Parasitas intestinais: tipos e prevenção

Há dois tipos de parasitas intestinais humanos, os helmintas e os protozoários, e a prevenção é fundamental. Conheça tudo sobre este assunto aqui.

Parasitas intestinais: tipos e prevenção
Como se transmitem e quais são os parasitas intestinais

Helmintas e protozoários, assim se chamam os dois tipos de parasitas intestinais  humanos. Podemos viver com estes parasitas intestinais durante muitos anos sem sentirmos qualquer sintoma. Todavia, quando surgem, podem ser severos.

Uns mantêm-se no intestino, outros saem e ocupam os órgãos vizinhos. Por isso é tão necessária a prevenção.

Parasitas intestinais: formas de transmissão

Normalmente, quando ouvimos falar em parasitas intestinais lembramo-nos logo das lombrigas ou da “bicha-solitária” (ténia), mas existem muitos mais. Alguns parasitas são tão pequenos que só podem ser detetados ao microscópio, enquanto outros podem ter vários centímetros, que é o caso da ténia.

Adquirimos parasitas intestinais quando algum tipo de material fecal contaminado entra na boca. Isto pode acontecer através de:

  • Água contaminada ou alimentos;
  • Relações sexuais;
  • Uma atividade tão simples como mudar uma fralda.

Parasitas intestinais: os mais comuns

1. Giardia lamblia

  • Parasita microscópico que se aloja no intestino;
  • É transmitido por alimentos contaminados ou água contaminada com material fecal;
  • Provoca diarreia que, em casos mais graves, terá uma cor amarelada com espuma e mau cheiro. Neste caso surgem vómitos, flatulência e distensão abdominal.

2. Ascaris lumbricoides

  • São parasitas que podem totalizar entre 20 e 30 centímetros de comprimento;
  • Estão alojados no intestino delgado;
  • Alimentam-se de alimentos semi-digeridos pelo hospedeiro ou das células intestinais;
  • Provocam sintomas como dor abdominal, fraqueza geral, bruxismo, remoção de saliva durante o sono, inchaço e prurido, principalmente na zona do ânus, e fezes muito líquidas com muco;
  • Pode dar-se o caso de haver expulsão de algumas lombrigas pelas fezes.

3. Ténia

  • É transmitida pela ingestão de carne de porco mal cozida;
  • Liga-se ao intestino delgado através das ventosas existentes na sua cabeça;
  • No seu estágio larval pode ser direcionado para o cérebro, causando condição neurocisticercose fatal;
  • Uma ténia pode viver no hospedeiros durante anos, sem este se aperceber;
  • Provocam sintomas de fraqueza geral, palidez e diarreia com fragmentos visíveis dos parasitas.

Parasitas intestinais: formas de prevenção

  • Deve tomar um desparasitante oral pelo menos uma vez por ano. O valor do Pantelmin, por exemplo, ronda os 6 euros e é de toma única;
  • Procure manter uma boa higiene pessoal, lavando as mãos antes de preparar alimentos e manter limpa a área de preparação e utensílios;
  • As mãos devem ser bem lavados após trocar fraldas ou ir ao WC;
  • Mantenha uma dieta saudável, contribuindo para um sistema imunológico forte e para prevenir a infeção por qualquer via;
  • Opte sempre por beber água fervida ou  água engarrafada , principalmente se for viajar para países com más condições de vida;
  • Deve lavar sempre muito bem tanto os legumes como a fruta;
  • Evite andar descalço em locais públicos e em pisos molhados.

 

Veja também: