4 restaurantes que valem a viagem

Porque a gastronomia é um ponto muito importante em qualquer ida fora de portas, damos-lhe a conhecer 4 restaurantes que valem a viagem, só por si.

4 restaurantes que valem a viagem
Uma ajudar na hora de planear

Espalhados um pouco por todo o mundo estão restaurantes que valem a viagem, seja pela experiência gastronómica que proporcionam, pela notoriedade e qualidade que lhes é reconhecida e também pela sua localização.Descubra o top 4.

Top 4 de restaurantes que valem a viagem

French Laundry, EUA

french

Da responsabilidade de Thomas Keller, este é um dos restaurantes que valem a viagem (e muito). Localizado em Washington, este estabelecimento, que foi já por três vezes galardoado com estrela Michelin, aposta em pratos de excelência, cozinha de fusão e de autor. No entanto, se quer comer aqui vai ter de pagar… Um menu de degustação custa cerca de 250€. Quanto a reservas, é bom que o faça com uns bons meses de antecedência ou, caso contrário, é provável que não consiga um lugar.

D.O.M., Brasil

dom

O restaurante é de um historiador-botânico, DJ e chef. Chama-se Alex Atala e é muitas vezes designado como o embaixador da cozinha sul-americana, com um foco principal nos locais abaixo do Equador. Situado em São Paulo, este é um dos restaurantes que valem a viagem e inspira-se muito nos ambientes e sabores exóticos do Brasil. O resultado? Comida deliciosa e de chorar por mais. Possui uma sala privada para jantares até 24 pessoas. Difícil mesmo é conseguir uma reserva – se tem cordelinhos para mexer, esta é a altura.

El Celler de Can Roca, Espanha

celler

Girona, diz-lhe alguma coisa? Pense em Barcelona e rume cerca de uma hora a norte do mesmo. Afinal, é aí que está um dos restaurantes que valem a viagem. Chama-se El Celler de Can Roca e é dirigida por três irmãos, de nome Roca. Aqui come comida tão boa mas tão boa que faz qualquer esquecer o El Bulli.

No menu de degustação encontra opções como camarão assado com água do mar e esponja de plâncton, ou ainda azeitonas caramelizadas que chegam à mesa penduradas em uma árvore de bonsai. As reservas são feitas online e abrem à meia-noite no primeiro dia de cada mês. No entanto, ou reserva com um ano ou mais de antecedência ou então resta-lhe rezar para que haja algum cancelamento de última hora.

Fat Duck, Inglaterra

fat duck

Berkshire era apenas mais uma terrinha longínqua e quase desconhecida de Inglaterra até Heston Blumenthal a colocar no mapa culinário. Afinal, ele abriu um dos restaurantes que valem a viagem! Chama-se Fat Duck, e funciona à base de cozinha molecular. E sabia que este restaurante recebe cerca de 30 mil chamadas por dia para reservar uma mesa?

Veja também: