Surpreenda-se com os setores onde se ganha mais e menos em Portugal

Quer ande à procura de uma nova carreira profissional ou esteja a entrar no mercado de trabalho, conheça os setores onde se ganha mais e menos em Portugal.

Surpreenda-se com os setores onde se ganha mais e menos em Portugal
Alguns números podem surpreendê-lo!

No terceiro trimestre de 2016, o rendimento médio mensal líquido em Portugal rondava os 840 euros, dizem os números do Instituto Nacional de Estatística.

Mas há setores onde se ganha mais. Com base nos dados das Contas Nacionais Anuais (2011), divulgados pelo INE, a PORDATA mostra qual a remuneração média por trabalhador, por setor de atividade, nos últimos 20 anos.

Na hora de escolher uma carreira profissional ou de procurar uma nova oportunidade de emprego, estes dados podem ajudá-lo a decidir qual o caminho a seguir. Mas não se esqueça que não deve levar só em conta a remuneração, também tem que perceber quais as atividades de que mais gosta, para que tenha uma carreira profissional satisfatória e bem-sucedida.

Saiba quais os cinco setores onde se ganha mais e menos em Portugal.
 

A evolução das remunerações entre 1995 e 2014

A remuneração média por trabalhador foi aumentando ao longo de 20 anos, mostram os números trabalhados pela Pordata. Nesse valor está incluído o salário acordado e outras remunerações pagas pelo empregador tais como subsídios, ajudas de custo, horas extra, prémios, e outros bens e serviços como o fornecimento de automóvel da empresa ou de creche para os filhos dos empregados. 

Em 1995, a remuneração média anual dos trabalhadores era de 9.652,3 euros. Em 2014, o valor atingia quase o dobro - 18.007,6 euros – mostrando uma quebra em relação a 2013, quando a remuneração anual chegou aos 18.254 euros.
 


Os cinco setores onde se ganha mais em Portugal


1. Fabricação de coque e de produtos petrolíferos refinados 

70.731 euros anuais, cerca de 5.052 euros mensais

Este manteve-se, desde 1995, como um dos setores com maiores remunerações. Em 2010, atingiu o pico, com a remuneração média anual dos trabalhadores desta área a chegar aos 75.902,8 euros por ano.



2. Produção e distribuição de eletricidade, gás, vapor e ar frio

53.678 euros anuais, cerca de 3.834 euros mensais

As remunerações nesta área começaram a subir em 2008 e chegaram ao máximo de 56 mil euros por ano em 2010. Daí para cá têm baixado ligeiramente.



3. Atividades financeiras e de seguros 

44.324 euros anuais, cerca de 3.166 euros mensais

Apesar da tendência ser de queda, desde 2008, esta ainda é das áreas em que os trabalhadores têm melhores remunerações.
 


4. Telecomunicações 

38.438 euros anuais, cerca de 2.746 euros mensais

Em 2004, este era o setor melhor remunerado, com mais 52 mil euros anuais. Tem vindo a cair desde essa altura. Destaque para a descida acentuada entre 2013 e 2014 (último ano com valores conhecidos), dos 45.686 euros para os 38.438 euros.
 


5. Fabricação de produtos farmacêuticos

32.495 euros anuais, cerca de 2.321 euros mensais

As remunerações nesta área ultrapassaram os 35 mil euros anuais em 2010 e têm vindo a descer.

 

Os cinco setores onde se ganha menos em Portugal


1. Agricultura, silvicultura e pesca 

3.349 euros anuais, cerca de 239 euros mensais

Apesar de ter aumentado para mais do dobro da remuneração anual que oferecia em 1995, este continua a ser o setor de atividade menos atrativo em termos de rendimentos. Foi sempre, nesses 20 anos, a área com a menor remuneração média por trabalhador.
 


2. Indústria têxtil, do vestuário, do couro e dos produtos de couro 

10.950 euros anuais, cerca de 782 euros mensais

Em relação a 2009, registou uma subida de cerca de 1000 euros anuais.
 


3. Atividades administrativas e dos serviços de apoio 

11.724 euros anuais, cerca de 837 euros mensais

Em 2010, a remuneração média dos trabalhadores desta área era superior (mais de 12 mil euros anuais). Tem sofrido variações nos últimos anos.
 


4. Actividades das famílias empregadoras de pessoal doméstico/produção de bens e serviços pelas famílias

13.032 euros anuais, cerca de 931 euros mensais

Tem sofrido alterações nos últimos anos mas mantém-se acima dos 12 mil euros anuais desde 2009.
 


5. Atividades de apoio social

14.009 euros anuais, cerca de 1.001 euros mensais

Entre 2008 e 2010 os trabalhadores desta área viram a sua remuneração anual subir em cerca de mil euros, ficando a rondar os 14 mil euros desde essa altura.
 
Pode conhecer todos os dados em pormenor no site da Pordata.
 
Veja também: