Quanto custa ter um filho no ensino superior?

A planear a entrada de um filho na universidade? Então vai querer tomar nota dos nossos números e descobrir quanto custa ter um filho no ensino superior.

Quanto custa ter um filho no ensino superior?
Propinas, alojamento, alimentação e transporte: quanto custa?

Enganam-se aqueles que pensam que os bebés representam gastos exagerados. Os mais experientes sabem bem que quanto mais os filhos crescem, mais encargos financeiros podem trazer. Prova disso é a ida para a universidade que, em muitos casos, pode tornar-se uma verdadeira dor de cabeça. Sim, ter um filho no ensino superior custa alguns milhares de euros. Mas quantos? Temos a resposta para si. Fique atento.

Saiba quanto custa ter um filho no ensino superior

quanto cusa ter um filho no ensino superior

A resposta é simples e direta: ter um filho no ensino superior custa, em média, 6 mil euros. Sim, leu bem. Quer saber como o Instituto de Educação da Universidade de Lisboa chegou a esta conclusão? Não se surpreenda se dissermos que quase 75% deste montante é destinado – apenas – às despesas com alojamento, transporte e alimentação.

O estudo é recente e analisa os gastos dos estudantes do ensino superior público e privado. Com o nome “CESTES 2”, a investigação dá conta dos números atuais, fazendo a comparação com dados de anos anteriores. O resultado é uma ligeira descida nos custos diretos de quem frequenta a universidade – uma tendência observada, também, a nível internacional.

Já custa menos ter um filho na universidade (mas não muito)

De acordo com a investigação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, o índice que mede a despesa anual de um aluno que frequenta a universidade desceu 3%, em comparação com os números de 2011. No entanto, os custos com alojamento, refeições e transportes aumentaram, ainda que ligeiramente. A subida foi avaliada em 0,8%.

A redução de custos foi o grande destaque do estudo realizado pela Universidade de Lisboa, que concluiu o trabalho com mais alguns dados importantes: as despesas diminuíram, especialmente, para os alunos que frequentam o ensino superior privado e aumentaram as quantias associadas ao custo de vida dos alunos que frequentam o politécnico.

Numa entrevista à RTP, a investigadora responsável pelo trabalho, Luísa Cerdeira, salientou que, no ensino superior público, a redução de despesas com a educação foi de 6%.

Afinal, quanto custa frequentar no ensino superior?

“Os estudantes e as suas famílias em Portugal têm uma participação muito significativa. É importante conhecer estes custos. Nos últimos 5 anos, surpreendentemente, diminuíram os custos 3%. Em média, estudar no ensino superior representa 6455 euros por ano. Sobretudo, são os custos de vida – alojamento e habitação – que têm a fatia maior”, revelou Luísa Cerdeira ao canal público.

Para chegar aos números finais, o estudo do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa avaliou o perfil e as despesas dos estudantes que frequentaram o ensino superior português entre os anos 2015 e 2016.

Esta segunda edição do trabalho teve o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e a equipa de investigação foi composta por nomes como Belmiro Cabrito, Tomás Patrocínio, Rui Brites, Marta Manso, Lourdes Machado, Ana Paula Curado e Catarina Doutor.

Agora que já sabe quanto custa ter um filho no ensino superior, está na altura de tomar nota das despesas, pegar na calculadora e fazer contas. Crie estratégias de poupança e converse com o seu filho sobre o assunto. Afinal, educação financeira é, também, uma prioridade.

Entretanto, lembre-se: entre os dias 10 de julho e 10 de agosto decorrem as candidaturas ao ensino superior. Aí em casa, fique atento e boa sorte!