PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

29 pequenos passos para prevenir o cancro

Existem hábitos que pode adotar para reduzir significativamente o risco de cancro. Tome nota das nossas 29 dicas para proteger a sua saúde.

29 pequenos passos para prevenir o cancro
Cancros não se desenvolvem da noite para o dia. Previna-se.

Há, pelo menos, 29 coisas simples que pode fazer para prevenir o cancro. Sabia que as bebidas açucaradas aumentam o risco de cancro do endométrio? E que comer bananas verdes reduz o risco de cancro no cólon? E se soubesse que alimentos ricos em selénio, como a castanha, literalmente, matam as células cancerosas e ajudam a reparar o seu ADN?

Beba um copo de vinho por dia para prevenir o cancro de estômago (e também pode ser de cerveja, se preferir). Se o tomar enquanto apanha 15 minutos de sol, recebe uma dose de vitamina D e ajuda a combater a comunicação entre as células cancerosas. Há muitas formas eficazes de turbinar a sua saúde.

A ciência é clara: a saúde está ao seu alcance. Seja através das boas escolhas à mesa ou a partir de pequenos passos simples no dia a dia, a certeza é uma só: um estilo de vida saudável é o caminho para a longevidade. 

 

29 dicas para prevenir o cancro

 

1. Beba um copo de vinho ou cerveja por dia

Sim, é verdade. O álcool, em pequenas doses, protege contra a bactéria Helicobacter pylori, responsável por causar úlceras que podem levar ao cancro do estômago. Experiências promovidas pela Universidade de Queens, em Belfast, mostraram que quantidades moderadas de vinho, cerveja ou cidra podem proteger contra o H. Pylori. 

No entanto,
 nada de exageros! Beber de três a seis copos de vinho por semana é o aconselhado. Beber mais do que uma ou duas doses de bebidas alcoólicas por dia pode aumentar o risco de cancro de boca, garganta, esófago, fígado e mama.

 

2. 15 minutos de sol por dia

Sabia que quase 90% da vitamina D do seu corpo vem do sol e não de alimentos e suplementos?  Estudos publicados na plataforma online da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, têm revelado que a deficiência de vitamina D pode reduzir a comunicação entre as células, levando-as a parar de trabalhar em conjunto e permitindo que as células cancerígenas se espalhem. 

Esta importante vitamina também pode ajudar a promover a maturação de células e a sua adequada reprodução. É importante lembrar que quando isto não acontece, o processo pode levar a um crescimento do cancro. Níveis baixos de vitamina D promovem um risco mais elevado de vários cancros, como o cancro da mama, do cólon, da próstata, dos ovários e do estômago. 

É importante lembrar o valor da vitamina D para o nosso organismo mas nunca esquecer que a exposição solar excessiva pode causar o cancro da pele. Evite exageros: 15 minutos por dia são o suficiente para a sua saúde

 

3. Sente-se menos

Está na altura de mudar para uma mesa de pé. Estudos recentes apontam que as pessoas que passam a maior parte dos seus dias sentadas têm um risco 24% superior de desenvolver cancro no cólon ou no endométrio, em relação às que têm uma rotina menos sedentária.

Quando estar sentado por longos períodos quer dizer o mesmo que estar em frente à TV, o risco é ainda maior. Quem vê mais televisão tem mais 54% de risco de desenvolver cancro no cólon. Se trabalhar de pé não é uma opção para si, crie hábitos diferentes. Por exemplo, a cada hora, levante-se e mexa-se. 

 

4. Cuide da sua saúde sexual

Quanto mais parceiros sexuais tiver (especialmente sem usar preservativo), maior o risco de contrair o vírus do papiloma humano ou HPV. O vírus está associado ao cancro cervical, de garganta e pénis, vaginal e anal. A vacina contra o HPV é recomendada para ambos os sexos, entre os 11 e os 12 anos, bem como para as mulheres até aos 26 anos e homens até aos 21 anos. 

Desde a sua recomendação oficial, em 2006, houve uma redução de 56% no número de infeções por HPV entre meninas adolescentes norte-americanas, mesmo com taxas de vacinação muito baixas.
 

5. Coma castanhas

As castanhas são ricas em selénio, um mineral encontrado no solo, que convence células cancerosas a cometerem um verdadeiro suicídio e ajuda reparar o seu ADN. Uma pesquisa desenvolvida em Harvard analisou mil homens com cancro na próstata e concluiu que aqueles que apresentavam mais níveis de selénio no sangue tinham menos 48% de probabilidade de desenvolver a doença em estado avançado ao longo de treze anos. 

Durante cinco anos as Universidades de Cornell e do Arizona estudaram o assunto e comprovaram que 200 microgramas de selénio por dia (duas castanhas com casca), reduzem o risco de tumor na próstata até 63%. O superalimento reduz ainda os cancros colorretais em 58% e as neoplasias pulmonares em 46%. O resultado do consumo do selénio em doses moderadas é a redução global de 39% nas mortes por cancro. 

Uma dica: o consumo de selénio deve ser a partir de alimentos naturais e não suplementos. A ciência revela que os homens que consomem as doses a partir de suplementos têm, na realidade, um aumento no risco de desenvolver o cancro da próstata. 

  

6. Alho, um santo remédio

Por apresentar compostos de enxofre alilo, o alho pode estimular as defesas naturais do sistema imunológico contra o cancro, e pode ser um grande aliado quando o assunto é eliminar substâncias e células cancerosas, um processo que é chamado apoptose. Estudos da área da saúde realizados no estado de Iowa, nos EUA, mostraram que as mulheres que consumiram uma maior quantidade de alho reduziram o risco do cólon em até 50%.

 

7. Coma vegetais crucíferos 

Mas o que são? Qual a sua importância? O brócolo e os seus primos, como a couve-flor, o espinafre, o nabo, a rúcula, o agrião e a couve de Bruxelas são também conhecidos como vegetais crucíferos. Já foi comprovado pela ciência que estes vegetais possuem além de vitaminas, minerais e outras substâncias com propriedades anti cancro. De acordo com um estudo europeu, o consumo, se feito uma vez por semana, promove a redução do risco de cancro no rim, . 

 

8. Faça uma refeição de combate ao cancro

Refogue dois dentes de alho esmagados em duas colheres de sopa de azeite, adicione uma lata de molho de tomate com baixo teor de sódio e mexa suavemente até que a mistura esteja aquecida. Sirva este molho sobre uma chávena de massa integral. 

Assim, a refeição beneficia não apenas do alho, mas também do tomate, que contém licopeno e protege o cólon, a próstata, o pulmão e a bexiga. O azeite vai ajudar na absorção do licopeno e a massa integral vai fornecer as fibras que ajudam na prevenção do cancro no cólon.  

 

9. Coma alcachofra

Alcachofras são um poderoso antioxidante e uma grande arma na prevenção do cancro de pele. Elas são fonte de silymarin, substância detox que retarda o crescimento de células cancerígenas. Para comer e aproveitar o seu melhor: retire as folhas duras exteriores na parte inferior, corte a parte superior delas e leve ao vapor até ficarem macias. Escorra e desfrute de uma boa dose de saúde!
 

10. Coma "amidos resistentes”

Bananas verdes, aveia e feijão branco oferecem o chamado “amido resistente”, que para os grandes adeptos de uma dieta rica em carne vermelha, pode ajudar a reduzir o risco de cancro no cólon. 

Um estudo publicado na revista Cancer Prevention Research, mostrou que os participantes que comeram 300 gramas/dia de carne vermelha magra, tiveram um aumento de 30 por cento na proliferação de células no tecido retal. A experiência durou quatro semanas e foi o suficiente para comprovar o poder dos “amidos resistentes”. Após a adição de 40 gramas de amido resistente por dia, enquanto se comia a carne, os níveis de proliferação celular voltaram ao normal.
 

11. Marine a sua carne

A alta temperatura necessária para grelhar, fritar, cozer ou assar carnes, cria compostos chamados aminas heterocíclicas que estão ligados ao desenvolvimento do cancro. Estes compostos podem danificar o ADN e ser o mote para estimular o crescimento de tumores no cólon, mama, próstata e, ainda, os linfáticos. 

Comer carne bem passada, por exemplo, pode aumentar em 60% o risco de cancro no pâncreas, como mostra um estudo da Universidade de Minnesota. De acordo com uma pesquisa publicada no Journal of Agriculture and Food Chemistry, a solução para minimizar os efeitos indesejados é marinar a carne vermelha em cerveja ou vinho por duas horas. Isto, segundo as experiências, reduziu a quantidade destes compostos prejudiciais. 
 

12. Beba chá verde

Os poderes de cura do chá verde já não são segredo e têm sido valorizados na Ásia há milhares de anos. Os cientistas acreditam que um derivado químico presente no chá verde, o EGCG, poderá ser o compostos anticancro mais milagroso já descoberto. A razão estará relacionada com elevado teor de antioxidantes.

Desde 2006, já mais de 50 estudos científicos foram publicados sobre o assunto, e todos eles associam o chá à diminuição do risco de cancro. A informação é o Instituto Norte Americano do Cancro. Para os bebedores do chá verde, os benefícios incluem a prevenção dos cancros de mama, ovários, cólon, próstata e pulmão. 
 

13. Elimine as bebidas açucaradas

As bebidas açucaradas não só contribuem para o aumento de peso e diabetes, como podem aumentar o risco de cancro do endométrio. Uma pesquisa recente da Universidade de Minnesota acompanhou mulheres que consumiam grandes quantidades de bebidas carregadas de açúcar e concluiu que tinham um risco 87% maior de desenvolver cancro no endométrio. Os estudiosos atribuíram o resultado ao risco de obesidade provocado por este tipo de bebida.  
 

14. Coma salmão selvagem!

Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition chegou à conclusão que as mulheres que comem peixe três vezes por semana, ou mais, têm menos 33% de probabilidade de ter pólipos que podem transformar-se em cancro O peixe, em especial o salmão, é fonte de ácidos graxos, ómega 3 e componentes anti-inflamatórios, que são provavelmente os grandes responsáveis pelos efeitos de combate ao cancro.

Na Austrália, pesquisadores descobriram que as pessoas que comem quatro ou mais porções de peixe por semana têm quase um terço a menos de probabilidades de desenvolver  leucemia, cancros do sangue, mieloma e linfoma não-Hodgkin. Outros estudos mostram outra importante ligação para as mulheres: comer peixes gordos (salmão, cavala, linguado, sardinha e atum, bem como camarão e vieiras) reduz o risco de cancro do endométrio.

 

15. Lanche um kiwi

Um kiwi pode parecer pouco e não dizer muita coisa mas a verdade é que eles são também um superalimento no combate às doenças. O kiwi carrega um arsenal de antioxidantes, incluindo a vitamina C, vitamina E, luteína e cobre, que previnem diversos cancros.
 

16. Mantenha o seu quarto escuro

Sabia que a exposição à luz durante a noite pode aumentar o risco de cancro do ovário e da mama? Atenção, mulheres: a luz suprime a produção normal de melatonina, substância que ajuda o cérebro a regular os nossos ciclos de sono-vigília e isto pode aumentar a o risco dos cancros que se alimentam de estrogénio. 

Mais: um estudo mostrou que há maior risco de cancro da mama entre as mulheres que não dormem durante os momentos em que os seus níveis de melatonina ficam mais elevados.
 

17. Coma menos proteína animal, e passe longe do alto teor de gordura

Após rastrear as escolhas alimentares de mais de 121.000 adultos com idades até aos 28 anos, pesquisadores de Harvard concluíram que as pessoas que comem carne vermelha diariamente assumem um risco 13% maior de desenvolver doenças que levem à morte, como problemas cardíacos e cancros, se comparadas às pessoas que não incluem carne na dieta.

Um estudo da Universidade de Yale determinou que as mulheres que ingerem mais proteína animal apresentam um risco 70% maior de desenvolver linfoma não-Hodgkin. Quando a dieta é rica em gorduras saturadas, o risco sobe para 90%. Opte por proteína animal com baixo teor de gordura, como o leite desnatado, as carnes de frango ou peixe e privilegie o consumo do azeite.
 

18. O bom petisco: uvas vermelhas

As uvas são ricas em resveratrol, um poderoso antioxidante que pode retardar o crescimento do cancro nos gânglios linfáticos, estômago, seios e fígado. Em 2011, um estudo do Centro de Saúde da Universidade do Texas descobriu que o resveratrol inibe os danos à pele e, portanto, é um aliado para prevenir o cancro de pele. 

Curisiodade: a pele de todos os tipos de uva contêm resveratrol, no entanto, as uvas vermelhas e roxas têm em maior quantidade.
 

19. Descubra o poder das cebolas

Esqueça: quando o assunto é combater o surgimento de tumores, não há choro para ninguém. Especialistas em ciência alimentar afirmam que as cebolas têm importantes propriedades antioxidantes e compostos que inibem o crescimento de células alteradas ligadas ao cancro. 
 

20. Faça caminhadas diárias de 30 minutos 

Dezenas de estudos têm mostrado que as mulheres que praticam exercício físico regularmente têm um risco de 30% a 40% menor de ter cancro da mama, de acordo com o Cancer Research Center Fred Hutchinson. Isto porque a atividade física moderada reduz os níveis de estrogénio no sangue e é esta a hormona que em níveis alterados pode aumentar o risco da doença. 


Quatro horas semanais de caminhada reduz significativamente o risco de cancro no pâncreas... para metade! A razão pode estar associada à melhoria do metabolismo.
 

21. Evite produtos de limpeza a seco

Existe um produto químico que é comum em lavandarias e a sua utilização está relacionada a danos nos rins e fígado. A exposição repetida a este produto poderá causar o cancro. O seu nome é percloroetileno, ou PERC, e ele já é um problema reconhecido pela ciência.

Sugestão: procure comprar roupas que não requerem limpeza a seco. Se tiver de limpar a seco alguma peça, faça-o no exterior e reduza o risco de inalação. 
 

22. Corte o consumo de batatas fritas

Elas além de engordarem, fazem mesmo mal à sua saúde. Quando as batatas são fritas ou assadas a temperaturas elevadas produzem um composto chamado de acrilamida. O resultado das alterações químicas que ocorrem nos alimentos é o aumento da probabilidade de danificar o organismo e desenvolver um cancro. Seja responsável na escolha e opte por substituir a bata frita pelo puré de batatas, por exemplo.



23. Sessões de jet bronze? Pare já!

Já se sabe que longos períodos de exposição ao sol aumentam o risco de cancro da pele mas o jet-bronze também é um perigo real. A técnica de bronzear com spray não está livre de riscos, uma vez que um dos seus ingredientes ativos é a di-hidroxiacetona química (DHA). Os riscos da sua inalação são ainda desconhecidos pela ciência mas já se sabe que em grande quantidade, esta substância pode levar o organismo a criar mais radicais livres. Os radicais livres têm sido associados a danos celulares e ao risco de cancro. 
  

24. Beba leite

Pesquisas atuais demonstram que o cálcio pode proteger contra cancro no cólon. Durante o estudo, os participantes que consumiram mais de 700mg de cálcio/dia apresentaram um risco 45% menor de desenvolver a doença. E qual quantidade é necessária de leite por dia?

  • Uma chávena de iogurte desnatado ao pequeno-almoço
  • Uma chávena de leite com baixo teor de gordura ao lanche
  • Uma chávena de espinafre ao jantar


25. Apaixone-se por comer chucrute 

Na Finlândia, um estudo descobriu que o processo de fermentação envolvido na confeção do  chucrute produz vários compostos que combatem o cancro, incluindo isotiocianatos (ou TIC ), indoles e sulforafano. Para reduzir o teor de sódio e tornar o alimento mais saudável, deve lavar os enlatados antes de comer. Experimente ignorar carnes processadas, como as salsichas uma vez que estão associadas a um maior risco de cancro do cólon.

 

26. Evite conservas e fumados

Conservas e alimentos fumados contêm várias substâncias que podem provocar tumores. Escolha pepinos em vez de picles, salmão fresco em vez de salmão defumado ou sardinhas frescas em vez de sardinhas enlatadas.. 

 

27. Cuidado com as lâmpadas de secagem nos espaços de estética

Embora seja um risco incrivelmente baixo para a maior parte das mulheres, as lâmpadas de secagem ultravioleta usadas por quem faz as unhas em salões de beleza, carregam um risco aumentado de cancro da pele. Qualquer pessoa que tenha utilizado as lâmpadas de secagem entre oito e 208 vezes, terá danificado as células da pele e isto será o suficiente para elevar o risco de cancro. De acordo com estudos, oito a 14 visitas ao longo de 24 a 42 meses, é o suficiente para alterar o ADN. 


Sugestão: aplique protetor solar antes ir à manicure, ou deixe as suas unhas secarem naturalmente.
 

28. Brócolos a vapor

Já não é segredo: o brócolo é um superalimento no combate e prevenção do cancro e deve fazer parte do seu regime alimentar. O que se sabe agora, de acordo com o Guia de Saúde da Família, desenvolvido em Harvard, é que a melhor forma de ingerir o vegetal é se ele for preparado ao vapor. Para os especialistas em nutrição, esta é a forma de manter a maioria dos seus nutrientes e garantir todo o seu potencial para a sua saúde. Por isso, já sabe: nada de cozer, grelhar ou cozinhar no micro-ondas. 



29. As vantagens de uma aspirina por dia

Se o seu médico recomenda a toma de uma aspirina por dia e diz que isto ajuda o seu coração, saiba que também pode proteger o seu corpo contra um cancro. O National Cancer Institute dos EUA descobriu, através de estudos, que as mulheres que ingeriram aspirina regularmente tiveram um risco 20% inferior de assustar-se com um cancro de ovário. 

Mas atenção: não tome aspirina diariamente sem a aprovação do seu médico, já que pode causar uma hemorragia no aparelho digestivo. 
 
Veja também: