Problemas digestivos: causas, sintomas e tratamento

Sofrer de problemas digestivos é algo muito comum e pode ser bastante incomodativo e prejudicial à saúde. Saiba o que fazer para evitar a má digestão.

Problemas digestivos: causas, sintomas e tratamento
Alguns hábitos quotidianos podem estar a causar-lhe uma má digestão

A maioria das pessoas já sofreu de problemas digestivos pelo menos uma vez na vida, que acabaram por se manifestar através de gases, azia, sonolência ou sensação de estômago pesado.

Apesar desta perturbação das funções digestivas ser muito comum em indivíduos com doenças crónicas, como a doença do refluxo gastroesofágico, também pode afetar qualquer pessoa que tenha comido em grandes quantidades ou não tenha tido cuidado com a alimentação.

Maus hábitos alimentares, desequilíbrios emocionais, comer muito rápido, usar cintos apertados e fumar são também algumas das causas que levam à má digestão. Para evitar este problema, terá de colocar alguns hábitos de parte.

11 hábitos que podem causar problemas digestivos


1. Várias horas em jejum

Quando uma pessoa fica muito tempo sem comer, o ácido gástrico produzido pelo estômago pode acumular-se, o que irrita o esófago e causa a azia.

O recomendado é comer de três em três horas, para que o sistema digestivo consiga manter o bom funcionamento ao não haver sobrecarga da produção de ácido gástrico.

2. Comer muito rápido

Somos ensinados desde muito novos que não devemos comer rápido. Quando não se mastiga bem os alimentos não se dá tempo ao organismo de libertar uma enzima que facilita o processo de digestão, ao torná-lo mais rápido para evitar o sobrecarregamento do estômago.

O aconselhável é que cada refeição tenha a duração de 20 minutos, no mínimo. Se demorar menos tempo do que isso não irá ter a sensação de saciedade, o que fará com que tenha vontade de ingerir mais alimentos. Isso dificultará a digestão e causará o refluxo gastroesofágico.

habitos que causam ma digestao

3. Alimentação rica em fibras

Comer muita carne vermelha e alimentos ricos em gorduras como manteiga e requeijão, além de outros alimentos também muito ricos em fibras, como vegetais verdes, feijão e ovos, faz com que o estômago tenha um processo de digestão mais demorado, o que causa geralmente azia, arrotos frequentes e gases.

Para evitar problemas digestivos, deve comer alimentos de fácil digestão como sumos de frutas, gelatina, biscoitos sem recheio e pão, pois estes não irritam o estômago. Não opte por alimentos industrializados e processados, que costumam ser ricos em gordura e conservantes que irritam o intestino.

Se tiver a sensação de peso no estômago, um sintoma que pode dever-se à falta de suco gástrico e que torna a digestão mais lenta, coma ou beba o sumo natural de ananás, abacaxi ou papaia, pois atuam de forma semelhante à das enzimas existentes no suco gástrico e pancreático, o que ajuda na digestão.

4. Ingerir muitos líquidos durante a refeição

Não se deve beber em demasia enquanto se come, pois fará com que o estômago encha mais e demore assim a fazer a digestão, o que poderá causar uma sensação de mal-estar, como a azia.

Se beber um copo de água ou de sumo até 150 ml, por exemplo, esta quantidade não irá interferir muito na digestão. Mas cuidado com os refrigerantes, que causam a dilatação do estômago e levam a uma maior ingestão de comida, o que irá prejudicar o processo digestivo.

5. Falar durante a refeição

Existem alguns hábitos que são culpados pelos problemas digestivos, entre eles o de falar enquanto se come. Esta atitude pode aumentar a ingestão de ar durante a refeição, o que causa problemas relacionados com gases.

6. Respirar pela boca

Há quem costume respirar pela boca e não pelo nariz. Principalmente quem sofre de alergias respiratórias, devido às narinas entupidas. No entanto, é mau ter esse hábito enquanto se come, pois acaba por entrar mais ar no estômago, o que causa gases.

Sorver alimentos ou beber pela palhinha é igualmente um mau hábito, uma vez que este também traz mais ar para dentro do corpo e pode causar má digestão, o que trará como consequência refluxo ou azia.

7. Sesta após as refeições

Fazer uma sesta após as refeições pode ser benéfico para a digestão devido ao repouso. No entanto, a cabeça deve ficar ligeiramente inclinada para cima para ajudar na descida dos alimentos. Se o indivíduo ficar totalmente deitado, pode afetar a digestão e favorecer o aparecimento do refluxo.

Não se deve dormir mais do que apenas alguns minutos depois das refeições, pois entrar em sono profundo torna o metabolismo lento, o que atrasa o processo de digestão.

8. Boca seca

Sentir água na boca pode não significar apenas fome e sim que a saliva se encontra em ação. Ou seja, além da mesma ser muito importante no processo digestivo, pois é quem o inicia ao libertar as primeiras enzimas que ajudam na trituração dos alimentos, também ajuda a eliminar as bactérias da cavidade bucal, o que previne contra cáries e outras doenças.

Por isso, quem tem a boca seca pode estar com problemas no processo digestivo, uma vez que a saliva não é suficiente. Isso pode dever-se à menopausa, ao tabagismo, ao elevado consumo de álcool e ao uso de determinados medicamentos, como analgésicos, descongestionantes, diuréticos, anti-histamínicos e outros remédios para a pressão alta e depressão.

Doenças como diabetes, HIV e Parkinson também afetam as glândulas salivares, o que causa secura na boca. Beber muita água, evitar bebidas com cafeína, mascar pastilhas sem açúcar ou mastigar gomas podem ajudar a evitar a boca seca.

alcool

9. Álcool e tabaco

Quando ingerimos uma bebida alcoólica, a substância da mesma é absorvida pelo sistema gastrointestinal e causa irritação nas mucosas do esófago e do estômago, além de alterar as membranas do intestino e prejudicar assim a absorção de nutrientes. Esofagite, gastrite ou diarreia podem ser as consequências desta ação.

No caso do tabaco, apesar deste afetar principalmente os pulmões, também pode interferir na digestão devido à nicotina. Quando a mesma entra na corrente sanguínea vai para o sistema digestivo e acaba por diminuir a contração do estômago, o que dificulta a digestão e pode causar azia.

O paladar também é alterado pelo tabaco, que causa a produção de ácido clorídrico feita pelo estômago e facilita a infeção das bactérias Helicobacter pylori, causadoras da úlcera gástrica.

10. Cintos apertados

Usar cintos apertados ou até mesmo roupas, como saias ou calças com elásticos apertados, aperta o estômago e faz com que a comida e os ácidos gástricos regressem ao esófago.

Uma vez que o estômago tem de ter espaço para dilatar após as refeições devido à produção desses ácidos gástricos, não devem ser usados cintos e roupas que dificultem esse processo. Caso contrário, os mesmos irão causar refluxo e azia. A obesidade também pode contribuir para este problema, pois aumenta a pressão no estômago.

11. Fazer exercício físico após as refeições

Quando praticamos exercício, são os músculos que necessitam de maior fluxo sanguíneo e não os órgãos relacionados com a digestão. Deve assim fazer uma digestão completa da refeição, o que demora cerca de duas horas, antes de começar a fazer exercício.

Caso não o faça, essa atividade não será bem executada nem nenhuma outra, pois enquanto se faz a digestão o fluxo sanguíneo diminui atém mesmo no cérebro. É por isso que sentimos preguiça, cansaço e dificuldade em nos concentrarmos após as refeições. Espere 15 minutos antes de voltar a estudar, trabalhar ou praticar outra atividade em que seja necessária concentração.

Sintomas e tratamentos para problemas digestivos


dores de estomago

Sintomas de problemas digestivos

  • Arrotos frequentes;
  • Azia e sensação de ardor;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Gases;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Dores de barriga;
  • Enjoos ou vómitos;
  • Cansaço;
  • Perda de peso sem razão aparente;
  • Sensação de estômago cheio durante a digestão, mesmo se tiver comido pouco.

Dicas para evitar problemas digestivos

  • Comer de três em três horas;
  • Comer devagar (refeições com cerca de 20 minutos);
  • Beber água ou sumo até 150 ml;
  • Evitar refrigerantes e álcool;
  • Não sorver os alimentos;
  • Não falar durante a refeição;
  • Respirar pelo nariz enquanto come;
  • Fazer uma sesta curta após as refeições;
  • Não fumar;
  • Não usar roupa e cintos apertados;
  • Fazer exercício físico cerca de 2 horas após as refeições.

Casos em que se deve ir ao médico

nutricionista

A maioria dos problemas digestivos não passa de um incómodo passageiro, mas se estes acontecerem diariamente ou se ocorrerem mais de oito vezes por mês, deve consultar um médico, para que lhe possam ser receitados medicamentos para melhorar a digestão e sejam feitos exames como a endoscopia, uma forma de identificar a causa do problema.

A má digestão pode ter como consequência uma menor absorção de nutrientes no intestino, o que causa problemas de saúde como o aumento do risco de anemia e de falta de vitaminas.

Deve também ir rapidamente ao médico caso ocorram sintomas mais graves, como sangue nas fezes, fezes muito escuras e com mau cheiro ou vómito com sangue.

O repouso é importante durante o tratamento que o médico indicar, pois o doente deve evitar o stress, as tensões e o cansaço.

Plantas medicinais que podem ajudar nos problemas digestivos

cha de hortela

Em casos menos graves de digestão, algumas plantas medicinais podem ser usadas em infusões para atenuarem os sintomas causados por este problema.

Carqueja: a carqueja contribui para uma boa digestão ao estimular a produção de suco gástrico, além de ser muito eficaz no combate à azia e gastrite.

Boldo: o uso destas folhas no chá, que deve estar frio, alivia as cólicas intestinais ao regular os movimentos involuntários de alguns órgãos, entre eles o esófago e o intestino.

Hortelã pimenta: quando tiver a sensação de enfartamento, causada por excessos e erros alimentares, deve optar pelo chá de hortelã pimenta para facilitar a digestão e diminuir a sensação de mal estar.

Camomila: o chá de camomila é igualmente eficaz no combate à sensação de enfartamento, e alivia os sintomas de vómitos e enjoos.

Erva cidreira: os vómitos e enjoos podem ser também atenuados pelas propriedades da erva cidreira.

Alcachofra: esta planta aumenta a secreção da bílis, o que facilita a digestão de alimentos ricos em gorduras.

Dente de leão: esta planta medicinal é benéfica pois estimula as secreções de todas as glândulas digestivas.

Batata doce: o sumo da batata doce crua, que é considerada uma planta, pode prevenir e tratar problemas de estômago como úlceras e gastrite, além de aliviar a acidez gástrica.

Losna: as folhas desta planta ajudam a limpar o estômago e a regular o seu funcionamento.

Vernonia condensata: as folhas de Vernonia condensata têm propriedades medicinais muito parecidas às da Carqueja, que também ajuda na digestão.

Cordia verbenacea: esta erva pode prevenir o surgimento de úlceras gástricas, além de regenerar a mucosa estomacal.

Kalanchoe brasiliensis: o sumo destas folhas é anti-inflamatório e cicatrizante em lesões estomacais. No entanto, o seu consumo é proibido no caso de pessoas que sofrem de hipotireoidismo.

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.