Preparação para o parto: 6 informações a reter

Pequeno guia do que lembrar na preparação para o parto. Preparada? Confirme.

Preparação para o parto: 6 informações a reter
Respire fundo: cheire a flor e sopre a vela!

Pois é, se a aventura da gravidez está a chegar ao fim, aproxima-se a aventura da maternidade… E que belas aventuras são! Para ajudar a que a vivência destes momentos seja mais intensa e menos ansiosa, a informação pode ser uma boa aliada.

Por isso, principalmente numa 1.ª gravidez, a realização de um curso de preparação para o parto é uma excelente forma de saber mais, de partilhar receios com outras grávidas e de obter informações e esclarecer dúvidas com enfermeiras da área.

Há hospitais e centros de saúde que realizam estes cursos e workshops de forma gratuita e, no caso dos hospitais, há ainda aqueles que possibilitam a visita às salas de parto, recobro, local de internamento e que facilitam todo o tipo de informações sobre presença do pai do bebé ou de outra companhia para a grávida, sobre visitas e funcionamento.

A par do curso, há outras situações a contemplar na preparação para o parto. Conheça algumas delas de seguida.

Preparação para o parto: 6 aspetos a considerar

1. Fazer um curso de preparação para o parto

Aqui vai poder aprender muito sobre o antes e depois do parto; sobre tipos e sinais de parto; sobre cuidados pessoais e com o bebé (banho, amamentação, etc.); sobre técnicas de relaxamento para ajudar com as contrações; sobre o que levar para o hospital  e muito mais.

2. Preparar com antecedência a mala para levar para o hospital

Se fizer um curso de preparação para o parto vai ter acesso a uma lista do que é essencial levar para o hospital (para a mãe e o bebé). Pode,  e deve, ter a mala preparada com tempo para evitar ansiedade se tiver que “correr” para o hospital antes do tempo previsto.

gravida

3. Juntar à mala boletim da grávida e exames médicos (e medicação se se aplicar)

Antes e durante o parto, bem como no internamento, é crucial que a equipa médica conheça a grávida, os exames que realizou, se é alérgica a algo, ou se tem alguma doença que possa impedir um parto normal, por exemplo. Importa, por isso, reunir toda a informação médica e levá-la para o hospital (principalmente se o parto for feito num local diferente de onde a grávida foi seguida).

4. Estar atenta a sinais de alarme e de trabalho de parto

Alguns sinais de alarme: dores fortes, sangramento, vómitos, contrações regulares, entre outros.

Alguns sinais de trabalho de parto: contrações fortes e muito frequentes, rompimento da “bolsa de água”, etc.

gravida

5. Conhecer e treinar métodos de controlo da dor

Importa que a grávida conheça e treine métodos de controlo da dor no trabalho de parto, como o controlo da respiração, a massagem, os exercícios com a bola de pilates, bem como saiba o que é e como funciona, por exemplo, um dos métodos mais utilizados, a analgesia epidural, entre outros.

6. Saber como agir no pós-parto

Para uma melhor e mais rápida recuperação da mulher, importa que esta saiba os cuidados a ter com a higiene e tratamento pessoais, independentemente do tipo de parto.

Importa também que pai e mãe saibam assegurar as necessidades do bebé: banho, amamentação, muda de fraldas, entre outros cuidados.

Ninguém nasce ensinado e os profissionais de saúde são ajudas preciosas, quer seja nos cursos de preparação para o parto quer durante o internamento, por isso aproveite ao máximo a sua ajuda, bem como a dos que lhe são mais próximos, e confie em si e no instinto materno.

Aos poucos tudo se resolve, todos precisam de tempo para a nova aventura e tudo vai correr bem!

Veja também: