Quais os seguros que são realmente necessários?

Saiba quais são os seguros realmente necessários. Seguros obrigatórios e seguros que pode valer a pena subscrever.

Quais os seguros que são realmente necessários?
Responsabilidade civil, vida, roubo?

A oferta de seguros disponível no mercado é muito variada. No entanto, a pertinência de subscrever um seguro depende das variáveis em questão. Além dos seguros legalmente obrigatórios para cada atividade (listagem disponível no portal do Instituto de Seguros de Portugal – ISP), existem outros aconselháveis para determinados grupos de pessoas.

Conheça quais os seguros realmente necessários, através da lista de seguros obrigatórios da ISP, e aqueles que poderá valer a pena subscrever.


Seguros obrigatórios

Segundo a legislação portuguesa existem 201 seguros obrigatórios distribuídos por 11 grupos:

1. Acidentes de trabalho - Trabalhadores por conta própria e de outrem. Existem regimes específicos para algumas atividades;

2. Acidentes em Serviço – Respeitante a pessoal dirigente e funcionários da Polícia Judiciária (danos por morte, invalidez permanente/parcial e internamento);

3. Acidentes Pessoais - Existem 35 seguros dentro deste grupo. Por exemplo, treinadores de futebol, bombeiros, alunos, entre outros;

4. Assistência a Pessoas – A legislação apenas obriga à subscrição deste seguro nas atividades relacionadas com empresas de animação turística e dos operadores marítimo-turísticos;

5. Danos – Obrigatório em sete atividades, como, por exemplo, os imóveis afetos a obrigações hipotecárias. É recomendável pois está diretamente relacionado com a proteção dos bens das empresas e da sua sustentabilidade em caso de dano ou perda;

6. Doença – Todos os estrangeiros, nacionais de outros estados-membros que desejem habitar em Portugal e os praticantes de desporto de alto rendimento têm se contratualizar um seguro de doença;

7. Incêndio – Legalmente exigível em quatro situações, cobre os danos diretamente causados por incêndios nas frações autónomas e nas suas partes comuns de edifícios em propriedade horizontal, entre outros;

8. Seguro-caução – Todos os casos onde a legislação obriga a caução, admite este seguro;

9. Responsabilidade Civil – É dos seguros mais falados, a que não é alheia a imensidão de atividades que obrigam a ter um seguro de responsabilidade civil. Genericamente, protege terceiros face à atuação da empresa e/ou pessoas, cobrindo o risco de o segurado ter de indemnizar terceiros pelos danos que lhes cause. Existem também seguros de responsabilidade civil facultativos;

10. Roubo – As empresas privadas de segurança e as entidades promotoras de exposição de obras de arte são obrigadas a possuir seguro de roubo;

11. Vida – respeitante a danos por morte e invalidez permanente. Veja também: o que saber sobre seguro de vida.


Seguros realmente necessários

  • Seguro casa recheio, particularmente interessante para quem tem crianças;

  • Carro, sendo obrigatório o seguro de responsabilidade civil automóvel, pode ser importante alargar apólices como a de roubo, se tiver um carro de alta cilindrada, por exemplo;

  • Saúde, um seguro cada vez mais procurado, interessante para “fugir” às listas de espera do Serviço Nacional de Saúde (SNS) ou para determinadas coberturas (na gravidez, por exemplo);

  • Vida, aconselhável para pessoas que têm dependentes a seu cargo.


Veja também: