importância da educação moderna
Saiba mais sobre a importância da tecnologia na educação

O ensino mudou e, com ele, mudou a forma de educar crianças, jovens e adultos em formação. A sala de aula não basta, os livros não bastam, o educador não basta. Compreender a mudança significa estar a par de todo o conjunto de factores que contribui para o ensino moderno, atual e diferenciador, que transforma o ambiente educativo em todo o mundo – e em Portugal não poderia ser diferente.

Já parou para pensar sobre as novas plataformas de ensino da atualidade e a importância do ensino moderno? Neste artigo vamos dar a conhecer algumas ferramentas inovadoras e explicar porque contribuem para a evolução da educação.

Educação em transformação

Estudantes que bocejam durante as aulas, conversam paralelamente, estão desatentos e queixam-se de desinteresse. Parece uma quadro comum? E é. Na verdade, arriscamos dizer que os professores nunca enfrentaram tantos desafios para exercerem a profissão. Mas, então, o que pode ser feito para reverter este quadro de desânimo na educação?

Se pensarmos no dia a dia das crianças, jovens e adultos de hoje, será fácil perceber que é urgente levar a tecnologia a prestar serviço à educação. Sim, leu bem. Tablets, computadores, telemóveis, videojogos e tudo o mais que puder lembrar deve entrar em ambiente de aula para transformar a hora da lição. Nunca foi tão urgente dizer que as ferramentas tecnológicas devem fazer parte do ensino. Podem tornar a aprendizagem mais atraente e eficaz – e não é mesmo isso que queremos?

Vamos descobrir a razão para querermos mudar o ensino?

A importância da educação moderna

novas plataformas de ensino

1. O aluno enquanto ator principal na aprendizagem

Imagine: quando um aluno passa a utilizar um computador ou tablet para aprender, passa imediatamente a ser o ator principal do seu processo de aprendizagem. Com a alteração do protagonista, o professor passa a ter o papel de mediador – algo muito mais coerente no contexto da educação.

Ao assumir o comando, o aluno tem a oportunidade de experimentar novas formas de aprendizagem e encontra no professor um guia para orientar o percurso de conhecimento.

2. O aluno deve estar em contacto com a realidade

Parece imprescindível dizer que o aluno deve estar em contacto direto com a realidade à sua volta. A internet é um dos grandes abrigos de exemplos da vida real, certo? Quando um estudante faz uso da web para complementar a sua aprendizagem, acontece um importante fenómeno: há a interação entre realidade e conteúdo didático. É esta combinação que transforma o conteúdo em utilidade, fazendo com que a aprendizagem seja parte da vida quotidiana.

É assim que o aluno passa a ver que o processo e o conceito aprendido é muito mais útil para a sua vida e compreende as razões de estar a aprender determinado conteúdo. Mas, então, podemos perguntar: e o professor? A equipa que orienta a aprendizagem tem um papel fundamental e insubstituível. São os professores que vão orientar os conteúdos estudados, avaliando as fontes de informação e todo o material que é disponibilizado ao aluno.

3. Material didático tecnológico e o apelo visual

Já se sabe: o material didático tecnológico e o seu apelo visual tornam possível que o aluno absorva os conteúdos de forma mais precisa. Grande parte das pessoas beneficia da utilização de imagens e figuras para evoluir nos processos de assimilação e memorização dos conteúdos estudados.

4. A individualidade e o ritmo

Estudar com a ajuda de um computador ou tablet torna possível adequar as matérias ao ritmo do aluno, de acordo com os objetivos e necessidades de cada estudante em particular. Assim, alunos com menos tempo ou mais dificuldades cognitivas podem realizar tarefas e fazer exercícios adequados ao seu processo particular de aprendizagem, enquanto outros estudantes seguem o desafios a ritmo mais adequado individualmente.

5. Estímulo à interação

Interagir com os conteúdos é essencial ao processo de aprendizagem e nada cumpre tão bem o papel de provocar isso nos alunos como a tecnologia. Os estudantes podem realizar tarefas em grupos ou em pares, utilizando o ambiente virtual para expressar conhecimentos e partilhar opiniões. Isso motiva o educando e promove a sua participação ativa no processo educativo.

6. Alunos motivados e atentos

Hoje em dia, sem usar a tecnologia, manter a atenção de alunos por longos períodos de aulas é uma tarefa quase impossível. E não, não estamos a falar apenas das crianças e jovens. Também para os adultos, falar sobre um mesmo tópico durante 40 ou 50 minutos pode não ser a atividade mais interessante do mundo. Certo? Em contrapartida, conseguimos navegar por horas na internet – e sem dar conta do tempo a passar. A tecnologia consegue aumentar o foco e a motivação do aluno.

Conheça novas plataformas  de ensino

novas plataformas de ensino

Campus Virtual Learnnity: um exemplo nacional

Uma solução encontrada por escolas de referência é a criação de espaços virtuais próprios, dotados de todos os aspetos fundamentais ao ensino dos conteúdos previstos no programa. Um exemplo de como isto acontece na prática é o que é feito pela rede de escolas Master.D – instituição líder nacional nas formações profissionais à distância, que aposta grande parte dos esforços na utilização de ferramentas tecnológicas para enriquecer o processo de ensino. Para tornar as aulas mais contemporâneas, a Master.D dedicou-se à criação de um Campus Virtual que inclui tudo o que há de mais moderno no ensino.

O Campus Virtual da Master.D Learnnity é uma plataforma disponível através da internet para tablets, computadores e telemóveis, que orienta e acompanha os formandos durante o seguimento do seu curso, permitindo que acedam a informações e conteúdos de um modo rápido e seguro. Com um novo layout mais simples e atrativo, a nova plataforma é personalizável e conta com mais funcionalidades, como maior interatividade, mais atividades, fóruns e mais rapidez no acesso aos conteúdos didáticos.

A multiplataforma permite que a organização seja feita à medida do formando, que seja acompanhado o seu progresso e que haja uma melhor gestão da percepção temporal da formação – através, por exemplo, da maior eficácia e rapidez no feedback que alunos e equipa de orientadores podem dar às atividades.

Ainda não conhece esta nova ferramenta de ensino? Se está a pensar fazer um curso técnico ou profissional, já tem a desculpa perfeita para visitar o site da Master.D e conhecer a novidade. E, ainda que não esteja, vai gostar de conhecer o que há de novo no ensino.

Se quer motivar-se para aprender ou para ensinar, a nossa dica é uma só: conheça novas plataformas de ensino e inspire-se. Há incontáveis exemplos de portais que ajudam professores e alunos a estarem mais perto da tecnologia e a fazerem uso dela para melhorar a aprendizagem.

Veja também: