Sinais de trânsito: quais são e quais as consequências de não os respeitar

Os sinais de trânsito são uma dor de cabeça na hora de fazer o exame de código, mas podem ter consequências bem piores se não os conhecer e respeitar.

Sinais de trânsito: quais são e quais as consequências de não os respeitar
Descubra para que servem os diferentes tipos de sinais de trânsito

Os sinais de trânsito são uma forma eficaz de regular o tráfego, evitar acidentes e permitir uma circulação mais segura e fluída. Porém, após o exame de código, muitos esquecem-se dos diferentes tipos que existem e, mais importante, as consequências de não os cumprir.

Tipos de sinais de trânsito


São vários os tipos de sinais de trânsito. Apesar de uns serem mais cruciais e/ou vulgares no dia-a-dia, não se pode desvalorizar a importância de nenhum. Todos, à sua maneira, são úteis nos devidos momentos.

Sinais de Perigo

sinais perigoComo o próprio nome indica, servem para alertar o condutor para moderar a velocidade e estar atento a qualquer tipo de ameaças. Normalmente, são triangulares.

Sinais de Regulamentação

sinais regulamentacaoDestinam-se a transmitir obrigações, restrições ou proibições especiais, existindo quatro subtipos:

a) Sinais de cedência de passagem: informam os condutores da existência de um cruzamento, entroncamento, rotunda ou passagem estreita, onde é obrigatório seguir-se um determinado comportamento ou prestar especial atenção;

b) Sinais de proibição: impedem os condutores de seguir um caminho ou efetuar uma manobra específica;

c) Sinais de obrigação: obrigam o condutor a seguir um comportamento específico;

d) Sinais de prescrição específica: indicam certas regras a seguir para determinados veículos e numa zona especial.

Sinais de indicação

sinais indicacaoTodo o tipo de sinais de trânsito que transmitem informação ao condutor, podendo por isso ser:

a) Sinais de direção (ex: destinos de saída);

b) Sinais de informação (ex: todo o tipo de indicações úteis, como a próxima estação de serviço);

c) Sinais de pré-sinalização (ex: informam uma saída ou alertam para um sinal por vir);

d) Sinais de confirmação (ex: identificação da estrada);

e) Sinais de identificação de localidades;

f) Sinais complementares (ex: sinais que contêm informação complementar a outros sinais);

g) Painéis adicionais (ex: painéis que se usam para completar a informação dos sinais verticais; ainda assim, estão catalogados como sinais).

Sinalização de mensagem variável

Normalmente, observada nas auto-estradas, informam sobre as condições atuais de uma via. Podem conter sinais de trânsito, texto ou símbolos.

Sinalização turístico cultural

Sinais relativos a pontos turísticos, como castelos, também estão no lote de sinais de trânsito.

Consequências de não respeitar os sinais de trânsito


Na maior parte dos casos, não respeitar os sinais de trânsito traduz-se em contra-ordenações leves, que originam o pagamento de uma coima. Porém, nos seguintes casos esta torna-se grave ou mesmo muito grave:

1. Desrespeito pelos sinais de trânsito relativos a distância entre automóveis, cedência de passagem, mudança de direção ou via de trânsito, ultrapassagem e inversão de marcha são graves dentro e fora das localidades, com exceção das auto-estradas e vias equiparadas. Nesse caso, passam a ser muito graves.

2. Não parar em cruzamentos, entroncamentos e rotundas equipados com sinal de paragem obrigatória são contra-ordenações muito graves.

Nestes casos, se for uma contra-ordenação grave, ser-lhe-ão retirados dois pontos à sua carta de condução, sendo coibido de conduzir entre um mês e um ano. Se for muito grave serão quatro pontos e uma proibição de conduzir que poderá ir entre os dois meses e os dois anos.

Veja também:

Também lhe pode interessar: