Regras essenciais para viajar com medicamentos

Tem mesmo de viajar com medicamentos, mas não conhece as normas em vigor nos aeroportos? Não se preocupe: nós indicamos-lhe exatamente as regras que deve seguir.

Regras essenciais para viajar com medicamentos
O nosso objetivo é garantir-lhe uma viagem calma e despreocupada.

Saber exatamente o que fazer quando tem de viajar com medicamentos deve ser uma das grandes preocupações de quem está a fazer um tratamento e prevê uma deslocação de avião. Se é importante ter uma ideia correta do que podemos ou não levar para bordo a nível de roupa e produtos de higiene pessoal, imagine-se quando estamos a falar da nossa própria saúde...

Assim, para evitar stresses e futuros problemas quando estiver prestes a embarcar, fizemos uma pesquisa junto a entidades tão credíveis como a ANA - Aeroportos de Portugal e a Deco. O resultado foi a pequena lista que lhe apresentamos de seguida, e através da qual vai poder ficar a saber exatamente as precauções a tomar quando tiver de viajar com medicamentos.
 

Regras para viajar com medicamentos 

Quando tiver mesmo de viajar com medicamentos na bagagem de mão, vai ter de prestar especial atenção às regras estabelecidas internacionalmente, caso contrário arrisca-se a ter de os colocar na bagagem de porão ou, pior ainda, a ter de os deixar no aeroporto. Assim, para evitar estes problemas e assegurar uma viagem tranquila, tenha presentes as seguintes indicações:
 

Transporte dos fármacos

  • Para viajar com medicamentos, estes têm de ser colocados dentro de um saco de plástico transparente, com cerca de 20cm x 20cm, que possa ser aberto e fechado novamente – a ideia é possibilitar às autoridades a verificação de todo o conteúdo.
  • Uma vez que pode ser alvo de várias verificações, este saco deve ser colocado num sítio de fácil acesso, na bagagem de mão;
  • Nota: o saco não deve estar demasiado cheio, albergando os itens de forma confortável.



Embalagem individual dos medicamentos

  • Medicamentos sólidos, como comprimidos – não existem restrições para o seu transporte;
  • Medicamentos em pó – não existem restrições para o seu transporte;
  • Medicamentos líquidos, como xaropes - devem ser transportados em frascos ou tubos com uma capacidade máxima até 100 mililitros; se tiver de transportar um volume maior, terá de se fazer acompanhar da receita médica, declaração ou qualquer documento idóneo que ateste a necessidade da sua toma ou aplicação durante a viagem;
  • Aerossóis – qualquer que seja a quantidade, terá de se fazer acompanhar da receita médica, declaração ou qualquer documento idóneo que ateste a necessidade da sua toma ou aplicação durante a viagem;
  • Medicamentos injetáveis (ex.: insulina) - qualquer que seja a quantidade, terá de se fazer acompanhar da receita médica, declaração ou qualquer documento idóneo que ateste a necessidade da sua toma ou aplicação durante a viagem; além disso, para transportar a seringa, terá de pedir autorização ao Instituto Nacional de Aviação Civil, fornecendo obrigatoriamente os seguintes elementos: dados pessoais, data do voo, nome da companhia aérea e destino.

Notas importantes:
  • Tendo presentes as indicações do Instituto Nacional de Aviação Civil, assegure-se de que os documentos referidos acima estão traduzidos para inglês ou francês, o que vai facilitar a compreensão em caso de inspeção no estrangeiro;
  • No total, cada passageiro só pode transportar até um litro de fármacos;
  • Recomendamos que, sempre que possível, mantenha os medicamentos nas suas embalagens originais, facilitando a sua identificação; 
  • Os inaladores são permitidos durante a viagem, mas as latas sobresselentes terão de seguir na bagagem de porão.


Como pode ver, se tiver algumas precauções e seguir as regras indicadas, não terá qualquer problema em viajar com medicamentos. Boa sorte e boas viagens!


Veja também: