11 produtos de limpeza que nunca deve misturar

Os produtos de limpeza que todos temos em casa são, sem dúvida, uma grande ajuda na hora de pôr tudo a brilhar. No entanto, quando mal conjugados podem ser perigosos.

11 produtos de limpeza que nunca deve misturar
Há produtos de limpeza que simplesmente não vão bem juntos

Quando o assunto são produtos de limpeza há muito por onde escolher. E na hora de limpar, quem nunca deu por si a misturar vários produtos para tentar limpar algumas sujidades mais difíceis? Antes de repetir a “façanha” é melhor pensar duas vezes.

Há produtos de limpeza que não se devem misturar, porque quando combinados podem dar origem a uma combinação perigosa. Isto porque a mistura de certos produtos pode libertar gases ou provocar reações químicas nafastas.

O site Good Housekeeping deu o alerta para esta questão e até deixou algumas dicas para ter em conta da próxima vez que estiver quase a misturar alguns produtos de limpeza.
 

Produtos de limpeza que não se devem misturar


Limpa canos diferentes

Tem os canos entupidos e pensou em misturar dois ou mais tipos de limpa canos diferentes. Podem até ter a mesma finalidade, mas as suas composições podem ser diferentes. Se misturados, as suas fórmulas químicas (por natureza fortes) podem dar origem a reações químicas perigosas.

Aliás, segundo os especialistas do Good Housekeeping não deve sequer usar dois tipos de produtos para desentupir canos seguidos. Se o primeiro não funcionar, o melhor mesmo é chamar o canalizador para resolver o problema.



Bicarbonato de sódio e vinagre

Estes dois produtos aparecem frequentemente nas pesquisas online sobre dicas de limpeza e DIY (Do It Yourself). E ainda que sejam muito úteis para limpar todo o tipo de superfícies e sujidades diversas, é uma mistura que não deve fazer.

Quimicamente falando, o bicarbonato de sódio é uma substância básica, enquanto o vinagre é uma substância ácida. Quando misturados, obtém-se principalmente água (em grande parte) e acetato de sódio. Mais, o vinagre faz com que o bicarbonato de sódio liberte espuma e, se armazenada num recipiente fechado, a mistura pode causar uma explosão.
 


Água oxigenada e vinagre

Dizem os especialistas que não deve misturar água oxigenada e vinagre no mesmo recipiente. Se misturados os dois produtos dão origem a ácido peracético, um composto potencialmente tóxico e que pode provocar irritações na pele, olhos e sistema respiratório.

Quanto muito, e porque os dois são ótimos desinfetantes, pode pulverizar as superfícies a limpar alternadamente com estes dois produtos, limpando entre cada um deles.
 


Lixívia e vinagre

Esta é a primeira de três misturas com lixívia que não deve fazer. Pode até parecer-lhe um poderoso desinfetante, mas na realidade misturá-los não é boa ideia. Juntos dão origem a produção de gás cloro, que mesmo em pequenas quantidades, pode provocar tosse, ardor nos olhos ou problemas respiratórios.
 


Lixívia e amoníaco

É outra das misturas de produtos de limpeza que não deve fazer. Misturados produzem cloramina, um gás tóxico que pode causar tosse, ardor nos olhos ou problemas respiratórios e ainda falta de ar e dores no peito.



Lixívia e álcool etílico

Mais uma mistura a evitar. A lixivia e o álcool etílico, quando misturados, produzem clorofórmio (já deve ter ouvido falar deste composto químico, quanto mais não seja nos filmes, nas cenas de rapto em que os raptores usam para deixar as vitimas inconscientes). A mistura pode não provocar a perda dos sentidos ou pode não o fazer desmaiar, mas é tóxica e irritativa, logo os efeitos não serão agradáveis.  

Regra básica a cumprir: lixivia só com água.

Veja também: