Roteiro de três dias em Copenhaga

Prepare-se para três dias mágicos em Copenhaga: basta seguir as nossas sugestões sobre o que visitar, onde comer e onde ficar alojado.

A capital da Dinamarca reserva-lhe várias surpresas

Copenhaga é a capital da Dinamarca e uma das melhores cidades para sentir o carismático espírito nórdico. É a maior cidade do país e está situada em duas ilhas do arquipélago dinamarquês - Zealand e Amager - separadas por um estreito canal. Na sua área central vive pouco mais de meio milhão de pessoas, sendo uma cidade organizada e tranquila.

Com uma qualidade de vida reconhecida e premiada, Copenhaga é ainda uma cidade jovem e criativa, que apetece descobrir sem pressa. E se o design e a arquitetura foram áreas que sempre funcionaram como cartão de visita da cidade, cada vez mais a gastronomia se tem vindo a impor: Copenhaga é hoje a capital gastronómica da Escandinávia, com destaque para os 16 - sim, leu bem, 16 - restaurantes com estrela Michelin.


Quando ir a Copenhaga

Apesar da Dinamarca ser o país com a meteorologia menos agreste da Escandinávia, é na primavera e no verão que mais irá usufruir de uma visita a Copenhaga, pois é a altura do ano com mais horas de luz solar. No entanto, o outono é igualmente uma época a considerar: a paisagem ganha um encanto especial, com os tons castanhos e dourados das árvores e dos jardins. No inverno, os dias são curtos e frios, mas sem garantia de neve.


temperatura


Como chegar a Copenhaga

O ideal é ir de avião. De Lisboa a Copenhaga são cerca de 3 horas e meia de voo, mas se optar por fazer escala noutra cidade europeia, apesar de poder demorar o dobro, vai conseguir preços mais vantajosos.

Para ir do Aeroporto de Copenhaga ao centro da cidade, no que toca a transportes públicos, poderá escolher entre comboio, autocarro e metro. Esta última opção leva-o à cidade em apenas 15 minutos. Tem também táxis e carros de aluguer à sua disposição. Ao chegar, decida qual o meio de transporte a utilizar, informe-se sobre a sua localização e, se necessário, usufrua dos autocarros gratuitos entre terminais.
 

Três dias maravilhosos em Copenhaga

Pronto para mergulhar na cultura dinamarquesa? Das várias maneiras que existem para conhecer Copenhaga numa escapadinha de três dias, destacamos estas: a pé, de bicicleta, ou através das viagens turísticas de barco e autocarro. E porque não experimentar um pouco de cada? Escolha o que se ajusta mais ao seu estilo e toca a partir à descoberta desta cidade mágica, com a ajuda do nosso roteiro de três dias em Copenhaga.

copenhaga 1



Pequena Sereia

Nada como começar pelo principal ex-libris da cidade e do país: a escultura em bronze da Pequena Sereia, inspirada no conto com o mesmo nome de Hans Christian Andersen. Irá encontrá-la em Langelinie, a marginal da zona portuária da cidade, na ilha de Zealand.

A estátua data de 1913, mas a história da sereia Ariel que desejava tornar-se humana foi publicada pela primeira vez em 1837. Depressa correu o mundo, tendo dado origem a diversas peças de teatro e musicais. Em 1989, foi adaptada ao cinema pela Disney. A estátua foi oferecida à cidade por Carl Jacobsen, filho do fundador da conhecida marca de cerveja Carlsberg.
 


Nyhavn

nyhavn

Provavelmente a zona onde irá querer tirar mais fotografias. Aconselhamos a fazer uma pequena viagem de barco, de onde poderá admirar, de uma outra perspetiva, os coloridos edifícios bem alinhados, com as convidativas esplanadas ao longo do passeio viradas para a trama de barcos à vela. Nyhavn é sinónimo de atmosfera pitoresca imperdível, sendo uma excelente opção para almoçar ou tomar café. Do outro lado, fica a parte da cidade pertencente à ilha Amager.



Parque Tivoli

Jardins luxuriantes, diversões emocionantes e agradáveis esplanadas: há de tudo um pouco no Tivoli, o mais famoso parque de Copenhaga, inaugurado no longínquo ano de 1843 e que ainda mantém a funcionar a montanha-russa de 1914. Aqui, não faltam concertos, teatros ao ar livre e outros eventos para toda a família, sobretudo no verão. À noite, o parque ganha uma atmosfera especial, com as suas luzes coloridas.
 


Palácio Amalienborg

O sistema político da Dinamarca é a monarquia constitucional parlamentar e o Palácio Amalienborg é a residência de Inverno da Família Real. Na verdade, é um complexo constituído por 4 palácios idênticos, datados do século XVII. No centro destes, a praça exibe a estátua do Rei Frederik V. No museu interior é possível visitar os aposentos reais e vale a pena passear pelo jardim Amalie, deixando-se encantar pela magia das suas esculturas, canteiros viçosos e fontes românticas.

É ainda junto ao Palácio Amalienborg que pode ser observado, todas as manhãs, o Render da Guarda. Curiosidade: o tipo de cerimónia e a coreografia dos guardas irão depender dos membros da família real que se encontrem no palácio.



Palácio Christiansborg

palácio

Apesar de ainda hoje ser usado pela Família Real - liderada, à data deste artigo, pela rainha Margarida II - este edifício é a sede do parlamento dinamarquês, do Supremo Tribunal e do gabinete oficial do Primeiro-ministro. Neste amplo complexo arquitetónico, cujo aspeto atual data de 1928, podem ser visitados o museu do teatro, as cavalariças, a capela, as salas das receções oficiais, e até o próprio parlamento, ainda que este último apenas por marcação prévia.
 


Sobrou tempo?

Se ainda tiver fôlego ou se durante o dia quiser trocar uma das visitas, dirija-se a Kalvebod Bølge: uma zona revitalizada na frente marítima da cidade, com uma série de atrações: atividades como slide sobre a água ou caiaque; caminhos e pontes pedonais ondulantes; rampas de skate, etc. Do outro lado do canal fica Islands Brygge: uma curiosa zona de lazer, com piscinas naturais delimitadas e vigiadas, e uma ampla área relvada onde se pode jogar à bola ou fazer piqueniques.

2
 


Visit Carlsberg

carlsberg

Propomos que o segundo dia comece de uma forma, no mínimo, original: com cerveja. A conhecida marca de cervejas Carlsberg nasceu em Copenhaga em 1847 e vale a pena visitar a fábrica original, hoje integrada num moderno museu: Visit Carlsberg. Fique a conhecer a história desta cerveja, a forma como é fabricada e, no final, poderá fazer a tão desejada prova.
 


Museu Nacional

É aqui, no Museu National, que se encontram as maiores coleções dinamarquesas de arqueologia, etnografia e ciência natural e onde se podem percorrer, através de pinturas, esculturas, artefactos e painéis interativos, os 14 mil anos de história do país, incluindo a era Viking. Para evitar as longas filas de visitantes, compre o bilhete com antecedência.
 


Round Tower

round

Um curioso edifício cilíndrico do século XVII, onde funciona o mais antigo observatório de astronomia do mundo. Daqui usufrui-se de uma bonita panorâmica da parte antiga de Copenhaga. Em tempos funcionou aqui uma biblioteca, que o escritor H. C. Andersen costumava frequentar. Atualmente, para além da vista do topo, a grande atração é a plataforma em vidro, a 25 metros de altura, de onde se pode apreciar o interior da torre.
 


Castelo Rosenborg

Mais um dos edifícios ligados à longa monarquia dinamarquesa que merece ser visitado. É aqui que podem ser apreciados os mais surpreendentes tesouros e jóias da coroa. Excecionalmente bem preservadas, as divisões do castelo fazem-nos viajar no tempo e sonhar com uma vida luxuosa.

O Castelo Rosenborg e o Jardim do Rei fazem parte de um conjunto mais amplo, denominado Parkemuseerne e existe um bilhete que dá acesso a todos os edifícios e museus.
 


Sobrou tempo?

Se tem algum tempo livre e é aventureiro, propomos que dê um salto a Christiania, um bairro muito sui generis no centro da cidade, também conhecido por Green Light District. Criado por um grupo de hippies que em 1971 ocupou alguns armazéns militares abandonados, foi durante anos local de confronto político e social, uma vez que os membros desta comunidade vivem de acordo com as suas próprias regras, sem obedecerem à lei do país.

Em 2012, no entanto, foi assinado um acordo entre os seus habitantes e o governo dinamarquês. Apesar de continuar uma comunidade à parte, de forte consciência ecológica, Freetown Christiania é agora uma zona pacífica, com muitas áreas verdes e vários espaços culturais, para além de restaurantes baratos de comida biológica. Aconselhamos a que faça a visita acompanhado de um guia local e a cumprir as regras da comunidade, bem visíveis à entrada.

3
 


Castelo Kronborg

castelo

Para a manhã do 3º dia propomos que saia do centro da cidade e vá de comboio para norte, até Helsingør, para visitar o bonito Castelo Kronborg. São cerca de 40 minutos de viagem. Classificado como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO desde 2000, este castelo ficou imortalizado na obra Hamlet, de William Shakespeare. Todos os verões, realiza-se aqui o Festival de Shakespeare, com várias encenações e espetáculos. 

Se quiser trocar as visitas da tarde em Copenhaga por um salto à Suécia, este é o local ideal: na estação de comboio de Helsingør pode comprar os bilhetes para uma travessia de barco que demora apenas 20 minutos e o leva a Helsingborg, uma pequena cidade sueca. A partir de Copenhaga também é possível atravessar para a Suécia. Neste caso, a viagem até Mälmo pela famosa ponte de Ørsund, poderá ser feita de carro, autocarro ou comboio, sendo esta última a opção mais rápida: cerca de 30 minutos.
 


Jardim Botânico

De volta ao centro da cidade, propomos que vá até ao magnífico Jardim Botânico. Pertença da Universidade de Copenhaga e do Museu de História Natural da Dinamarca, o Jardim Botânico ocupa 10 hectares, acolhendo mais de 13 mil espécies de plantas. O destaque vai para as 27 estufas de vidro, algumas delas do século XIX. 
 


Museu Carlsberg Glyptotek

Este é um dos mais importantes museus de arte da Dinamarca, onde poderá apreciar obras de artistas como Van Ghog, Degas, Gauguin, Rodin e Cezanne, para nomear apenas alguns. O edifício é, ele próprio, motivo de interesse, com as suas imponentes fachadas avermelhadas e colunas de mármore.
 


Biblioteca Real

biblioteca

Não pode deixar a cidade sem passar pela Biblioteca Real, um edifício pouco convencional e ultramoderno, batizado pelos habitantes locais de Diamante Negro, devido ao seu revestimento escuro e espelhado, que emite um brilho intenso quando lhe bate o sol. 8 pisos e 450 salas integrados num complexo arquitetónico surpreendente, junto ao mar, na zona portuária da cidade.
 


Sobrou tempo?

Então, aproveite para ir às compras. São várias as ruas e os bairros onde passear e espreitar as montras são uma deliciosa atividade, mas temos de destacar a rua Strøget: uma das mais compridas artérias pedonais da Europa! Aqui vai encontrar tanto as marcas mais luxuosas, como lojas de moda acessíveis.

As artérias à volta de Strøget também são bastante movimentadas e os artistas de rua são já uma instituição da cidade. Uma dessas ruas é Pilestræde, com lojas de artigos de design e cafés acolhedores. Por alturas do Natal, os mercadinhos com artesanato e comida da época são de visita obrigatória e encontram-se espalhados um pouco por toda a cidade.

Se o design nórdico for mesmo uma paixão, aqui ficam três lojas a não perder:

 


Copenhaga à noite

Se depois das visitas ainda tiver energia para conhecer a movida da cidade, estas são as zonas mais populares. Atmosfera descontraída e trendy, seja para jantar ou tomar uma bebida: norebro
 

Onde ficar alojado em Copenhaga

Escolher o alojamento é sempre uma tarefa crítica quando planeamos uma viagem. Para ajudá-lo a decidir, fizemos uma seleção de hotéis para todos os gostos:


Generator Copenhagen

generator

Estação de metro a apenas 5 minutos e a 10 minutos da rua Strøget, a principal artéria comercial da cidade.



Copenhagen Star Hotel

Com uma localização incrível, em Vesterbro, junto à Estação de Comboios, apresenta uma fantástica relação qualidade-preço.



Scandic Palace Hotel

scandic

Outra excelente opção bem no centro da cidade. As vistas de alguns quartos sobre a cidade, bem como do terraço do restaurante, são um dos seus pontos fortes.



Stay Apartments Copenhagen

Situados na zona portuária, a 2,5 km do centro mas com estação de comboio a apenas 10 minutos a pé. Apartamentos modernos e funcionais, completamente equipados. Zona tranquila e possibilidade de vista para o canal.
 

Onde comer em Copenhaga

Como dissemos no início do roteiro, Copenhaga é uma cidade com uma oferta gastronómica absolutamente fantástica. Desde as mais atuais tendências de alimentação saudável aos conceitos reinventados de street food, sem esquecer os restaurantes com estrela Michelin, vai encontrar de tudo na cidade. Os três dias não vão chegar para conseguir experimentar tudo, por isso deixamos-lhe aqui as nossas sugestões:


Geranium

geranium

Per Henrik Lings Allé 4, 8. O único restaurante com três estrelas Michelin de Copenhaga, conseguidas em 2016. Se até agora o restaurante Noma era o mais famoso, o Geranium vai passar a ser o restaurante com maior lista de espera, por isso, já sabe: se quer garantir esta experiência gastronómica de topo, reserve e planeie a sua viagem com tempo.



BOB – Biomio Organic Bistro

Halmtorvet 19. O maior restaurante de comida biológica de Copenhaga, situado no movimentado bairro Meatpacking District.



MAD – Modern American Diner

MAD

Industriens Hus, Vesterbrogade 1P. Hamburgueres e outros pratos tipicamente americanos, com uma decoração a condizer.



Kjøbenhavn

Dronningens Tværgade 10. Restaurante de boa comida dinamarquesa moderna, com ambiente confortável e acolhedor.



Møller Kaffe Og Køkken

Nørrebrogade 160 - Se o pequeno-almoço ou brunch são refeições que aprecia especialmente, este é o spot ideal, considerado por muitos o melhor pequeno-almoço da cidade. E não se preocupe: está aberto às 16h.

 


Informações úteis para uma boa viagem


Transportes

Copenhaga oferece uma excelente rede de transportes públicos, nomeadamente comboio e metro. Informe-se sobre o Copenhagen Card: um bilhete que lhe permite usar todos os transportes públicos e inclui ainda entrada livre em mais de 70 museus e atrações turísticas. Sendo uma cidade plana e não muito grande, verá que andar a pé ou de bicicleta são ótimas opções. Se não está habituado a pedalar em cidade mas quiser alugar uma bicicleta, informe-se das regras e observe como fazem os dinamarqueses: depressa entrará no ritmo.
 


Língua

O dinamarquês é a língua oficial, mas irá encontrar as informações mais importantes traduzidas para inglês, uma língua que quase todos os habitantes de Copenhaga sabem falar.



Fuso horário

+ 1 hora em relação a Portugal continental.



Moeda

Apesar da Dinamarca pertencer à União Europeia, não aderiu à moeda única. Assim, a moeda oficial é a Coroa Dinamarquesa, que à data deste artigo, apresentava o seguinte câmbio: 1 EUR = 7,45 DKK



Segurança

Considerada uma das cidades mais seguras do mundo, Copenhaga não escapa, porém, às intenções dos carteiristas, nomeadamente no verão, quando há mais turistas na cidade. Em caso de roubo, para além da participação imediata à polícia local, é conveniente a comunicação da ocorrência à Secção Consular da Embaixada de Portugal em Copenhaga. Para evitar esta situação desagradável, siga os conselhos habituais, nomeadamente manter sempre a mochila ou a bolsa bem fechada junto si e não deixar valores à vista no quarto do hotel.
 


Secção consular da embaixada de Portugal em Copenhaga

Toldbodgade 31, 1,
1253 Copenhagen K
Tel.: 0045 33360071
sconsular.copenhaga@mne.pt

Veja também: