Que tipos de crédito existem? 7 que deve conhecer

No momento em que se pondera um pedido de empréstimo, é necessário saber que tipos de crédito existem, pois estes diferem quanto à finalidade.

Que tipos de crédito existem? 7 que deve conhecer
Tome nota das várias alternativas à disposição

Antes de se tomar uma decisão sobre empréstimos, é necessário averiguar que tipos de crédito existem e quais os que melhor se aplicam em cada contexto.

Não obstante, importa, em primeiro lugar, definir o conceito de crédito. Este consiste na cedência de liquidez a um terceiro, permitindo-lhe realizar determinado ato de consumo ou investimento que, de outra forma, teria mais dificuldade em fazer, na expectativa de haver posteriormente reembolso do montante emprestado acrescido de um preço pela utilização do capital alheio – o juro.

O crédito desempenha um papel essencial no paradigma económico atual, uma vez que permite a realização de investimentos e de consumos que, em condições normais, não se realizariam. Não é estranho, portanto, que uma das principais preocupações da Política Monetária levada a cabo pelo Banco Central Europeu seja a resolução dos problemas de liquidez dos bancos, incentivando-os a disponibilizar crédito à economia.

Apesar das aparentes facilidades no mercado do crédito, continua a ser fundamental ponderar bem todas as opções, a fim de se fazer uma escolha eficiente.

Dentro da questão acerca de que tipos de crédito existem, é proveitoso fazer-se uma análise orientada para a finalidade do crédito solicitado. Não só os nomes das várias modalidades espelham os objetivos de um crédito, como também as condições se procuram adaptar aos mesmos.

Saiba quais os tipos de crédito existem


Crédito pessoal

Diferencia-se dos outros tipos de crédito por não se destinar a um fim específico, podendo abarcar um conjunto de objetivos de índole pessoal. Um crédito pessoal pode destinar-se a viagens, ajuda ao pagamento de dívidas, fazer algum tipo de investimento/aquisição com particularidades mais específicas ou outros motivos que não estejam cobertos pelas restantes modalidades.

Nos dias de hoje, há variadíssimas opções no mercado, devendo, no entanto, ter-se a noção de que este tipo tende a estar associado a taxas de juro mais elevadas. Não obstante, as condições são muito variáveis nas diferentes instituições. Os montantes disponíveis nos créditos pessoais situam-se entre os 250 euros e os 50.000 euros.

credito pessoal

Crédito de apoio aos estudos

É também designado, por simplificação, de crédito universitário, embora não se aplique exclusivamente a estudantes do ensino superior. Como sugerido pela designação, esta modalidade destina-se a estudantes que não possuam disponibilidades financeiras para suportar os custos associados aos seus estudos. Dentro das situações elegíveis, encontram-se Licenciaturas, Mestrados, Pós-graduações, Doutoramentos, Programas de Mobilidade Internacional e Cursos de Especialização Tecnológica.

Ao nível de montantes, podem situar-se entre os 1.000 euros e os 5.000 euros, em termos anuais, até um máximo de 25.000 euros. Os prazos vão desde 1 ano até 5 anos e as taxas de juro são normalmente fixas, tendo por base a taxa SWAP do indexante ao qual é adicionado de um spread inferior a 1%. Estes créditos tendem a contemplar períodos de carência, antes de começarem a ser reembolsados.

Os montantes podem incluir custos com propinas, estadias quando o estudante desenvolve a sua atividade fora da zona de residência e alimentação.

Crédito automóvel

O crédito automóvel é um dos créditos com mais procura, uma vez que muitas pessoas procuram adquirir a sua própria viatura. Uma vez que a compra de um automóvel pode exigir uma grande disponibilidade financeira, acaba por, regra geral, estar associada a um pedido de empréstimo. Também por isso, é uma modalidade de crédito mais fácil de obter do que outras.

É possível conseguir financiamento de 100% do montante até um valor máximo de 75.000 euros, com prazos de 1 até 10 anos. No entanto, se for pago um valor inicial, vulgarmente designado por entrada, o valor das prestações poderá ser aliviado, permitindo gerir o orçamento familiar de forma mais cómoda.

Crédito à habitação

Quando se responde à questão que tipos de crédito existem é indispensável referir o crédito à habitação. Apesar de não ser tão procurado agora, este tipo de crédito permitiu que muitas famílias adquirissem casa própria. Esta modalidade permite, além de comprar casa, construção ou recuperação de habitação.

Anteriormente, os montantes poderiam ser financiados a 100%, mas, nos dias de hoje, as percentagens de financiamento máximo atingem entre 70% e 80%. As taxas de de juro são obtidas através da soma de um indexante – a Euribor a 3 meses, 6 meses e 12 meses com um spread, que varia de banco para banco. Este spread pode alterar-se também consoante o perfil e o grau de risco associado a cada cliente.

credito habitacao

Crédito ao consumo

Estes créditos estão associados à compra de determinados produtos de preço mais elevado, como por exemplo computadores ou outros eletrodomésticos. Muitas vezes, é a própria loja ou estabelecimento que detém acordos com instituições financeiras que permitem ao cliente realizar o pagamento em prestações, ao invés de pagar tudo de uma vez.

Em alguns casos, é possível realizar compras com este tipo de crédito sem haver lugar a pagamento de juros. Com as devidas diferenças, dentro de crédito ao consumo, é possível incluir a utilização de cartão de crédito. Neste caso, a forma como se processa o crédito é substancialmente diferente, devido à forma de utilização, à regularidade mensal e às restantes condições. No entanto, a utilização de um cartão de crédito não deixa de consistir no recurso a uma forma de crédito para realizar determinadas compras.

Créditos de apoio empresarial/ negócio

São direcionados para o apoio à atividade empresarial e podem ser obtidos junto de instituições financeiras, mas também de entidades públicas institucionais, nas quais se incluem as que gerem os fundos comunitários.

No caso destes últimos, há opções em que é possível dispensar parte do reembolso mediante o cumprimento de determinados objetivos. Todavia, quando se observa esta possibilidade, não estamos perante crédito na mais pura acessão do termo.

Não obstante, o financiamento à atividade empresarial não se limita aos fundos comunitários, havendo vários bancos com linhas de crédito específicas neste segmento.

Estas podem diferenciar-se de acordo com vários critérios como a dimensão, a fase do negócio ou o objetivo, como é o caso dos créditos específicos para as PMEs ou financiamento para lançamento de negócios. Nestes, é necessário acompanhar a solicitação do crédito com documentos que comprovem a rentabilidade dos investimentos, como é o caso do Plano de Negócios.

credito empresarial

Crédito consolidado

O crédito consolidado diferencia-se dos restantes quanto ao âmbito da classificação uma vez que não se destina a nenhum investimento ou compra. Este consiste em agregar vários créditos num só, a fim de o cliente passar a pagar uma única prestação.

Desta forma, é possível que este reduza o montante da prestação mensal e veja alargado o seu prazo de pagamento, ganhando maior flexibilidade para gerir o seu orçamento doméstico. O crédito consolidado subdivide-se entre crédito consolidado com hipoteca e crédito consolidado sem hipoteca.

Veja também:

João Parreira João Parreira

João Parreira frequenta atualmente o Master in Economics na Faculdade de Economia do Porto, ao abrigo do QTEM Masters Programme. Licenciado em Economia na mesma faculdade, teve ainda um ano de experiência profissional em auditoria na Deloitte. Durante os anos académicos, participou em diversas organizações e associações, destacando-se o cargo de Diretor Geral de Sistemas da FEP Junior Consulting, a júnior empresa de consultoria da Faculdade de Economia do Porto.