Orçamento Familiar: como começar

Num orçamento familiar, a classificação e o registo das despesas e receitas são fundamentais para garantir o bom uso dos recursos financeiros. Saiba como.

Orçamento Familiar: como começar
Como pode classificar as despesas e receitas

Para nos ajudar a compreender e construir o nosso orçamento familiar é importante percebermos o padrão de despesas dos portugueses, assim analisemos o seguinte gráfico:

Orçamento Familiar - Inquérito às despesas das famílias

(Fonte: INE - Orçamentos Familiares – Inquérito às despesas das famílias, ano de edição 2012)

Como podemos verificar são os encargos com a habitação, transportes e alimentação onde se despende 57% do nosso orçamento. Segundo um estudo do Observador Cetelem, a propósito do Dia do Consumidor, só cerca de 30% dos portugueses sabem exatamente quanto ganham e quanto gastam por mês. Os orçamentos reduzidos estão a exigir cada vez mais uma atenção redobrada no controlo das nossas despesas e receitas, contudo o número de pessoas que se preocupam ainda é bastante reduzido.
Devido às circunstâncias sentidas no nosso país somos obrigados a um rigoroso controlo orçamental. Sem um controlo exato e regular de cada uma das despesas, perdemos a noção dos nossos rendimentos e gastamos mais do que as nossas capacidades.


Registo das despesas e receitas!

A classificação e o registo das despesas e recitas ajudam-nos e evitar surpresas desagradáveis ao fim do mês e conseguimos definir objetivos financeiros como por exemplo realizar uma poupança mensal, poupara para uma viagem, uma moto, um carro, etc. Estas são apenas algumas das potencialidades desta boa prática, ficando a conhecendo com exatidão os nossos hábitos de consumo. Isto implica que registe e categorize todas as suas despesas e receitas.

Podemos fazê-lo de várias formas:
  • Sempre que efetue uma despesa, registe-a num papel ou no telemóvel, indicando a data do acontecimento e a sua categoria (exemplo: “ 14/10/2014 – Almoço de trabalho - 12,25 eur - Hotéis, restaurantes, cafés e similares”);
  • Utilize um caderno, uma aplicação para Smartphone ou um software de computador que ajude a registar e controlar todos os gastos;

Esta prática implica algum esforço, tempo e só resulta se houver continuidade. Porém, os resultados obtidos ao final do primeiro ano são surpreendentes para ficar a conhecer os seus hábitos de consumo e descobrir onde está a gastar demais e onde pode fazer ajustamentos. Estes resultados precisos permitem poupar recursos financeiros e ajudá-lo a dar o melhor destino ao seu dinheiro.


FIQUE ATENTO:
Se quer receber mais notícias gratuitas como esta, basta registar-se no E-Konomista. Toda a informação sobre poupança actualizada ao minuto.

Ferramentas para realizar o registo das despesas e receitas

Se não tem a noção dos seus hábitos de consumo deve começar por criar as suas categorias de receita:
  • Vencimento;
  • Trabalho pontual;
  • Juros;
  • Mais-valias;
  • Outros Rendimentos.

e de despesa:
  • Habitação, despesas com água, eletricidade, gás e outros combustíveis
  • Transportes
  • Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas
  • Hotéis, restaurantes, cafés e similares
  • Outros bens e serviços
  • Saúde
  • Lazer, distração e cultura
  • Móveis, artigos de decoração, equipamento doméstico e despesas correntes de manutenção da habitação
  • Vestuário e calçado
  • Comunicações
  • Ensino
  • Bebidas alcoólicas, tabaco e narcóticos/ estupefacientes


Atualmente existem algumas ferramentas gratuitas e/ou com custos que o podem ajudar nesta tarefa:
  • O Microsoft Office tem já alguns modelos gratuitos;
  • O Personal Finance é uma ferramenta testada e bastante intuitiva;
  • Em Portugal foi desenvolvida uma aplicação pela Boonzi que permite importar diretamente o extrato do banco para a aplicação.

Depois de ter resultados reais da sua atividade financeira, elabore o seu orçamento familiar com base no histórico e irá verificar que consegue fazer mais com o mesmo dinheiro. Comece já hoje, vai ver que resulta!

Veja também: