Como poupar na alimentação em viagem

Voos, alojamento e transportes são as maiores despesas que podemos ter em viagem. Mas existe outra também considerável que contribui para a totalidade dos gastos: a alimentação.

Como poupar na alimentação em viagem
A crónica de Luís Seco, do blog FotoViajar

É claro que, ao contrário dos outros gastos referidos, a comida constitui uma despesa que temos no dia-a-dia. Ou seja, se ficarmos em casa também temos de comer… Mas fazê-lo fora é substancialmente mais caro, pelo menos em certos países mais desenvolvidos.

Pelo contrário, em muitos países asiáticos, africanos ou sul americanos, pode ser mais barato para os portugueses comer em alguns restaurantes ou mesmo na rua do que preparar as refeições nas suas casas em Portugal.

Seja qual for o seu destino, é possível poupar bastante na comida. Não quer isto dizer que deva abdicar desta parte tão importante do que é viajar e da cultura dos países que visita. Nem pensar! Independentemente do seu orçamento, há que provar todos os pratos que lhe despertem a curiosidade e os vários sentidos. Mas há que saber escolher o momento…

Se tiver em conta as seguintes considerações, será possível poupar dinheiro para gastar noutras ocasiões ou atividades.

Como poupar em comida durante a sua viagem


No avião

Nos tempos que correm, grande parte dos voos são feitos em companhias low-cost em que tudo se paga, desde a escolha dos lugares às “taxas administrativas”, passando pela comida e bebida a bordo. Considerando que a qualidade destas últimas não será nunca extraordinária e que os seus preços costumam ser astronómicos, não existe nenhuma razão para ter esta despesa.

A solução também não está nas lojas caras dos terminais de aeroporto, já que a poupança seria pouca ou nenhuma. O melhor mesmo é trazer umas sandes de casa (ou feitas com produtos comprados no nosso destino para o regresso), maravilhosamente guarnecidas de modo a agradar ao seu próprio gosto.

Quanto a bebidas, é claro que não vai conseguir passar na segurança aeroportuária com quantidades de líquidos acima dos impostos legalmente. Mas pode sempre passar por essa segurança com uma garrafa vazia e enchê-la com bebidas das lojas perto das portas de embarque ou mesmo com água da torneira.

No carro

chocolate suica

Quer em pequenas, quer em grandes viagens de carro, uma das melhores formas de usufruir dessa liberdade é poder ser auto-suficiente e parar onde quiser para estar em contacto com a natureza deslumbrante que encontrou, em virtude de planeamento ou do acaso. Muitas dessas paragens podem e devem ser para, à beira da estrada ou num desvio, tomar a sua refeição enquanto convive e/ou fotografa o cenário.

Para ser autónomo terá de se abastecer. Uma vez que nunca pode ter certeza de onde ou quando encontrará um supermercado no percurso (e qualquer paragem atrasa a chegada ao destino final do dia), mais vale iniciar a jornada já com os mantimentos.

Compre:

  • garrafas de água de 5l
  • tantas garrafas de água mais pequenas (1,5l ou 0,5l) quantos os viajantes no carro para depois voltar a encher (em alguns países onde for seguro, basta enchê-las com água da torneira no seu hotel ou em bebedouros)
  • pão fatiado (prove vários ao longo dos vários dias)
  • fiambre, queijo fatiado, patês, etc.
  • saladas embaladas (consuma-as o quanto antes, especialmente se estiver calor, e mantenha-as frescas
  • fruta variada (atenção às quantidades para que não se estrague)
  • pequenos pacotes de leite de vaca, soja, arroz, amêndoa,… (compre-os sempre à temperatura ambiente pois aguentarão mais tempo sem se estragarem)
  • frutos secos (costumam ser caros mas são um saudável e nutritivo snack)
  • bolachas pouco calóricas para emergências
  • barritas de cereais o mais naturais possível e com poucos açúcares (se tiver uma marca favorita, também pode levar algumas embalagens na mala de viagem logo no avião).

Esta lista representa o essencial para se ir saciando durante o dia. A partir daqui, experimente alguns produtos diferentes que não costuma encontrar no local onde faz as compras habitualmente. Evite consumir muitos alimentos com açúcar ou sal em excesso.

Depois de alguns dias vão começar a afetar a sua energia e a sua saúde. Deixe sempre alguma comida de reserva para ter no quarto de hotel não vá a fome aparecer antes de se deitar ou durante a noite.

Não se esqueça também de que pode poupar no supermercado se fizer como de costume na sua própria cidade, ou seja, escolher os produtos mais em conta e os de marca branca. Não exagere nas quantidades para não desperdiçar ou ter de comer só para não se estragar apesar de lhe apetecer mesmo é provar “aquele” bolo fantástico no simpático e pitoresco café que encontrou.

Nas ruas de uma grande cidade

banca de rua

Quando visitar uma grande cidade, o ideal é encontrar um meio termo entre ter comida e bebida sempre à mão e caminhar sem grandes pesos. Visto que os lugares em que pode comprar comida serão mais do que muitos, alivie a carga e transporte apenas umas leves barritas ou uma sandes ou duas, assim como uma pequena garrafa de água para emergências.

Durante o dia, não perca muito tempo com as refeições e aproveite-o para visitar os seus lugares de eleição e ver a vida a passar nas ruas. Se não decidir comer as suas próprias sandes, perto da hora de almoço, esteja atento aos estabelecimentos onde pode tomar uma refeição ligeira.

Muitas vezes é difícil resistir a tanta oferta. As melhores opções a nível de preços costumam ser os menus ou uma sandes grande que se transforma numa gigante que pode ser partilhada gastando apenas umas quantas moedas adicionais. Outra opção sempre barata é uma pizza grande também para partilhar.

Se lhe apetecer um gelado, um bolo, um chocolate quente ou um qualquer produto local, não hesite. A viagem é para desfrutar plenamente e ceder a muitos dos seus impulsos. Evite a comida dos museus pois costuma ser cara.

mercado

Em alguns países, a comida de rua é deliciosa e faz parte da cultura. É algo a não perder, portanto. Siga as pessoas locais e faça fila atrás delas pois sabem onde estão os melhores sabores e preços. Escolha sempre comida quente para evitar ter algumas surpresas desagradáveis a nível intestinal.

Conheça a gastronomia local ao jantar. Não deixe de o fazer. Verifique os preços dos restaurantes perto do local onde se encontra na altura ou investigue previamente os que estão disponíveis perto do seu hotel.

Se tiver um orçamento mesmo apertado, ficar alojado num hostel ou num apartamento com cozinha pode significar uma enorme poupança pois poderá confecionar uma refeição de raiz ou, pelo menos, aquecer uma pré-cozinhada no forno. Se estiver a dormir num hotel com pequeno-almoço incluído, aproveite a sua primeira refeição do dia ao máximo.

Não sendo fundamentalista mas seguindo grande parte dos conselhos desta página vai permitir-lhe poupar bastante dinheiro. Para uma próxima viagem ou para gastar num restaurante fabuloso ao qual não pode nem quer resistir.

Veja também:

Luís Seco Luís Seco

Autor do blog FotoViajar e do Visit Évora, que criou com o intuito de dar a conhecer a sua cidade e a singular região do Alentejo. Embora enquanto mais jovem não tivesse o hábito viajar, hoje em dia a curiosidade de saber o que existe e como se faz noutros lugares levam-no a estar sempre a pensar em viagens. Gosta especialmente de road trips mas é igualmente fã de cidades cosmopolitas e daquelas que marcaram a História.