AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

8 passos úteis, práticos e simples que ensinam como vender o material que já não usa. Não hesite: aumente o seu orçamento para o regresso às aulas.

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa
8 passos infalíveis para equilibrar o orçamento do novo ano escolar

Infelizmente, as férias passam rápido e, quando menos esperar, o regresso às aulas vai estar a bater-lhe à porta. Existem muitos textos que ensinam como poupar dinheiro nesta fase, mas a nossa ideia é inverter a situação: vamos apresentar-lhe um roteiro prático, simples e muito útil para que fique a saber como vender o material que já não usa, aumentando o seu rendimento. Não seja apanhado desprevenido: comece já a fazer um pé-de-meia que lhe permita fazer face às despesas. Nós ajudamos!
 

Siga estes 8 passos infalíveis para vender o que já não usa

 

1. Decida-se a vender

Antes de mais, vender o que temos em casa e já não usamos compensa mesmo! 
Inicialmente a reciclagem e reutilização era feita dentro de portas, com os mais variados bens a circular entre a família (que se acuse quem nunca usou um casaco ou um livro usado de um irmão ou primo mais velhos...). Atualmente, a necessidade de reduzir gastos e gerar um rendimento extra leva cada vez mais pessoas a investir na compra e venda de materiais usados.

Liberte-se de pudores e aproveite a onda: não há qualquer vergonha em aproveitar boas oportunidades!
 
 

2. Escolha o método de venda

Aqui nem é preciso pensar muito: online, online, online! Sim, existem lojas que compram materiais usados mas, na maioria dos casos, o valor que lhe oferecem é tão irrisório que nem compensa a viagem.

É na internet que vai conseguir o melhor valor pelos seus artigos pelo menor investimento. Também é lá que vai encontrar a maioria dos seus clientes: já ninguém realiza uma compra sem uma prévia pesquisa online, o que é ainda mais notório no caso dos artigos usados.

Neste regresso às aulas, vários sites de poupança recomendam o recurso a portais especializados, como o OLX, para vender o material que já não usa.
 
 

3. Defina o que vai vender

Online pode vender tudo. E quando dizemos tudo é mesmo tudo: de cintas de maternidade a raladores de frutos secos. Neste caso, estamos a aproveitar uma procura sazonal, pelo que nos vamos centrar apenas em artigos associados ao regresso às aulas.

Assim, comece por dar uma volta aos armários e gavetas dos seus filhos e recolha tudo o que eles nunca usaram ou já não querem – a saber:
  • Livros escolares: se tudo correr bem, a sua renovação anual é inevitável; nota positiva: sendo o maior investimento desta altura, são também o bem mais procurado;
  • Mochilas, pastas e estojos com canetas: por vezes têm mesmo de ser trocadas: por se tornarem pequenas ou demasiado infantis, porque a decoração já não responde ao gosto das crianças/adolescentes, etc.
  • .Computador, tablet, máquina calculadora, phones e outro material informático: se tem de fazer um upgrade, não descure a venda das versões anteriores; são também dos artigos mais pesquisados.
  • Compasso, esquadro, régua e outro material semelhante: se vai ter de comprar versões melhores/superiores, venda as anteriores.
  • Roupa e calçado: não fazendo diretamente parte do regresso à aulas, pode também aproveitar esta altura para vender os artigos que já não usa; isto porque coincide com a entrada do tempo frio e, como o guarda-roupa do inverno passado já não serve, a sua renovação representa outro investimento importante para os pais.
 
 

4. Prepare o material para a venda

Tenha em conta que quanto mais estimados e com melhor aspeto estiverem os produtos, mais as pessoas estão dispostas a pagar por eles  - assim:
  • O ideal é ter as caixas originais, etiquetas, manuais de utilização e qualquer outro eventual material de apoio;
  • No caso de tal não ser viável, lave, arranje e prepare o melhor possível todos os artigos: têm de parecer novos ou, pelo menos, estar em muito boas condições.
  • Ex: nos livros escolares apague todas as referências ao dono original (nome, morada, anotações, etc.) e tente minimizar as marcas de uso, pintando com um marcador ou caneta qualquer desgaste na capa e miolo; a roupa deve ser lavada, passada, botões e bainhas cosidos; etc.
 
 

5. Atribua um preço justo a cada artigo

Em primeiro lugar, quando atribuir o preço aos seus artigos tenha presente que o objetivo dos compradores é fazer uma boa poupança – se o valor pedido não compensar, vão preferir investir nas habituais lojas de produtos novos; 

Dito isto, após a recolha dos artigos vendáveis divida-os em:
  • Novos: para esta categoria, sugerimos que preveja cerca de 2/3 do valor em loja; 
  • Como novos: calcule cerca de 1/2 do valor original;
  • Usados, em bom estado: calcule cerca de 1/3 do valor original.

Nesta valorização tenha em conta o seguinte:
  • Preveja no preço um possível pedido de desconto: sendo quase um lugar comum em todos os contactos, sugerimos que negoceie dentro do possível, mas que faça sempre uma atenção (agrada o comprador e potencia a venda); pode minimizar o impacto da redução de preço, combinando a entrega perto da sua casa/emprego ou propondo o pagamento a meias de eventuais portes de correio.
 
 

6. Crie os anúncios

Quando os produtos já estiverem preparados, tem de pensar nos anúncios – atenção: a não ser que funcionem em conjunto (ex.: um manual escolar com o respetivo caderno de exercícios), vai ter de prever um anúncio individual por produto; depois, em cada um deles, pode referir que tem mais artigos para oferta.

Tire fotografias de qualidade – tenha especial cuidado com a resolução, iluminação e forma como apresenta os artigos: uma imagem vale mais do que mil palavras, pelo que os anúncios que as preveem recebem muito mais contactos; assim:
  • Num cenário limpo e agradável, posicione os artigos de forma apelativa – ex: a roupa, lavada e passada, deve ser colocada em cabides e pendurada contra um fundo neutro e contrastante, que a destaque.
  • Tire fotos de todos os ângulos – o ideal é ter, no mínimo, 4 fotos: frente, ambos os lados e trás; se for relevante, inclua também alguns detalhes.

Prepare uma descrição simples, direta e concisa – a incluir:
  • No título: o nome do produto (com marca e modelo, se se aplicar); 
  • No texto: uma descrição o mais completa possível: estado (incluindo, por exemplo, se é entregue com a caixa, lavado, etc.), tamanho, características, funções, etc. 
  • Dica extra: pode fazer uma pesquisa do produto novo e tirar ideias do texto original dos fabricantes (quanto a imagens, estas têm de ser mesmo do seu produto, para não induzir o comprador em erro).
 
 

7. Gira os contactos e finalize a venda

  • Responda rápida e educadamente a todos os interessados: comece por agradecer o contacto, responda às questões ou ofertas apresentadas e despeça-se indicando que aguarda o feedback ou combinando de imediato a entrega/pagamento do produto.
  • Finalize o processo e prepare a entrega do artigo: indique qual o método de pagamento pretendido e, uma vez recebido o dinheiro (recomendamos que nunca antes), entregue o artigo; faça-o com a maior rapidez possível e preveja uma embalagem adequada para assegurar que chega em boas condições.
 
Nota: o importante é ser o vendedor que gostaria de encontrar e entregar o produto da forma como gostaria de o receber.
 

 

8. Perceba exatamente quanto ganhou

Para ter uma noção exata do valor que conseguiu amealhar e de quanto vai conseguir poupar neste ano letivo, preveja uma tabela simples, na qual poderá ir atualizando os vários dados relativos às vendas.
Pode guiar-se por este exemplo, que prevê apenas a venda de alguns manuais escolares:


            

Todos os produtos e valores são meramente indicativos; os valores de venda foram previstos considerando um artigo novo e os outros como novos ou usados (valores já após descontos).    

Neste exemplo, os novos manuais acabaram por lhe ficar por apenas por 134€: poupou 119€!


 

NESTE REGRESSO ÀS AULAS, POUPE COM O OLX!

Neste regresso às aulas, tão importante como aprender a vender o material que já não usa, é decidir exatamente onde o fazer. Quando tivemos de escolher qual o portal de classificados a recomendar, a decisão foi unânime: o OLX

Com uma presença absolutamente inultrapassável no mundo das vendas online, este portal dispõe de uma enorme base de dados de vendedores e compradores, bem como de uma estratégia de marketing que lhe assegura uma presença destacada no mercado.  Além disso, o OLX sofreu recentemente uma renovação de imagem que lhe garante uma interação ainda mais intuitiva com o utilizador.

Resumindo, com o OLX a colocação dos seus anúncios online é simples e rápida, a sua exposição ampla e abrangente e a probabilidade de venda bastante superior à de outros portais. O que espera?

Vantagem extra: o registo no OLX é grátis e a inserção de anúncios, com um limite bastante aceitável para cada categoria, também o pode ser; no entanto, se quiser destacar algum produto, assegurando resultados ainda mais rápidos, também pode fazê-lo mediante o pagamento de um valor muito acessível.


Sabemos que o início de setembro não é fácil para as famílias. Esperamos que utilize as nossas dicas, venda o material de que já não precisa e transforme o regresso às aulas num descanso. 

Veja também: