O crédito pessoal rápido e o perigo de endividamento

Há inúmeras ofertas em relação ao crédito pessoal rápido, mas de que forma é possivel resistir? Antes de considerar um crédito pessoal rápido, é importante que se informe sobre todas as soluções e que faça contas.

O crédito pessoal rápido e o perigo de endividamento
Evite que o crédito pessoal rápido leve ao endividamento
  • O excesso de oferta faz com que muitas pessoas subscrevam um crédito pessoal rápido sem pensarem em todos os pormenores

A oferta de crédito numa época de crise é uma tentação a que muitas das pessoas acabam por não resistir. Todos os dias somos bombardeados de informação sobre aquilo a que se dá o nome de crédito pessoal rápido. Seja na imprensa, na internet, via sms, entre outros meios, o crédito pessoal entra na vida do consumidor a oferecer mundos e fundos com uma rapidez e facilidade exímias.

 

De repente, é possível fazer a viagem que sempre sonhou, comprar o último modelo do computador ou tirar o curso em Londres. Mas este sonho cor-de-rosa acaba por ter um custo muito alto.

 

É certo que em aluras de algum aperto, ou pontualmente por algum motivo, as pessoas pensem em subscrever um crédito pessoal rápido, mas é preciso não cair na tentação sem reflectir verdadeiramente sobre todos os factores fundamentais:

 

- Quanto vou pagar por este crédito?

- Quais as taxas aplicadas?

- Conseguirei pagar?

- Qual o valor total do empréstimo já com os juros incluídos?

- Será que compensa?

 

Só depois de responder a estas questões, estará apto ou não a pedir um cédito pessoal rápido.

 

O problema do endividamento

O número de portugueses sobreendividados tem vindo a aumentar de forma considerável. são mais de 5000 as famílias que a deco tem ajudado ao longo dos últimos meses.

 

Se a isto juntarmos o aumento do desemprego, a crise económica e o corte nos salários e pensões, percebemos que de facto estamos perante um crescente sobreendividamento das famílias portuguesas. E se adicionarmos ainda os chamados novos pobres, ou seja aqueles que, mantendo o emprego, já não conseguem fazer face a todas as suas responsabilidades, o resultado será uma grande faixa da população com graves carências financeiras e por isso mais disponível para aceitar propostas de crédito pessoal rápido.

 

No entanto, é preciso resistir à forte abordagem que existe e perceber quais são as reais necessidades.




Veja também: