Próstata inflamada: como prevenir e atenuar os sintomas

A causa mais comum da próstata inflamada, também conhecida como prostatite, está relacionada com a propagação de uma infeção urinária. Saiba como tratá-la.

Próstata inflamada: como prevenir e atenuar os sintomas
Esta patologia pode ser um problema de saúde agudo ou crónico

A próstata inflamada, doença cujo termo clínico utilizado é prostatite, pode ser um problema de saúde agudo ou crónico, dependendo do tempo de evolução dessa mesma inflamação na próstata – uma glândula que faz parte do aparelho reprodutor masculino e que contribui para a formação de testosterona e do esperma.

A doença costuma considerar-se aguda se os sintomas durarem menos de duas semanas, e crónica se os mesmos durarem mais de três meses. Em alguns casos, a próstata inflamada crónica pode derivar de uma próstata inflamada aguda.

Este problema de saúde surge, geralmente, depois dos 50 anos, e as consequências a ele associados aumentam com a idade.

Próstata inflamada: causas, sintomas e tratamento


Prostatite aguda

A prostatite aguda ocorre quando existe uma inflamação repentina na próstata, que se encontra geralmente relacionada com uma infeção aguda.

Febre e aumento do volume e da temperatura da próstata são alguns dos primeiros sintomas, que podem evoluir mais tarde para a formação de abcessos na próstata e retenção urinária aguda.

Prostatite crónica

A inflamação da próstata em estado crónico está relacionada com um aumento do número das células inflamatórias no tecido prostático e pode estar associada, ou não, à presença de bactérias ou outros microoganismos.

A prostatite crónica pode resultar de episódios de prostatite aguda infecciosa que não foram corretamente tratados, ou por fenómenos inflamatórios locais, que são de origem desconhecida na maioria dos casos.

O trauma local repetitivo presente em algumas atividades como o ciclismo, andar de mota ou a cavalo pode dar origem a estes fenómenos inflamatórios crónicos da próstata, independentes de processos infeciosos.

prostata inflamada

Causas da próstata inflamada

Esta patologia costuma ser causada por bactérias, mas também existe a possibilidade de surgir devido a fungos, vírus e a uns microorganismos chamados protozoários.

A doença pode ainda ocorrer devido ao aumento da próstata, ao uso de um instrumento médico como um catéter urinário, a uma deficiência da atividade antibacteriana da secreção prostática, ou à falta de anticorpos locais e sistémicos.

No entanto, o fator mais comum está relacionado com a propagação de uma infeção urinária com origem na uretra ou na bexiga, que é depois transmitida à próstata, causando assim uma infeção nessa parte do órgão genital masculino. Essas infeções são, geralmente, provocadas pelas bactérias Escherichia coli, Pseudomonas, Klebsiela e Proteus, que vão desde a bexiga ou da uretra até à próstata.

Esta doença é benigna e relativamente comum em indivíduos que têm problemas de próstata prévios, como a hiperplasia benigna da próstata.

Quando se encontra na fase aguda, a referida infeção pode causar a inflamação da próstata, e até mesmo originar constantes infeções urinárias e retenção urinária aguda, que consiste numa incapacidade súbita para urinar.

A existência de infeções urinárias e retenções urinárias frequentes, além do uso da sonda uso de sonda vesical, aumentam a probabilidade de vir a desenvolver uma prostatite bacteriana.

Os jovens costumam sofrer de uma prostatite que tem uma microbiologia diferente dos idosos, uma vez que é mais comum as prostatites serem causadas por agentes infeciosos sexualmente transmissíveis, como os da clamídia, trichomonas vaginalis e neisseria gonorrhoeae.

infeção urinária

Sintomas

Os sintomas da próstata inflamada variam consoante o doente e também o tipo de prostatite. Há casos em que esta patologia não transmite quaisquer sinais, recebendo o nome de prostatite assintomática. O diagnóstico tem de ser obtido através da realização de uma biópsia da próstata.

Mas, na maioria dos casos, estes são os sintomas relatados pelos doentes:

  • Febre;
  • Calafrios;
  • Dificuldade e dor a urinar;
  • Dificuldade em esvaziar totalmente a bexiga;
  • Urina turva ou com mau cheiro;
  • Dor hipogástrica, perineal ou pélvica;
  • Dor nas costas, principalmente na região lombar;
  • Dor intensa à palpação do escroto;
  • Mal-estar geral.

Nos casos em que esta doença é crónica, os sintomas costumam ser mais leves e manifestam-se desta forma:

  • Necessidade urgente de urinar várias vezes durante o dia;
  • Dificuldade em esvaziar totalmente a bexiga;
  • Desconforto ou dor a urinar, ejacular ou defecar;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Necessidade de se levantar durante a noite para urinar;
  • Sensação de peso sobre a região púbica;
  • Desconforto pélvico e perineal;
  • Alterações do intestino, períneo, região supra-púbica ou escroto;
  • Aumento do número de micções ao longo do dia;
  • Possibilidade de surgir sangue na urina.

Consequências da próstata inflamada

As complicações mais graves desta patologia no estado agudo são a sépsis, a retenção urinária aguda e a formação de abcessos prostáticos.

Nesses casos pode ser necessário o internamento hospitalar, a drenagem do abcesso ou a introdução temporária de uma sonda vesical com o objetivo de facilitar a saída da urina.

A próstata inflamada pode levar ainda ao desenvolvimento de infertilidade nos homens, um fenómeno que pode ser secundário à lesão local das vias ejaculatórias ou à transmissão da infeção aos testículos ou ao epidídimo, que armazena os espermatozóides produzidos pelo testículo.

Infeção urinária da próstata inflamada pode ser transmissível

Apesar da próstata inflamada não ser uma doença transmissível de pessoa para pessoa, a infeção urinária causada por esta patologia pode ser contagiosa.

Esse contágio pode ocorrer durante as relações sexuais se um dos elementos estiver contaminado com um agente sexualmente transmissível, como a clamídia, a trichomonas vaginalis e neisseria gonorrhoeae.

Diagnóstico da próstata inflamada

Um diagnóstico correto deve ser feito pelo médico urologista e incluir um exame físico completo, como o toque retal, com o objetivo de descartar outras doenças que possam provocar os mesmos sintomas, existentes também no cancro da próstata e na hiperplasia benigna da próstata.

No entanto, o cancro da próstata e a hiperplasia benigna da próstata são doenças que costumam surgir em pessoas mais velhas, sendo a próstata inflamada a que mais ocorre em jovens.

Existem outros exames que ajudam a chegar a um diagnóstico e a planear assim o tratamento, como a recolha e análise microbiológica da urina, que deve ser feita antes e após a massagem prostática, ou recolha e análise microbiológica do esperma.

A massagem prostática e a manipulação prostática com sonda ecográfica endorectal são evitadas na prostatite aguda, devido ao risco de libertação massiva de microorganismos para a corrente sanguínea, o que poderá dar origem a uma infeção generalizada, ao qual se dá o nome de sépsis.

A ecografia (TC) ou a tomografia computorizada (TAC) são indicadas nos casos em que seja necessário caracterizar melhor a próstata, como nas prostatites crónicas ou quando existe a suspeita de abcessos prostáticos.

Tratamento da próstata inflamada

O tratamento e a duração do mesmo variam consoante o tipo da doença e a presença ou ausência de infeção. Quando existe uma infeção, costumam ser usados medicamentos para combater o problema. Os analgésicos e anti-inflamatórios também podem ser indicados para o alívio da dor e do desconforto causados por esta patologia.

A próstata inflamada costuma ter cura na maioria dos casos quando é aguda, podendo o tratamento ser realizado através da antibioterapia dirigida. Noutros casos pode ser necessário um tratamento cirúrgico, como no da drenagem cirúrgica de um abcesso prostático.

No entanto, há a possibilidade da cura não ser definitiva, uma vez que existe o risco do reaparecimento da doença, o que acontece principalmente quando as restantes situações que predispõem o aparecimento das infeções urinárias não são tratadas.

O tratamento da doença em estado crónico é mais difícil por englobar várias terapêuticas, que são dirigidas aos sintomas e à diminuição do grau de inflamação da próstata, mas que geralmente não curam o doente.

4 dicas caseiras que ajudam a melhorar a próstata inflamada


1. Beber muita água

beber agua

Além de tomar a medicação prescrita pelo médico, o doente deve ingerir muita água, sendo dois litros por dia a quantidade mínima recomendada. Esta medida é muito importante, pois contribui para a cura e previne as prostatites infeciosas (profilaxia), uma vez que urinar com frequência ajuda o corpo a eliminar as bactérias da bexiga.

2. Usar água quente para aliviar a dor

Os indivíduos que sofrem da síndrome de dor pélvica crónica ou prostatite crónica não bacteriana devem sentar-se no bidé, com água quente, durante 15 a 20 minutos, para haver um relaxamento da musculatura pélvica e uma diminuição das queixas de desconforto ou dor pélvica.

Outra solução é tomarem um banho de imersão de água quente, que cubra o ventre, e permanecerem sentados na banheira durante cerca de 20 minutos. O calor irá aliviar a inflamação, a dor e a dificuldade em urinar.

3. Alimentação cuidada

alimentação saudável

Alguns doentes com síndrome de dor pélvica crónica afirmam que existem certos cuidados na alimentação que podem ajudar a melhorar os sintomas, como evitar a ingestão de alimentos que só os pioram, por exemplo, o café, bebidas com gás, álcool, citrinos e picante.

O doente deve ainda consumir alimentos ricos em fibra e também em vitamina E, que tem propriedades anti-inflamatórias e ajuda, assim, a prevenir a inflamação da próstata. Esta vitamina, existente nas verduras de folha verde, nos frutos secos e nos legumes, possui ainda propriedades que combatem cancros, como o da próstata.

O alho é um das melhores opções naturais para combater as bactérias e reduzir as inflamações, o que irá beneficiar a próstata inflamada de origem bacteriana. O recomendado é estar em jejum antes de comer todas as manhãs um alho cru. Para quem não gosta do sabor deste tempero, pode comprá-lo em forma de cápsulas sem odor.

4. Chá de dente de leão

O dente de leão é uma das plantas medicinais ideais para tratar a próstata inflamada, graças à sua capacidade de purificação, diurética e anti-inflamatória. O recomendado é beber três chávenas de chá por dia durante um mês.

Esta infusão não deve ser consumida durante mais de dois meses, pois pode prejudicar a saúde do estômago, e é contraindicada nos seguintes casos:

  • Pacientes com pedras na vesícula biliar ou nos rins;
  • Indivíduos que sofrem de gastrite, azia ou úlceras no estômago, uma vez que o sabor deste chá é muito amargo;
  • Indivíduos que estejam a tomar antibióticos, diuréticos ou que realizem tratamentos para aumentar o nível de potássio, pois esta infusão pode interferir nesses tratamentos.

No entanto, o resultado das dicas acima enumeradas varia de pessoa para pessoa, e ainda não há certezas sobre a sua eficácia em todos os doentes.

Para prevenir a próstata inflamada, o ideal é evitar infeções urinárias e conseguir esvaziar totalmente a bexiga, além de reforçar a hidratação oral e as micções regulares.

Usar preservativo durante as relações sexuais ajuda também a evitar o contágio deste problema de saúde, pois essa possibilidade existe se um dos elementos estiver contaminado com alguma doença sexualmente transmissível, como já referimos.

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.