Publicidade:

Porque ou por que: quando usar

Existem dúvidas recorrentes no que concerne o uso de porque ou por que na língua portuguesa. Conheça as regras que regem a utilização de ambos.

Porque ou por que: quando usar
Conheça as diferenças gramaticais

Saber quando usar porque ou por que é uma dúvida comum a muitos falantes da língua portuguesa. Se também se questiona várias vezes sobre a utilização de porque ou por que, então confira a informação que lhe deixamos sobre este tema.

É, na verdade, muito mais fácil de compreender do que aparenta. Verá que com a explicação que se segue deixará de fazer confusão no que concerne a utilização destas duas expressões linguísticas. Leia com atenção e tire as duas dúvidas.

Conheça as diferenças de utilização: porque ou por que?


porque ou por que

1. Quando se trata de causa por detrás de uma ação

Como advérbio interrogativo, usa-se “porque” ou a variante “porquê”. No meio de uma frase, usa-se “porque”.

Exemplos:
– Porque fizeste isso?
– Fiz isso porque me apeteceu.

2. Seguido de um nome

Usa-se “por que”, ou seja, a construção com a preposição “por” e o determinante interrogativo “que”, quando esta expressão é seguida da classe gramatical “nome”.

Exemplo:
– Não sei por que razão fizeste isso.

3. Situações em que o verbo rege a preposição “por”

Nestas situações, a interrogação aponta para um alvo ação e não para a razão ou o porquê da ação.

Exemplo:
– Por que lutas? (por qual motivo? O verbo “lutar” pede a preposição “por”)
– Por que causas sociais lutas?

Breve resumo

  • Utiliza-se “porque”, de uma maneira geral, nas frases interrogativas e, portanto, na expressão enfática “porque é que” (Exemplos: Porque foste embora cedo?; Porque é que não estudaste para o teste?).
  • Usa-se também porque nas orações causais. Nestes casos, pode ser substituído por “pois”, “dado que”; “uma vez que”; “por causa de”, entre outros. (Exemplos: Vesti o casaco porque tinha frio; O João estudou porque tinha teste no dia seguinte.).
  • A expressão “por que” (preposição por e interrogativo ou relativo que) deve ser utilizada quando pode ser substituída por “por qual”, “por quais”, “pelo qual”, “pela qual”, “pelos quais”, “pelas quais”, ou seja, normalmente seguida do nome a que se refere. (Exemplos: Por que motivo estás a chorar?; Ele sabe a decisão por que espero.).

Como pode verificar, não é assim tão difícil distinguir os diferentes usos de porque ou por que. Na verdade, as regras gramaticais que estão na base da utilização de um ou de outros são simples e fáceis de assimilar. Basta ler esta informação com alguma atenção, refletir e começar a usar de forma correta estas duas expressões.

Veja também:

Catarina Mesquita Catarina Mesquita

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Ingleses, Pós-Graduada em Linguística Portuguesa e Mestre em Estudos Portugueses Multidisciplinares, possui experiência de mais de quinze anos ao serviço da educação, da tradução e da escrita.