Os 5 quadros mais caros da história

Descubra alguns dos quadros que fizeram história em vendas privadas, atingindo valores absolutamente extraordinários.

Os 5 quadros mais caros da história
300 milhões de dólares por um único quadro

As obras de arte mais reconhecidas e valiosas do mundo encontram-se nos principais museus da Europa e dos Estados Unidos da América, que raramente as colocam à venda. No entanto, nas raras ocasiões em que se organizam vendas privadas ou leilões, quadros de determinados pintores podem atingir valores incríveis e, por vezes, inimagináveis. Neste artigo, fique a conhecer os 5 quadros mais caros da história.


Quadro mais caros da história: Top 5

 

1. Interchange, de Willem de Kooning (1955)

quadro A obra que atualmente detém o recorde do quadro mais caro na história pertence ao pintor de expressionismo abstrato Willem de Kooning. Ficou concluída em 1955 e foi vendida em setembro de 2015, pela Fundação David Geffen. Kenneth C. Griffin comprou-a pela quantia de 300 milhões de dólares. No entanto, é possível observar o quadro ao vivo, que se encontra por empréstimo no Instituto de Arte de Chicago.
 


2. Quando te casas?, de Paul Gauguin (1892)

gauguin Este quadro, que ficou concluído em 1892, pertence a Paul Gauguin — um pintor francês do pós-impressionismo. Esteve emprestado ao Kunstmuseum, em Basel, na Suíça, durante quase meio século, até que foi vendido em fevereiro de 2015, por cerca de 300 milhões de dólares, à semelhança do quadro de Willem de Kooning.
 


3. Os jogadores de cartas, de Paul Cézanne (1892/93)

cezanne Outro pintor francês do pós-impressionismo, Paul Cézanne, pintou esta série de cinco quadros já no período final da sua vida. As diversas versões variam em tamanho, no número de jogadores e no ambiente em que decorre o jogo. Uma das versões dos jogadores de cartas foi vendida à família real do Catar, em 2011, por um valor estimado entre 250 e 300 milhões de dólares.
 


4. Número 17A, de Jackson Pollock (1948)

pollock Conhecido pelas suas técnicas de pintura únicas, o americano Jackson Pollock contribuiu intensamente para o movimento do expressionismo abstrato. Em 1948, pintou este quadro, num período da sua carreira que inclui as suas obras de arte mais famosas. Foi vendido em 2015 por 200 milhões de dólares, pela Fundação David Geffen, ao mesmo comprador do quadro mais caro do mundo, Kenneth C. Griffin — um dos compradores de arte mais ativos do mundo.
 


5. Número 6 (Violeta, verde e vermelho), de Mark Rothko (1951)

Mais um artista do expressionismo abstrato (embora ele tenha recusado esse rótulo) com um quadro na lista dos mais caros da história. Mark Rothko concluiu esta obra em 1951 que, à semelhança de outros quadros da sua autoria, integra grandes manchas de cor, delineadas por tons nem sempre regulares. O quadro foi vendido em 2014 por 186 milhões de dólares, a Dmitry Rybolovlev, numa venda privada.

Veja também: