Reembolso IRS 2011

Já acabaram os prazos para entregar a declaração de IRS, já a enviou, seguiu todos os conselhos do E-Konomista para conseguir a máxima poupança, declarando todas as despesas dedutíveis e como prometido pelo Governo, até 20 dias após a entrega recebeu o reembolso. O que fazer com este dinheiro extra? Onde aplicá-lo? Siga as nossas dicas…

Reembolso IRS 2011

Para quem fez a entrega da declaração de IRS pela Internet, o Governo prometeu que no caso de haver direito a reembolso, o mesmo seria feito num prazo máximo de 20 dias úteis. Para muitos essa promessa já se cumpriu, para outros está aí quase a bater à porta. Já sabe o que vai fazer com esse dinheiro? Dependendo do seu orçamento familiar tem algumas opções para aplicar esse valor, ora veja…

 

  • Muitos vão aproveitar para poupar porque tendo em conta a conjuntura é bom ter um razoável pé-de-meia para o caso de ser necessário fazer face a alguma despesa inesperada. A solução mais atractiva, actualmente são os depósitos a prazo, com taxas crescentes, já que os Planos Poupança Reforma perderam muita da sua atractividade por terem perdido os benefícios fiscais.

 

  • Outra escolha pode ser investir. Nunca se esqueça de uma regra básica: se não correr risco nenhum, menor será o seu rendimento, mas pelo menos é garantido. Tudo depende do risco que se pretende correr, da idade, do período da aplicação, etc. A DECO aconselha a médio e a longo prazo os Certificados do Tesouro. Também tem a opção das acções onde o risco assumido é bem maior, mas onde deve ter algumas regras para não se iludir. Invista um valor que sabe que não vai precisar pois tem outra verba de parte para imprevistos; não invista tudo no mesmo título, para evitar grandes perdas.

 

  • Pode sempre gastar o que recebeu do IRS. Há quem conte com o reembolso do IRS para viajar, ir de férias para algum destino de sonho e tirar umas merecidas férias ou para alguma despesa avultada, como por exemplo, a compra de um electrodoméstico.

 

  • Finalmente, infelizmente, a grande maioria opta por aproveitar este dinheiro para pagar dívidas. Dizemos infelizmente, pois é sinal que não vivemos desafogadamente. A prioridade pertence aos créditos com a taxa de juro mais alta, como é o caso do cartão de crédito que em alguns casos pode chegar aos 30%. De seguida amortize dívidas de créditos pessoais, como o crédito automóvel e depois aquele empréstimo que assombra a vida de muitas famílias, deve ser considerado em último lugar, que é o crédito habitação, isto porque é o que tem a taxa mais baixa e a duração mais longa. Antes de o fazer informe-se bem pois amortizar antecipadamente pode estar sujeito ao pagamento de uma comissão, por isso, veja se compensa amortizar este último crédito.