Onde investir 1000 euros?

Não sabe onde investir aqueles 1000€ que conseguiu poupar? Saiba como rentabilizar o seu dinheiro. Siga as nossas dicas.

Onde investir 1000 euros?
Como rentabilizar as suas poupanças

"O que fazer com aqueles 1000 euros?"

Apesar da crise, muitos portugueses conseguem fazer um pequeno pé-de-meia poupando todos os meses uma parte do seu rendimento (alguns especialistas falam da necessidade de colocar de parte pelo menos 10% do seu rendimento, algo que tem sido crescentemente difícil). Não sendo fácil, tem sido possível.

É então que surge algumas questões: Devo poupar ou investir?? Devo investir ou amortizar o seu crédito?
Damos algumas dicas.


Identifique todos os seus créditos e as suas características:

O primeiro passo para definir o que fazer ao dinheiro que tem em poupança passa por identificar todos os seus créditos e as respectivas características (taxa de juro e prazo do empréstimo). Este exercício é necessário para comparar alternativas, como veremos de seguida.


Elimine as dívidas mais caras:

Antes de pensar em investir, sugerimos que foque o seu esforço na eliminação das dívidas mais caras que tem. Normalmente, estas dívidas são os cartões de crédito, a conta ordenado e alguns créditos pessoais. Facilmente perceberá que os seus custos mensais irão cair significativamente, uma vez que as taxas de juro associadas a estes créditos rondam os 20% ao ano (ou perto de 2% ao mês!).


Faça um fundo de emergência:

Depois de eliminar as suas dívidas mais caras, sugerimos que estabeleça um pequeno fundo de emergência, essencial para fazer face a imprevistos e despesas de última hora. Este fundo irá garantir-lhe algum conforto em momentos mais atribulados.


Pesquise as ofertas de poupança disponíveis no mercado:

O quarto passo consiste num estudo das ofertas de poupança disponíveis no mercado. Deverá analisar os produtos de poupança sem risco e conhecer o seu prazo e as taxas de juro que oferecem. De salientar que para poder comparar produtos tem de seleccionar produtos com as mesmas características, nomeadamente no que toca ao risco do investimento.


Só depois pense em investir:

Depois de eliminar as suas dívidas mais caras e de fazer um fundo de emergência, está em condições de definir o que fazer aos €1.000 que tem disponível. Nesta etapa, sugerimos que compare a taxa de juro dos vários produtos de poupança no mercado com as taxas de juro dos créditos que restaram. Faça a seguinte conta:

Taxa de juro da poupança *72% = Taxa de juro líquida da poupança.

Se a taxa de juro líquida da sua poupança for superior à taxa de juro dos seus créditos (por exemplo, do crédito habitação) deverá optar pela poupança. Se for inferior deverá optar por amortizar o seu crédito.

Neste ponto, sugerimos que faça uma análise crítica do seu perfil e da sua capacidade de poupar. Muitas pessoas optam pela poupança mas como são propensas ao consumo acabam por utilizar essa poupança e gastá-la em algo que não é essencial ou prioritário. Se este for o seu caso, a amortização dos seus créditos acaba por ser mais indicado.


Pense no longo prazo:

Ao olhar para o retorno das suas poupanças pode ser tentado a pensar que não vale a pena poupar ou amortizar os seus créditos. O impacto no curto prazo é residual. Sendo residual no curto prazo, o mesmo não é válido para o longo prazo. Por exemplo, €1.000 investidos a 10 anos a uma taxa de 4% transformam-se em €1.480. Imagine agora que não tinha poupado... para onde teria ido este dinheiro?


Veja também: