5 razões para apostar na gestão agrícola

O mundo nunca viu tantas formas diferentes de gerir o agronegócio. Se ainda não sabe porque deve apostar na gestão agrícola, este artigo vai mudar o seu olhar.

5 razões para apostar na gestão agrícola
Gerir, hoje é a palavra de ordem, e isso inclui o setor rural

O agronegócio é a sua área? Então, precisa de ler este artigo e, assim, entender porque deve apostar na gestão agrícola. O mundo mudou e, com ele, mudaram também as formas de ter mãos nos negócios – e isso, claro, inclui o setor rural. Aliás, no que diz respeito à propriedade rural, é essencial que exista um planeamento bem definido, pois é isto que, para além de evitar inconvenientes e contratempos, vai tornar possível projetar intervenções necessárias e evitar riscos – para, claro, gerar economia.

Mas, afinal quais são os pontos que deve ter em conta para colocar em prática uma gestão agrícola de excelência? Se quer transformar os seus esforços em bons resultados, tome nota das nossas soluções para a gestão de uma propriedade rural.

Porque deve apostar na gestão agrícola: 5 boas razões

gestor agricola

1. Porque o mercado está de olhos postos na sustentabilidade

Sim, a sustentabilidade é, hoje, um dos grandes pilares do setor agrícola e não há volta a dar: é a gestão que vai contornar e controlar todas as questões relacionadas com as muitas formas sustentáveis de implementar o seu plano de negócios.  Acredite: não há como um agronegócio sem ter, também, uma visão sustentável da produção.

Para isso, é fundamental que todo o planeamento do negócio esteja debruçado sobre diretrizes que observem e preservem a natureza, salvaguardando os seus recursos indispensáveis. Já imaginou fazer isso sem ter uma noção de gestão agrícola?

2. Porque é preciso ter um planeamento financeiro

Tudo aquilo que é implementado numa determinada propriedade rural, desde o início da produção, a experimentação de uma nova variedade e, também, a compra de produtos agrícolas, deve ser planeado com a devida antecedência e respeitando um planeamento financeiro ajustado e bem delineado.

Não interessa apenas a economia do país ou as próprias reservas financeiras do negócio, afinal, é essencial que exista um projeto pensado ao pormenor desde o início – sendo, claro, acompanhado até à etapa final de uma safra. Isso porque o investimento deve ser analisado com foco nas possibilidades financeiras a curto, médio e longo prazo.

O gestor agrícola é o profissional que dá uma atenção toda especial aos custos de investimento, aos orçamentos do empreendimento, aos prazos de pagamento e, claro, aos stocks de produtos agrícolas. Se quer evitar surpresas desagradáveis, aposte na gestão agrícola.

3. Porque o gestor agrícola monitora cada passo da produção

Não é apenas o planeamento financeiro que deve estar em destaque. Assim como a gestão do dinheiro é importante, é fundamental um bom plano para monitorar, passo a passo, a produção do agronegócio.

Um bom gestor agrícola avalia, antecipadamente, se as decisões iniciais fazem sentido e se, a curto e médio prazo, o negócio está a conseguir os resultados esperados. Caso contrário, é preciso mudar de estratégia – e este é o papel deste profissional.  Ficar de olhos postos no monitoramento e gerenciamento do agronegócio é um passo que não pode falhar.

4. Porque o papel do gestor é delegar (e bem) funções

As propriedades, com áreas pequenas, geralmente não possuem gestores distintos para cada área, e a gestão acaba por estar focada em apenas uma ou duas pessoas. Se a propriedade já possui um tamanho relativamente grande e as responsabilidades estão a aumentar, procure delegar as funções para garantir que todos os processos ocorram com eficiência. A formação de equipas com seus respectivos fiscais pode ser interessante, mas além da formação da equipa, o fundamental é acompanhar a produtividade da mesma.

5. Porque a gestão agrícola é aliada, também, da tecnologia

O mercado agrícola tem crescido a olhos vistos, mas, para que tenha uma unidade de produção entre as melhores do setor, não pode descuidar da gestão do negócio. É ela que vai criar o ponto de encontro entre as mais diversas áreas do agronegócio, e isso inclui, claro, a tecnologia.

Nenhum negócio pode dar-se ao luxo de não contar com as ferramentas tecnológicas que auxiliam na gestão agrícola, por isso mesmo, deve dar prioridade, também, à utilização de um bom software com foco na gestão integrada – ERP -, que vai tornar mais fácil o gerenciamento da propriedade rural, ajudando, claro a aumentar os lucros e a reduzir os gastos. Para além disso, um bom gestor agrícola sabe bem que um software facilita os mais diversos processos, reduz os erros de operação e proporciona uma maior economia no que diz respeito ao tempo de execução.

Onde fazer um curso de gestão agrícola?

Entendeu como é importante apostar na gestão agrícola? Se já está a pensar melhor no assunto e procura por uma sugestão de curso, chegou ao sítio certo. Nos centros formativos Master.D, a formação nesta área é destinada a todos aqueles que desejem adquirir conhecimentos de gestão, no âmbito das atividades relacionadas com a agricultura e o meio rural.

Quem deve fazer o curso de gestão agrícola?

  • Todos os profissionais da área, ou que queiram ingressar no setor, com ou sem experiência, que queiram somar ou atualizar os conhecimentos na gestão do planeamento de projetos agrícolas ou da gestão de exploração.
  • Curiosos e interessados em criar o próprio negócio na área da agricultura.
  • Agricultores que desejem aumentar as competências na área da gestão empresarial.

Porquê fazer um curso de gestão agrícola?

A resposta é simples: porque este é o exato momento em que as mais diversas áreas da agricultura se estão a revelar como uma opção atrativa e real para novos projetos. Se é um agricultor ou um jovem empreendedor, o curso de gestão agrícola é uma mais-valia que não pode deixar passar ao lado.

Saiba mais sobre esta oferta de formação da Master.D e aumente as suas oportunidades de sucesso.

Veja também: