Sistema de alerta de ângulo morto: sabe o que é?

O sistema de ângulo morto, que foi inventado pela Volvo em 2004, avisa o condutor através de um sinal luminoso da presença de um carro ou de um peão.

Sistema de alerta de ângulo morto: sabe o que é?
Ajuda a evitar acidentes na estrada

Quem conduz, seguramente que tem noção do que significa ângulo morto. Para quem não sabe, o ângulo morto é aquela zona que não conseguimos visualizar quando vamos a conduzir e olhamos pelos espelhos retrovisores. Aliás, muitos acidentes ocorrem pelo facto dos condutores não conseguirem ver o outro carro quando vão a ultrapassar.

A Volvo, que é conhecida como uma das marcas que mais sistemas de segurança inventou, criou, em 2004, o sistema de alerta do ângulo morto, que, apesar de ser simples, é bastante útil e eficiente.

Sistema de ângulo morto

Hoje este sistema faz parte dos equipamentos presentes na maior parte dos automóveis, quer seja de marcas ‘premium’ (BMW, Mercedes, Audi, Jaguar ou outros) ou marcas generalistas (Ford, Peugeot, Renault, etc).

Esta tecnologia é muito útil principalmente porque alarga o campo de visão do condutor e evita acidentes tornando a condução mais seguro.

Car

Sistema de ângulo morto ou BLIS

BLIS é uma sigla que em inglês que significa Blind Spot Information System, ou seja, sistema de identificação de ângulos mortos. Mas tal como outros sistemas, o BLIS pode ter várias designações dependendo do fabricante.

No fundo este sistema veio solucionar um problema muito frequente dos veículos: o ângulo morto de todos os espelhos retrovisores. O ângulo morto calcula que em algum momento deixamos de ter visibilidade sobre outros automóveis ou motas que se encontram numa parte da traseira ou lateral do nosso carro.

Se no momento em que perdemos a visibilidade decidirmos mudar de faixa é muito provável que vamos chocar com outro veículo que, entretanto, aparece ao nosso lado. É nestas situação que BLIS entra em jogo.

 

Car

Como funciona?

Quem vai a conduzir um automóvel já lhe deve ter acontecido olhar para o retrovisor e não ver nenhum carro. Mas muitas vezes quando se muda de faixa levamos uma buzinadela pois, afinal, estava lá um carro. De forma a evitar que estas situações ocorram o sistema de ângulo morto está encarregado de detetar esses veículos e informar o condutor.

Dependendo da marca de automóvel, este sistema pode recorrer a câmaras, utilizar tecnologia de ultra-sons ou até radar que detecta qualquer presença nas áreas concretas em que o nosso retrovisor não nos permite ver. Em qualquer uma destas possibilidades, o sistema é capaz de detetar qualquer presença e, através de sons ou avisos luminosos, informar-nos automaticamente.

Quando um carro está a ultrapassar outro, o sistema de ângulo morto avisa o condutor através de uma pequena luz amarela presente no retrovisor exterior do lado em que o veículo se encontra. Após a ultrapassagem a luz desliga-se.

Quando o pisca-pisca está ligado, a avisar que o condutor vai mudar de faixa, o carro fornece avisos adicionais. A luz do retrovisor passa a piscar e o carro emite um sinal sonoro ou, em alguns automóveis, sente-se uma vibração do volante para chamar a atenção do condutor para o que está a acontecer.

BLIS ajuda a evitar acidentes

Atenção que este sistema não corrige a trajectória do veículo, porque é apenas um sistema de aviso. O que até parece suficiente, pois com o aviso luminoso ou acústico o condutor consegue aperceber-se de uma qualquer presença no ângulo morto ou áreas de visibilidade reduzida.

O BLIS ajuda a melhorar a segurança rodoviária quando há mais do que uma via ou mesmo em parques de estacionamento. O condutor fica mais sereno pois sabe o sistema de ângulo morto está a controlar esses pontos incómodos sem visibilidade a partir dos espelhos retrovisores.

O ângulo morto é uma das principais causas de acidentes, por exemplo, com camiões, pois os motoristas não conseguem ver os motociclistas, ciclistas e peões, nomeadamente, quando viram à direita.

Para reduzir o número de acidentes rodoviários, a legislação europeia exige atualmente que todos os camiões estejam equipados com espelhos retrovisores que anulam o ângulo morto e que dão aos condutores um maior campo de visão do que os espelhos convencionais.

Veja também: