Quimioterapia paliativa: o que precisa de saber

Os cuidados paliativos são essenciais ao conforto e dignidade da pessoa doente. Saiba mais sobre o que é, especificamente, a quimioterapia paliativa.

Quimioterapia paliativa: o que precisa de saber
Perceba em que é que a quimioterapia paliativa pode ajudar

Segundo a Organização Mundial de Saúde, os cuidados paliativos intercedem para melhorar a qualidade de vida do doente com doença incurável, grave ou terminal, e das suas famílias. Muito do trabalho dos profissionais de saúde destina-se a prevenir e aliviar o sofrimento do paciente. A quimioterapia paliativa destina-se a doentes com cancro.

O que é a quimioterapia paliativa

Quando um paciente com cancro precisa de fazer quimioterapia, isso significa que vai receber um tratamento à base de químicos, por via venosa, oral ou punção lombar, com o propósito de controlar, destruir e inibir as células malignas. Por vezes, este tipo de tratamento acompanha cirurgias e, de acordo com a patologia em questão, pode ocorrer acompanhada pela radioterapia.

É um tratamento agressivo, apesar da sua possível eficácia. Visa bloquear o processo de crescimento de células cancerígenas, mas acaba também por afetar células saudáveis como efeito secundário.

Existem três tipos de quimioterapia: a adjuvante, neo-adjuvante e a paliativa.

A quimioterapia paliativa tem como objetivo principal controlar os sintomas da doença cancerígena, quando já não há perspetiva de cura. O tratamento tenta melhorar a qualidade de vida do paciente, até ao final.

Entenda-se que o tratamento químico continua, com o intuito de reduzir a dor e o desconforto do paciente. Normalmente, este tipo de quimioterapia não acompanha tratamentos cirúrgicos ou radioterapia para redução do número de células cancerígenas.

A quem se destina a quimioterapia paliativa

Segundo a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP), a quimioterapia paliativa, tais como outros tratamentos dentro dos cuidados paliativos, destina-se a “pacientes com doença ameaçadora de vida, que escolheram não fazer tratamento orientado para a doença ou de suporte/prolongamento da vida e que requeiram este tipo de cuidados” e a “pessoas seriamente doentes ou em fase terminal (…) que não têm possibilidade de recuperação ou estabilização”.

A prática dos cuidados de quimioterapia paliativa ocorre enquanto for necessário e é transversal a todas as idades.

consulta

Onde são prestados esses cuidados?

Em Portugal, existem 25 Unidades de Cuidados Paliativos com internamento e 23 Equipas Intra-Hospitalares de Suporte em Cuidados Paliativos. Nem todos apresentam a possibilidade de um tratamento a nível oncológico.

Se procura saber como fazer o pedido deste tipo de tratamento, os IPOs do Porto, Lisboa e Coimbra serão as primeiras opções. Os principais hospitais públicos, sobretudo localizados nas grandes cidades do litoral, como o Hospital de São João (Porto) e o Hospital de Santa Maria (Lisboa) também oferecem esta modalidade de cuidado paliativo.

O mesmo é amplamente oferecido no sistema privado, dentro do que temos em Portugal. Infelizmente, unidades de saúde no interior do país ainda têm grandes deficiências neste campo.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.