Publicidade:

9 boas razões para visitar Sevilha em 2018

Conhece Sevilha? A capital da Andaluzia convida à descoberta da sua história, cultura e gastronomia, numa atmosfera que junta tradição e modernidade.

9 boas razões para visitar Sevilha em 2018
Uma cidade monumental que vale a pena conhecer

Esta não é a primeira cidade que nos vem à cabeça quando pensamos no país-vizinho, mas sabia que Sevilha é a quarta maior cidade espanhola? Capital da Andaluzia, a região de Espanha onde a herança árabe está mais presente, Sevilha é um lugar cheio de recantos para descobrir, para além das atrações intemporais, como o Real Alcázar ou La Giralda.

Com um património cultural, histórico e artístico impressionante, Sevilha não deixa de ser uma cidade moderna e com consciência ambiental, como se pode comprovar pela aposta recente nas ciclovias.

E o que dizer da gastronomia e das festas tradicionais sevilhanas? São tantas e tão boas as razões para ir até Sevilha, que o conceituado guia de viagens Lonely Planet a escolheu como cidade número 1 a visitar em 2018. Pronto para fazer as malas?

Sevilha: 9 motivos para se apaixonar por esta cidade vibrante


O passado árabe

O passado árabe em Sevilha

Os árabes ocuparam a Península Ibérica durante quase 800 anos e foi na Andaluzia que permaneceram mais tempo, tendo deixado marcas incríveis. Estas são visíveis a nível dos edifícios, do vocabulário, da gastronomia… Enfim, toda a cultura andaluz em geral, e a sevilhana em particular, estão imbuídas da influência mourisca.

E basta dar um passeio pelo centro da cidade para contactar com esta herança histórica. Destaque para três pontos de vista obrigatória: a Giralda, que no seu tempo chegou a ser a torre mais alta do mundo; a Catedral, que é o maior edifício gótico do mundo, construída sob uma antiga mesquita, e o Real Alcázar, um palácio épico com jardins luxuriantes.

Este trio monumental está classificado como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. Mas na sua visita a Sevilha irá encontrar muitos outros vestígios da época muçulmana, desde logo os típicos pátios interiores das casas andaluzes, que oferecem frescura nos dias mais quentes.

O clima

clima convidativo

E por falar em calor, o clima é outra das boas razões para visitar Sevilha, afinal este é um destino com cerca de 300 dias de sol por ano. Não é maravilhoso? O céu de um azul intenso e as temperaturas amenas convidam à boa vida. E se é verdade que no verão o termómetro pode chegar aos 40º, há sempre forma de se refrescar, seja nas fontes, nos pátios, com os típicos leques ou com uma cerveja sevilhana gelada.

O flamenco

Flamenco em Sevilha

Em Sevilha vai poder ouvir e ver dançar os mais genuínos artistas de flamenco. Este é um estilo musical que cruza elementos árabes, ciganos e judaicos, cuja origem se perde algures no século XVIII. Mas fuja dos espetáculos organizados para turistas e explore, antes, a zona de Las Tres Mil Vivendas, no bairro de Triana, onde é frequente “cantaores, bailadores y musicos” atuarem de forma espontânea na rua.

A Feira de Abril

Feria de Abril, Sevilha

A “Feria de Abril” é o grande acontecimento anual em Sevilha. Realiza-se desde 1846 e é uma excelente ocasião para visitar a cidade. Claro que esta vai estar cheia de gente e há mais confusão nas ruas, mas a atmosfera colorida e animada é única.

Em 2018, decorrerá de 15 a 21 de abril e, uma vez mais, as ruas encher-se-ão de mulheres a envergarem o famoso vestido de flamenco, também conhecido por traje de sevilhana. A origem destes vestidos prende-se com a comunidade cigana. As mulheres dos agricultores ciganos, para irem às feiras agrícolas da região, que se começaram a popularizar no século XIX, faziam vestidos a partir de tecidos usados e modestos, adornando-os com muitos folhos, para lhes dar um ar mais vistoso.

O epicentro da Feria é o ‘Recinto Ferial’, em Los Remedios, mas a animação, a música flamenca e as charretes puxadas a cavalo vão ouvir-se e ver-se um pouco por toda a cidade.

Dica: se visitar Sevilha por estes dias, use uma peça de roupa ou acessório alusivo à festa – nem que seja apenas um xaile ou um chapéu – para se sentir integrado.

Os bairros de Santa Cruz e da Triana

Bairro da Triana, Sevilha

Os melhores pontos para experienciar o modo de vida andaluz e sevilhano são os bairros mais pitorescos da cidade, desde logo Santa Cruz e Triana.

O primeiro é fruto de uma reorganização urbana levada a cabo no início do século XX, integrando monumentos importantes como o Hospital de los Venerables e a Igreja de Santa Maria la Blanca, para além de praças e ruas cheias de charme.

Triana, do outro lado do rio Guadalquivir, foi em tempos o bairro da comunidade cigana e apesar de ser transformado numa zona residencial mais exclusiva, soube manter a sua áurea de autenticidade. Aqui, é obrigatório contemplar a Ponte de Triana, bem como as casas de arquitetura tradicional, as igrejas e a antiga fábrica de cerâmica.

As obras de Velázquez e Murillo

Pintura barroca, Sevilha

Não é só de arte mourisca que vive Sevilha. Nesta cidade espanhola nasceram dois dos mais importantes nomes da pintura barroca: Diego Velázquez e Esteban Murillo. Ambos retrataram nas suas obras o ambiente culto e abastado de Sevilha no século XVII, sobretudo Murillo, que viveu e morreu na cidade andaluza.

Em 2017, comemoraram-se os 400 anos do nascimento de Murillo. Depois de uma original e grandiosa exposição em que se exibiram quadros de ambos os mestres, outras iniciativas ainda estão a decorrer. Obras destes e de outros importantes artistas, podem ser apreciadas no bonito Museu de Belas Artes de Sevilha.

O miradouro Setas de Sevilha

As Setas de Sevilha

Uma das provas de que a capital andaluza não ficou parada no tempo é a obra de arquitetura contemporânea conhecida como “Setas de Sevilha”. “Setas” significa “cogumelos” e ao ver a esta gigantesca estrutura de madeira – a maior do mundo neste material – percebe-se o porquê do nome.

Trata-se de uma obra do arquiteto alemão Jürgen Mayer, que venceu o concurso para reabilitação da Plaza de la Encarnación. A estrutura é composta por cinco plataformas a níveis de altura diferentes, albergando desde um museu a uma praça de restauração. O último nível oferece vistas estrondosas da cidade e do próprio edifício.

A gastronomia

Bar de tapas típico, Sevilha

Petiscar é uma atividade que lhe agrada? Então, em Sevilha vai sentir-se no paraíso. A arte do ‘tapeo’ é aqui exercida e cultivada de uma forma intensa. Podem encontrar-se os sabores tradicionais espanhóis, bem como especialidades andaluzas de comer e chorar por mais.

O bairro de Santa Cruz e o bairro da Triana são ótimos locais para encontrar bons restaurantes e bares de tapas, onde vai poder provar os típicos “pescaítos” (porções de peixe frito), o presunto de pata negra, salada russa, arroz de chouriço, bacalhau com tomate, espinafres com grão de bico e muito mais. Tudo acompanhado de cerveja sevilhana ou de um copo de manzanilla, o vinho branco da região.

Algumas sugestões de restaurantes e bares de tapas em Sevilha:

Os cenários cinematográficos

Real Alcázar, Sevilha

Por fim, nesta lista de bons motivos para rumar até Sevilha o quanto antes, falamos-lhe da fotogenia e do caráter cinematográfico da cidade. A sua monumentalidade, concretizada em palácios e jardins de rara beleza, tem atraído inúmeros produtores e realizadores de filmes e séries de TV.

Sabia que os cenários de Dorne, na 5ª temporada da série Guerra dos Tronos, são os jardins e as arcadas do Real Alcázar de Sevilha, uma obra surpreendente que data do século X? E que no episódio II da Saga Guerra das Estrelas, a grande praça do planeta Naboo é a Praça de Espanha? Mais uma divertida e curiosa razão para visitar Sevilha em 2018.

Veja também: