E se descobrisse que tem peças de valor em sua casa?

Tem uma peça em casa que quer vender e não sabe o seu real valor? A P55 trata de tudo. Avalia, proteje e vende a sua peça pelo melhor valor. Só tem que preencher o formulário e enviar uma fotografia da peça ou peças que quer vender. Será contactado no prazo máximo de 48 horas.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

Enviar pedido de avaliação
(*) Campo opcional

Web Summit: P55 é uma das startups convidadas

A convite da organização do Web Summit, a P55 irá integrar a fase Beta daquele que é o maior evento de inovação, tecnologia e empreendedorismo da Europa.

Web Summit: P55 é uma das startups convidadas
Representação portuense no maior evento de inovação da Europa

O convite para o Web Summit posiciona a startup portuense no mercado global dos bens de luxo em segunda mão. Se ainda havia dúvidas sobre o potencial revolucionário da P55 neste mercado, o convite que lhe foi dirigido pela organização de um evento com esta dimensão, não só dissipa qualquer dúvida, como também confirma o potencial empresarial da empresa portuguesa.


A P55 em busca da expansão no mercado global


A startup

Criada em 2012, a P55 apresenta-se ao mercado como uma loja de decoração, galeria de arte e leiloeira com presença física e online. Tendo por base um modelo de negócio em que as peças ficam à consignação, esta plataforma de bens de luxo em segunda mão destina-se a quem quiser comprar e/ou vender peças de Arte e de Decoração.

A empresa já leiloou obras de artistas nacionais e internacionais de renome, nomeadamente de Paula Rego, Júlio Resende, Joana Vasconcelos, Joan Miró, Antoni Tàpies, Andy Warhol, entre outros.

Se é certo que os leilões constituem um grande foco de visibilidade da marca, a loja física e online não lhe ficam atrás. Quer na primeira, localizada em Matosinhos, quer na plataforma online, é bem visível a qualidade e a autenticidade dos seus produtos. 
 

O web summit

Desde o momento em que o Presidente Executivo do Web Summit anunciou no Twitter que o evento teria lugar em Lisboa entre os dias 8 e 10 de Novembro deste ano, a capital portuguesa e o mundo das startup nacionais entraram em alvoroço.

Considerado um dos mais importantes eventos ao nível da inovação, tecnologia e empreendedorismo, a última edição do Web Summit, que teve lugar em Dublin-Irlanda, em 2014, gerou um volume de negócios próximo dos 100 milhões de euros para aquela capital.

Se tivermos em consideração que o evento também pretende ficar por Lisboa em 2017 e 2018 as perspectivas são auspiciosas para a economia nacional.

Na presente edição, a organização estima que o Web Summit tenha mais de 50 mil participantes, mais de 15 mil empresas, mais de 150 países presentes e 1000 investidores.

 

A participação da P55 no Web Summit

O processo de selecção das startups presentes no Web Summit processa-se da seguinte forma:
  • Após serem recebidas, as candidaturas são submetidas a um processo de selecção por parte da organização do evento;
  • As startups selecionadas são posteriormente reencaminhadas para duas categorias: Alpha ou Beta. A primeira engloba as startups que até à data da selecção angariaram um volume de investimento inferior a 500 mil euros. A segunda engloba as que angariaram um volume de investimento superior a 500 mil euros e até 3 milhões de euros;
  • Há ainda o caso das startups que são convidadas pela organização – como é o caso da P55.

A P55 no Web Summit é uma excelente oportunidade de negócio para a startup portuense. Para além do reconhecimento e credibilidade que advêm da presença numa iniciativa desta dimensão e do próprio convite – já por si merecedor desse reconhecimento -, será um momento importante para a exposição do conceito e da marca. Apesar de já exportar para países como os Estados Unidos, Inglaterra, China e Dubai espera-se que a presença da P55 no Web Summit contribua de forma decisiva para a expansão da startup portuguesa no mercado global.

Veja também: