Ovos moles de Aveiro: história e receita

Os ovos moles de Aveiro são, de facto, uma iguaria gastronómica que não deixa ninguém indiferente. Conheça aqui a sua história e receita.

Ovos moles de Aveiro: história e receita
Um doce historicamente delicioso

Se pensou em doces tradicionais portugueses, é certo que os ovos moles de Aveiro estão na sua lista mental. Esta, que é uma das experiências doces mais tipicamente portuguesas, agrada a miúdos e graúdos. Já se sabe que os olhos enchem-se de alegria ao vê-los na montra da sua pastelaria preferida… Mas sabia que é possível fazê-los em casa?

Antes de tomar nota da nossa receita, vamos saber mais sobre a história deste doce irresistível? Conhecer mais sobre a nossa culinária é, também, conhecer mais sobre nós.

Ovos moles de Aveiro: uma história tão rica como o próprio doce

Foi a extinção das ordens religiosas, em 1834, que tornou possível que a receita ganhasse fãs por todo o país. Só aí, os ovos moles de Aveiro ultrapassaram as portas do convento e se notabilizaram por toda a região – e não só, claro.

A história do doce está ligada à introdução do açúcar na Península Ibérica, já no século VIII, pelos árabes. Embora a sua produção só tenha passado a ser uma realidade significativa mais tarde, quando, no século XV, a sua cultura foi levada pelos Portugueses à recém descoberta ilha da Madeira.

De toda a produção de açúcar, propriedade da coroa, algum era oferecido às ordens religiosas de todo o país – que o usavam, primeiramente, para fins medicinais. Em Aveiro, o Convento de Jesus – fundado por uma jovem viúva que se dedicou à vida religiosa, em 1458 – também usava o açúcar na botica (farmácia). A quinta da viúva, que deu origem ao convento, tinha uma grande produção de cereais, vinho e ovos e era isto que permitia o sustento das religiosas.

Embora não se saiba ao certo como foram confecionados os primeiros ovos moles, acredita-se que a sua origem poderá ter resultado da necessidade de preservar as gemas, uma vez que as claras tinham várias utilidades (engomar roupa, por exemplo).

Tradicionalmente, os ovos moles de Aveiro são apresentados dentro de moldes feitos de hóstia, com motivos predominantemente marítimos, como conchas, búzios ou peixes. O facto de estarem envolvidos  em hóstia parece ser mais uma das muitas evidências da ligação do doce ao clero.


Ovos Moles de Aveiro

ovos-moles-de-aveiro
Ingredientes
12 gemas
12 c. sopa de açúcar
12 c. sopa de água
4 folhas de hóstia, com moldes
2 ou 3 claras

Modo de preparação

  1. Coloque as gemas, o açúcar e a água num tacho e leve ao lume.
  2. Mexa sempre até o creme espessar e, de seguida, deixe arrefecer.
  3. Depois, verta pequenas porções do creme de ovos, já frio, em 2 folhas de hóstia.
  4. Com a ajuda de uma faca, espalhe bem o creme, de forma a preencher os espaços entre os moldes.
  5. Barre os moldes das outras folhas de hóstia e coloque-as por cima das anteriores.
  6. De seguida, recorte os moldes de hóstia já cheios.
  7. Una as bordas dos moldes com a ajuda dos dedos molhados em claras.
  8. Por fim, corte as aparas dos moldes.A riqueza deste doce é inegável, apresentando-se hoje em dia como um ícone inconfundível da cidade de Aveiro.

Veja também: