Patologias cardiorrespiratórias são o tema do maior congresso de veterinária em Portugal

XIII Congresso Hospital Veterinário Montenegro e a VII edição do Congresso Enfermagem Veterinária.

Patologias cardiorrespiratórias são o tema do maior congresso de veterinária em Portugal
Artigo de Luís Montenegro

Com 13 anos de existência, o Congresso do Hospital Veterinário Montenegro, que é já o maior evento de veterinária em Portugal e uma referência na formação em toda a Península Ibérica, acontece este ano no mês de Fevereiro subordinado ao tema das patologias cardiorrespiratórias.

As doenças cardiorrespiratórias são determinantes na vida de qualquer ser vivo e um importante tema a debater, uma vez que podem afetar animais de todas as idades. Nos mais jovens caracterizam-se, maioritariamente, por patologias hereditárias e infeciosas; naqueles com idade mais avançada, tratam-se, normalmente, de situações crónicas e oncológicas.

Apesar de, hoje em dia, os animais terem uma vida cada vez mais longa, graças à ajuda que os tutores dão no que diz respeito à deteção de pequenas alterações que anteriormente passavam, muitas vezes, despercebidas, a prevalência de doenças cardiorrespiratórias está a aumentar. No entanto, esse aumento deve-se justamente ao facto da esperança média de vida dos animais ser cada vez maior, trazendo consigo o desenvolvimento de doenças crónicas e oncológicas.

Além do aumento da esperança média de vida, o uso abusivo de inseticidas, detergentes e ambientadores que usamos em casa contribuí para um padrão de patologia respiratória cada vez mais frequente e que acaba por trazer consigo doenças cardíacas e vasculares. Por isso, aconselhamos sempre os tutores a evitar expor os seus animais a qualquer tipo de fumo ou cheiro intenso e a que, se possível, não façam limpezas na sua presença pois, tal como acontece com os humanos, há animais mais sensíveis que outros: um animal com predisposição para alergias e problemas respiratórios, como os gatos asmáticos e cães com bronquite crónica, estão mais suscetíveis a este tipo de problemas.

No caso dos gatos, estes cuidados vão ainda mais longe, já que estes são animais muito sensíveis. É, por isso, fundamental fazer uma boa seleção da areia que deve não produzir pó e/ou libertar odores e outros agentes agressivos que podem ser nefastos para a saúde do animal, podendo levar a que um gato saudável inicie um quadro respiratório que pode chegar a ser crónico, sem que nós ou os tutores nos apercebamos da causa, fazendo-se tratamentos a longo prazo que, muitas vezes, poderiam ter sido evitados com uma simples mudança de areia logo no início da vida do animal.

Contudo, e de uma forma geral, as pessoas estão cada vez mais conscientes e alertas para as necessidades dos seus animais, sejam elas de controlo médico ou não, e paralelamente, estão também melhor informados acerca da maior prevalência de certas doenças em determinadas raças. Além disso, a classe médica e de enfermagem veterinária está cada vez mais preparada para garantir o bom estado de saúde dos animais.

Assim, os cuidados com os animais estão agora totalmente ao encargo dos tutores e dos profissionais de veterinária, sendo que as autoridades competentes têm ao seu encargo o controlo de doenças infeciosas, poluição e outras situações que se enquadrem mais em termos de saúde pública.

Este congresso é, então, determinante para a área da veterinária, procurando-se todos os anos aprofundar conhecimentos sobre patologias que afetem os nossos animais de companhia, para que os participantes possam, em conjunto, rever casos e partilhar a evolução de técnicas de diagnóstico e de tratamento, contribuindo assim para a melhoria dos cuidados de saúde prestados aos animais no nosso país.

Veja também:

Luís Montenegro Luís Montenegro

Luis Montenegro é diretor clínico do Hospital Veterinário Montenegro e membro da organização do Congresso Hospital Veterinário Montenegro.