Como aproveitar as redes sociais no ensino do inglês

Quer rentabilizar as redes sociais no ensino do inglês? Conheça uma série de estratégias para a utilização didática do Facebook, Youtube, Twitter e dos blogues.

Como aproveitar as redes sociais no ensino do inglês
Ligue-se às redes sociais para o ensino e a aprendizagem do inglês

Utilizar as redes sociais no ensino do inglês pode ser uma excelente estratégia para ensinar e aprender a língua. A generalização da utilização das novas tecnologias na escola e na sociedade em geral, e o constante acesso à Internet, nomeadamente às tão “apelativas” redes sociais, devem ser aproveitados no ensino e na aprendizagem de uma língua estrangeira.

Atendendo ao crescente número de utilizadores, parece evidente a importância que estes meios de divulgação e de comunicação têm. Importa, por isso, perceber como podemos utilizar as redes sociais no ensino do inglês, fomentando não só a motivação para o idioma, mas também a diversidade de estratégias de ensino e aprendizagem e o contacto com a tecnologia.

Como utilizar as redes sociais no ensino do inglês

Em Portugal, além do crescente número de blogues e websites, destacam-se, em termos de utilização, as seguintes redes sociais:

  • Facebook;
  • LinkedIn;
  • Google+;
  • Instagram;
  • Twitter;
  • Youtube.

Qualquer uma destas ferramentas pode ser utilizada de forma pedagógica e algumas estratégias podem ser usadas em qualquer uma delas. Por exemplo, pode ser criado um grupo de interesse na aprendizagem e no treino da língua inglesa, na turma, interturmas, interescolas, até com nativos, quer no Facebook quer no LinkedIn.

Por essa razão, ilustraremos algumas estratégias para utilização das redes sociais no ensino do inglês. O professor ou educador pode socorrer-se da que melhor domina ou da que os seus alunos mais utilizam e preferem, para obter os melhores resultados. Comecemos, então, pelo Facebook.

Facebook


facebook

O próprio Facebook disponibiliza um guia e tem a página Facebook for Educators, que poderão consultar e acompanhar. Nesta rede social tão utilizada e acarinhada por jovens e adultos, o professor pode:

1. Gerir e controlar o que lá é colocado, em termos de conteúdo e de linguagem; aceitar e recusar membros, criando, por exemplo, uma página de Facebook da turma ou de várias turmas; da aprendizagem da língua inglesa; de um projeto especial, etc.;

2. Calendarizar publicações com os alunos, a partir de tarefas e trabalhos por eles realizados;

3. Publicar fotografias, vídeos, textos, notícias, links de outros websites e reportagens sobre determinado tema desenvolvido em aula; registos de uma visita de estudo; uma notícia relevante para a matéria em estudo; uma nota biográfica de determinado autor, etc.;

4. Convidar pessoas (alunos, professores ou profissionais da área) de fora da instituição para participar de debates, dar opinião, contar a sua experiência profissional;

5. Organizar fóruns, discussões em tempo real, com recurso ao chat e/ou ao vídeo;

6. Agendar momentos, dia/hora, para esclarecimento de dúvidas, aprofundamento de um tema, por exemplo;

7. Lançar desafios aos alunos, criar quizzes e jogos, permitindo-lhes que respondam na própria página, de uma forma rápida e simples, estimulando assim a proatividade, a imaginação e a criatividade;

8. Abraçar e promover causas sociais, voluntariado, entre outras iniciativas;

9. Criar e divulgar eventos académicos, culturais, desportivos e de lazer.

YouTube


youtube

O Youtube funciona como um excelente repositório para conteúdos audiovisuais. Lá podemos ver, alojar e criar vídeos sobre diferentes temáticas. O educador pode ainda:

1. Enviar vídeos criados ou selecionados por ele ou indicar outros que queira que o aluno consulte;

2. Aceder a diversos canais em que pode ver e rever programas de TV, reportagens, factos jornalísticos, publicidade, filmes, curtas metragens, música, etc. em língua inglesa;

3. Solicitar aos alunos que expressem a sua opinião sobre um vídeo há também a opção de “gostei”, “não gostei” e de comentar os vídeos publicados.

4. Criar um canal para agrupar conteúdos, simplificando, assim, a partilha de vídeos e a organização de conteúdos por temas;

5. Dinamizar um projeto e/ou mostrar competências dos alunos: a construção de algo, a dinamização de uma exposição, a declamação de um poema, uma peça de teatro representada por eles, um videoclip musical, uma atividade na escola ou visita de estudo, etc.

Twitter


twitter

Embora com uma utilização menos expressiva, principalmente junto do público mais jovem, para quem redes como o Instagram e similares ganham maior visibilidade e utilização, o Twitter pode ser usado pedagogicamente para:

1. Publicar mensagens mais curtas, treinando assim o poder de síntese e a linguagem;

2. Escolher quem “seguir”, personalidades, figuras de renome em determinadas áreas profissionais, músicos, escritores, professores, um canal, um jornal, etc. para acompanhar as publicações, saber mais sobre determinado assunto, aprender vocabulário, etc.

Blogues


Esta é, talvez, uma ferramenta que exige mais trabalho, em termos de edição de texto, utilização de imagens, vídeos, etc., mas apresenta igualmente enorme potencial. No caso do ensino do inglês, permitirá, por exemplo, promover:

  • O treino e revisão da escrita;
  • A pesquisa para a construção de conteúdos;
  • O acesso a uma maior diversidade de géneros textuais;
  • A participação de diversos utilizadores na construção de um texto.

Por fim, importa salientar que as redes sociais estão interligadas, podendo os seus usuários, com muita facilidade, divulgar as publicações e atividades em várias delas, muitas vezes em tempo real.

Por isso, sabendo nós que estas são ferramentas modernas e de rápida comunicação, a que os utilizadores estão sempre ligados através de computadores, tablets e telemóveis, não podíamos deixar de realçar a importância da utilização das redes sociais para o ensino do inglês. Bom trabalho e ligue-se!

Veja também:

Os mais vistos