Receba no seu e-mail toda a informação sobre Investimentos e Depósitos!

Saiba primeiro as novidades na área dos Investimentos e garanta as melhores condições para os seus Depósitos.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

Enviar

O que fazer com o Subsídio de Natal?

Em tempos de crise, o subsídio de Natal deixa de ser utilizado só em prendas. Tem que sobrar algum dinheiro, pois a palavra de ordem é “poupar”. Saiba já onde aplicar o seu Subsídio de Natal!

O que fazer com o Subsídio de Natal?
O pagamento Subsídio de Natal abre a porta a investimentos e poupanças

Finalmente, chega o mês de Novembro e todos anseiam que passe rapidamente, para que chegue ao fim do mês e venha o tão desejado subsídio de Natal.

Muitas são as famílias que não sabem bem como usar este valor extra. É certo que há uns que aproveitam para comprar aquele presente mais caro ou para liquidar dívidas, mas muitos outros há que não têm bem a noção de como gastar este dinheiro e acabam por desperdiçá-lo em gastos supérfluos.

 

Sugestões sobre onde aplicar o subsídio de Natal

 

Amortizar dívida ao banco do crédito habitação

Uma vez que estamos a passar por uma crise económica, amortizar dívidas, sejam elas, de crédito habitação, automóvel, ou outros pessoais, pode ser uma boa opção para aliviar um pouco o sobreendividamento de muitas famílias. Pode ser penalizador em algumas situações, pois o banco cobra uma taxa devido a amortização antecipada. No entanto, é sempre vantajoso pois diminui o valor em dívida e acaba por compensar.
Especialmente no caso do crédito habitação, amortizar algum capital em dívida é bastante benéfico, pois permite reduzir a factura mensal e assim pagar menor valor de juros ao banco.

 

Abrir um depósito a prazo

Se não tem um crédito habitação ou não pretende amortizar a dívida por não ser uma boa altura para o fazer, devido a taxas de juro baixas, pode sempre aproveitar para poupar.
Pode optar por depósitos a prazo, que representam um produto financeiro a médio prazo, bastante simples, de fácil acesso mas com uma rendibilidade baixa.

 

Investir num plano poupança reforma

Se preferir um produto mais direccionado ao longo prazo, porque não um PPR - Plano Poupança Reforma?
Fica com um complemento à pensão da reforma da Segurança Social e ainda tem a vantagem do benefício fiscal, apesar de não tão generoso como em outros tempos.

 

O certo é que em tempos de contenção é muito importante ter produtos de poupança e independentemente da crise é sempre importante ter uma “reserva” para garantir que se consegue aguentar na eventualidade de perder os rendimentos ou até surgir alguma situação de despesas inesperadas e assim conseguir face a alguma emergência. Portanto, o subsídio de Natal é uma boa forma de iniciar essa poupança e criar o seu “pé-de-meia”.

 

Veja também: