Plano de Saúde Medicare

Gratuito durante 6 meses!

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt

Saber mais

Todos os sintomas de leucemia

As causas da leucemia ainda são desconhecidas, pelo que identificar precocemente os seus sintomas é a única arma para obter o diagnóstico e combater a doença.

Todos os sintomas de leucemia
90% dos casos diagnosticados em adultos

Dos tipos de cancro que afetam o sangue, não há dúvidas que o mais conhecido é a leucemia, que todos os anos faz mil novos casos em Portugal. São vários os tipos da doença, que pode ser classificada como crónica ou aguda. Esta forma de agrupar corresponde à velocidade com a qual a leucemia se desenvolve e apresenta os quadros de agravamento. Saiba mais sobre os tipos mais comuns e esteja atento aos sintomas de leucemia.
 

Leucemia crónica ou aguda?

A leucemia que é considerada crónica acontece quando células sanguíneas classificadas como anormais têm as suas funções desempenhadas em continuidade, podendo o doente não apresentar entretanto quaisquer sintomas. A leucemia crónica piora de forma gradativa e lenta e os seus sinais aparecem à medida que aumenta a quantidade de células tumorais.

No caso da leucemia aguda, o número de células anómalas cresce rapidamente e a os sintomas da doença apresentam-se mais cedo.

Para agrupar os tipos de leucemia também é tido em conta o tipo de glóbulos brancos afetados. A doença pode aparecer em células mieloides ou linfoides. A Leucemia Linfoide Aguda apresenta maior incidência na infância e juventude, enquanto que a Leucemia Mieloide Aguda é mais comum em adultos. 
 


Como atua a leucemia no organismo?

A leucemia atua primeiramente na medula óssea, que é o tecido mole encontrado dentro dos ossos e responsável pela produção de glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas. Este passo inicial da doença faz com que as células sanguíneas reproduzam-se descontroladamente e comprometam aquilo que é considerado a fabricação normal do sangue. Surgem então as anemias, a perda notória de peso, os sangramentos frequentes, as infeções e o cansaço sem motivo.
 


As causas da leucemia

Para os especialistas no assunto, esta não é uma condição hereditária. Os oncologistas afirmam que ela deriva de alterações genéticas adquiridas aos longo da vida. Como não há forma de prever as suas causas, os médicos defendem que o diagnóstico precoce é a chave para deter o avanço da leucemia. 
 


Tipos de leucemia

Veja os quatro tipos mais comuns de leucemia em Portugal:
  • Leucemia linfocítica crónica – Mais comum a partir dos 55 anos. Em grande parte das vezes, o doente não apresenta qualquer sintoma. 
  • Leucemia mieloide crónica – Este tipo afeta, sobretudo, os adultos.
  • Leucemia linfocítica aguda – Esta é a forma mais comum de leucemia em crianças.
  • Leucemia mieloide aguda – Este tipo não escolhe idade e pode afetar crianças e adultos em igual número. 
Relatórios anuais mostram que outros casos mais raros de leucemia são responsáveis por 5.200 novos casos da doença. 
 


Sintomas de leucemia

Assim como todas as células sanguíneas, as células anómalas responsáveis pelo aparecimento da leucemia percorrem todo o organismo. De acordo com o número de células tumorais, bem como dependendo do local onde as células se alojam, o doente em questão pode desenvolver variados sintomas. Regra geral, os sintomas mais comuns que alertam para a possibilidade de uma leucemia são:
  • Quadros de infeções frequentes
  • Suores noturnos 
  • Febre
  • Sensação de fraqueza 
  • Cansaço sem razão aparente
  • Dores de cabeça
  • Dor nos ossos e nas articulações
  • Perda de peso
  • Desconforto abdominal e inchaço, como consequência do aumento do baço
  • Facilidade para sangrar e fazer nódoas negras facilmente
  • Pintas vermelhas na pele
  • Gânglios do pescoço e das axilas inchados


Sintomas frequentes na leucemia aguda

  • Vómitos
  • Confusão mental
  • Convulsões
  • Perda do controlo muscular
  • Feridas nos olhos
  • Feridas na pele

Apesar de fazerem parte da lista de sintomas da leucemia, estes sinais nem sempre indicam a presença da doença, mas caso reúna alguns deles, o ideal será pedir aconselhamento médico especializado.

Veja também: