PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

Pílula do dia seguinte: todas as respostas

Para desmistificar a pílula do dia seguinte e para promover a saúde sexual da mulher aconselhamos a leitura deste artigo sobre contraceção de emergência.

Pílula do dia seguinte: todas as respostas
O que precisa de saber sobre este método contracetivo de emergência

Pílula do dia seguinte ou pílula de emergência é um contracetivo oral que só deve ser utilizado nos casos em que houve uma relação sexual não protegida, falha do método de contraceção habitual e quando se verifica um crime contra a autodeterminação sexual da mulher.
 

O que precisa de saber sobre a pílula do dia seguinte


Há dois tipos de pílulas do dia seguinte disponíveis nas farmácias portuguesas:
  • A pílula com acetato de ulisprital (30 mg) – comercializada sob o nome de “ellaOne”-, deve ser tomada até 120 horas após a relação sexual não protegida;
  • A pílula de levonorgestrel (1,5 mg) – comercializada sob os nomes de “Norlevo” e “Postinor”-, deve ser tomada até 72 horas após a relação sexual não protegida. 
Ambas as pílulas são de toma única, não precisam de prescrição médica e o seu propósito é bloquear a ovulação, evitando assim a fecundação. A taxa de eficácia da primeira é de 95% e a da segunda vai diminuindo à medida que passam as primeiras 24 horas.
 
 

Precauções

Tenha especial atenção se estiver a tomar antibióticos, anticonvulsivantes ou antiretrovíricos, pois estes medicamentos diminuem a eficácia da pílula do dia seguinte.
 
Para além disso, após a toma desta pílula, deve retomar, no primeiro dia do período menstrual seguinte, o seu método de contraceção habitual – seja ele de contracepção hormonal combinada ou de contracepção oral com progestativo, sendo que nesse intervalo de tempo deve utilizar o preservativo.
 
No caso de utilizar apenas métodos de barreira, continue a utilizá-lo em todas as relações sexuais logo após a toma da pílula do dia seguinte.
 


Vantagens

  • Previne a gravidez não planeada;
  • Não é abortiva;
  • Não afeta a fertilidade;
  • Ao contrária da pílula com acetato de ulisprital, a pílula de levonorgestrel pode ser repetida no mesmo ciclo menstrual, não tem contraindicações e só é eficaz nas primeiras 72 horas;
  • Encontra-se, atualmente, em venda livre (medicamento não sujeito a receita médica).
 


Desvantagens

  • Não previne as doenças sexualmente transmissíveis;
  • Após a toma da pílula do dia seguinte pode, eventualmente, sentir tensão mamária, tonturas, dor de cabeça e/ou abdominal, náuseas, perdas de sangue vaginal;
  • É menos eficaz na prevenção da gravidez em comparação com os métodos de contraceção de utilização regular;
  • Desregulação do ciclo menstrual.
 
 

Preços

Qualquer uma das pílulas, a de levonorgestrel e a com acetato de ulisprital, não são comparticipadas. A “Norlevo” e a “Postinor” ronda os 15€  e a “ellaOne” ronda os 24€.
 
Depois de tomar a pílula do dia seguinte fique atenta ao seu ciclo menstrual. Se num espaço máximo de 4 semanas não menstruar deve fazer um teste de gravidez e/ou consultar o seu ginecologista.

Veja também: