Painéis fotovoltaicos: tudo sobre o investimento

Os painéis fotovoltaicos são um investimento sustentável e de longa duração. Conheça as suas vantagens, custos e benefícios.

Painéis fotovoltaicos: tudo sobre o investimento
Saiba como aproveitar a energia solar

Utilizados cada vez mais em residências, os painéis fotovoltaicos ainda têm o seu maior aproveitamento na produção de energia elétrica de grande escala, como em parques solares e fábricas em todo o mundo.

Com a evolução do planeta, a urgência de novas tecnologias sustentáveis, mais biológicas e menos poluentes, proporcionou a criação de painéis que utilizam luz para produzir energia ou calor.

solar

Isto porque o sol produz 4 milhões de vezes mais energia do que a população do planeta Terra consegue consumir e, atualmente, este potencial ainda é ilimitado. Em números, a energia solar que aproveitamos é apenas uma pequena parte do total.

Dito isto, fica a questão: porque os painéis fotovoltaicos são ainda tão pouco populares e utilizados? Mesmo quando a energia solar está disponível sem custos?

Vantagens e desvantagens dos painéis fotovoltaicos

Vantagens

  • São pouco poluentes. E mesmo a poluição gerada na fabricação dos componentes dos painéis fotovoltaicos é controlada.
  • Necessita de manutenção mínima.
  • A tecnologia empregada está cada vez mais potente e a tendência é que os custos de produção diminuam cada vez mais.
  • São ideais para serem utilizados em lugares remotos ou de difícil acesso, não só pela pouca necessidade de manutenção, como também por não haver a necessidade da instalação de linhas de transmissão. Ou seja: baixo custo de instalação e energia potente de qualidade.
  • Alta durabilidade: se bem conservados, os painéis fotovoltaicos podem durar mais de 30 anos.
  • Podem ser instalados em apartamentos, ainda que o edifício não possua o sistema. Para isso, é necessária a aprovação do condomínio e de que a mesma seja registada em ata.
  • Ocupa pouco espaço.
  • Tecnologia silenciosa, o que significa que o funcionamento dos painéis produz significativamente menos ruído sonoro.
  • Como a energia é renovável, o investimento financeiro é recuperado.
  • Os painéis fotovoltaicos são fáceis de adaptar e transportar caso seja necessário.
  • A instalação incorre na valorização do imóvel.
  • O proprietário de uma casa com painéis fotovoltaicos tem acesso a incentivos do Estado à utilização de energias renováveis.

Desvantagens

  • Os painéis podem ser pouco eficientes em épocas do ano com menos incidência de luz solar, como os períodos de outono e inverno.
  • Por serem dependentes da radiação solar,  torna-se necessária, por vezes, a utilização de outras fontes de energia.
  • Na totalidade, os painéis podem acabar por ficar mais caros do que o previsto caso o proprietário opte por baterias extras, que são necessárias para o autoconsumo energético no período noturno.
  • A localização da instalação deve ser bem pensada para não interferir no ecossistema em redor. Como as placas ficam muito quentes, podem afetar o habitat de plantas e animais e acabar por causar desequilíbrio ambiental.

E o que podemos saber sobre os custos e benefícios?

Atualmente, em Portugal, a legislação tem sido desenvolvida para a criação de tarifas e bónus interessantes para a compra e venda dos painéis fotovoltaicos, além de outras facilidades para quem pensa em instalar o sistema.

Os custos variam para quem deseja fazer uso dos painéis numa fábrica e quem quer usufruir deles em casa, neste caso chamado de autoconsumo.

Antes de tudo, é importante que o primeiro passo para saber se o uso do sistema trará vantagens, seja analisar o quanto a propriedade consome diariamente de energia.

contas

Na EDP, por exemplo, o preço de um painel solar fotovoltaico de 250W é de 20 euros por mês.

Se preferir comprar o sistema completo, já com os painéis, a estrutura e o inversor, o valor varia entre 400 euros e 3.000 euros. Estes valores variam também por causa da potência: 200W e 1.500W, respetivamente.

Em termos de benefícios, existem os já citados, como a recuperação do investimento. Para empresas e fábricas, a recuperação do investimento pode ser mais rápida por conta do maior gasto energético.

Contudo, ainda que o painel seja destinado ao autoconsumo, é possível vender a energia produzida à rede. Tal material é convertido em créditos de carbono e podem render perto de 4 cêntimos por kW. Para além de certificar o proprietário com o selo verde e possibilitar o direito a incentivos governamentais.

Veja também: