Praxe académica: o que pensam os estudantes

Quais são os impactos da praxe académica na vida dos jovens estudantes? Um estudo mostrou que 25% já sofreu com "brincadeiras" pesadas.

Praxe académica: o que pensam os estudantes
73% dos estudantes foi praxado

Quando o assunto é a entrada na universidade há um tema que salta logo para o debate: a praxe académica. O início da vida no ensino superior é, também, marcado pelas atividades de uma prática que, apesar de popular, é polémica.

Quando os jovens entram na faculdade, experimentam incontáveis experiências – que podem gostar, ou não. Uma delas envolve diretamente a cultura da vida de estudante e uma equipa de profissionais quis saber o que os alunos e ex-alunos acham dessas práticas.

Praxe académica: o que os estudantes acham desta prática

praxe

Uma pesquisa realizada pela Universia e a Trabalhando.com (portal brasileiro), fez uma sondagem junto dos jovens portugueses e o objetivo era um só: tentar perceber os que estes alunos e ex-alunos acham da praxe e dos efeitos desta prática na vida académica. A pesquisa foi realizada com estudantes portugueses e ibero-americanos.

Na conclusão do estudo, foi possível observar que 73% dos portugueses inquiridos foram praxados na universidade. Quando o assunto era definir os efeitos destas atividades na vida dos estudantes, foi feita uma pergunta mais delicada – e o resultado foi assustador.

Quando questionados sobre terem sofrido “alguma praxe ou brincadeira mais pesada”, 25% dos jovens portugueses que participaram responderam afirmativamente para a universidade, 17% respondeu que sofreu na escola e outros 5% admitiram ter sofrido noutros contextos sociais.

Entre aqueles que admitiram ter sofrido com a praxe, uma enorme fatia revelou que os acontecimentos tiveram consequências psicológicas e, imagine, 20% deles abandonou os estudos por este motivo.

Mais de 60% dos jovens portugueses inquiridos assinalaram outro dado alarmante: já se sentiram intimidados por um colega. Noutros países a taxa foi de 52%. Quer mais um dado para fazer soar um alerta nacional? 80% destes jovens afirmou que, diante dos acontecimentos traumáticos, nunca fez uma denúncia formal ou informal.

Instituições de ensino são permissivas com a praxe

O mesmo estudo apontou que, para 31% dos jovens portugueses que participaram na sondagem, as instituições de ensino são permissivas com o lado mais negativo da praxe.  Nesta pesquisa, participaram cerca de 2,453 jovens.

E para si? A praxe académica também somou experiências negativas?

Veja também: