AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

5 formas de lidar com pressão psicológica no local de trabalho

Está a passar por momentos de pressão psicológica no local de trabalho? Damos-lhe dicas de como agir!

5 formas de lidar com pressão psicológica no local de trabalho
Saiba como se proteger!

Fica deprimido só de pensar que tem de ir trabalhar? Tem um chefe que o coloca “contra a parede” diariamente e que implica consigo por qualquer motivo? Sente que está mesmo a ser vítima de bulllying profissional? Temos algumas dicas para si.

Os prazos apertam, o trabalho acumula, o stress ganha níveis que pensava nem serem possíveis de atingir… Não desespere, existem algumas formas de lidar com tanta pressão psicológica e stress no trabalho!


5 conselhos para evitar a pressão psicológica no local de trabalho


1. Mentalize-se de que a pressão vai existir

Hoje em dia raro é o local de trabalho ou a profissão em que não se trabalhe sob pressão. A concorrência é imensa e o trabalho tem de ser feito para “ontem”. O primeiro passo é, então, mentalizar-se de que esta pressão vai existir.

O que pode fazer é pensar em formas de lidar melhor com ela! Inscreva-se em aulas de yoga, faça meditação, aposte na realização de cronogramas com uma série de alertas… As opções são inúmeras!

 

2. Aprenda a dizer que não

Se é verdade que a pressão psicológica no local de trabalho existe e o trabalho é bastante volumoso, não quer isto dizer que tenha de aceitar todo o trabalho até ao nível de exaustão ou de colapso nervoso. É necessário saber dizer que não, quando devidamente justificado.

Em algumas equipas, especialmente competitivas, isto torna-se ainda mais importante, para que não se caia num ritmo de competição vertiginoso e perigoso para a própria saúde dos colaboradores. Esteja alerta para o caso do seu chefe promover este tipo de atitudes e comportamentos; eles não são de todo saudáveis!

 

3. Seja transparente

Está à beira de um esgotamento? É impossível lidar com tanta pressão psicológica no local de trabalho? Expresse-se. Se achar que existe abertura por parte do seu superior hierárquico ou gestor, agende uma pequena reunião (idealmente fora do ambiente de trabalho) e mostre-lhe por A + B que é impossível lidar com a quantidade de assuntos que tem em mãos de momento.

Mas tenha atenção...confirme que, de facto, aquilo que lhe é pedido está fora das suas capacidades e não o faça só porque “está mais cansado”. Pode ser mal interpretado.

 

4. Hora de relaxar

Um dos piores hábitos de um trabalhador é o de comer em frente ao ecrãn do computador e em cinco minutos. Aproveite a hora de almoço para si! Vá às compras, faça exercício físico no ginásio ou mesmo outdoor, faça simplesmente uma caminhada, combine algo com um amigo ou familiar...vai ver que o nível de pressão psicológica na parte da tarde vai descer consideravelmente!

 

5. Reporte situações abusivas

Se se encontra numa situação de pressão psicológica realmente abusiva - chamado bullying profissional, há que reportar essa situação. O bullying tem habitualmente um antecedente conflituoso que progride primeiro com o início do conflito, seguindo-se a disseminação de rumores e provocações psicológicas e terminando com a tentativa de envolvimento de hierarquias superiores e com a classificação como pessoa difícil. Tudo isto leva, claro está, ao aparecimento de problemas psicológicos. 

Se identifica estas características na sua situação, deve reportar esta situação face aos restantes trabalhadores e deve procurar ajuda especializada, nomeadamente, o aconselhamento jurídico para saber o que pode fazer legalmente face à situação. É possível instaurar uma ação judicial contra a organização e/ou agressor com base na difamação, discriminação ou outras!

E não tenha medo de, com isto, ser despedido! Uma demissão com justa causa tem de cumprir uma série de requisitos. 

Veja também: