Sobreendividamento: o que fazer

Muitas dívidas? Em sobreendividamento? Veja o que fazer e prepare um plano de ataque para recuperar a sua estabilidade financeira.

Sobreendividamento: o que fazer
Como atacar o sobreendividamento
  • Veja o que pode fazer para sair de situações de sobreendividamento

Muitos portugueses vivem, ou sobrevivem neste momento, em sobreendividamento, e o cenário repete-se um pouco por todo o mundo: estima-se que o acumulado das dívidas dos norte-americanos ascenda actualmente a mais de 650 biliões de dólares. Obviamente, os crescentes números de desempregados contribuem amplamente para este problema.

Mas não vale a pena alarmar-se. Em vez disso, mantenha a calma e comece a ponderar com sensatez e equilíbrio um plano de ataque para recuperar a sua situação financeira. A primeira coisa a fazer é determinar a gravidade do problema, a tendência de evolução e, claro, definir prioridades e urgências.

 

Duas regras de ouro para evitar o sobreendividamento

Para livrar-se das suas dívidas deve ter em mente duas regras básicas:

  • em primeiro lugar, nada de adiamento de prazos; deve iniciar o seu plano de ataque à dívida o mais rapidamente possível; 
  • em segundo lugar, não pode ser complacente com nenhum gasto, por mais pequeno que seja, principalmente se for uma despesa fixa ou recorrente.

 

Por onde começar?

Comece pelos cartões de crédito. Muitas pessoas têm o hábito de acumular vários cartões de crédito. O primeiro passo será parar de usar os cartões de crédito, que cobram taxas de juro mais altas. No imediato, destruí-los vai impedir que efectivamente os utilize, mas não é o suficiente: deverá alertar o seu banco que pretende cancelar os seus cartões de crédito.

 

Negoceie taxas de juro

Procure um banco que pratique taxas de juro inferiores às do seu banco actual. Em seguida, contacte o seu banco e comunique a sua intenção de transferir os seus créditos e mudar a sua conta para outra instituição financeira. O mais certo será conseguir reduzir a taxa de juro naquele mesmo momento, sem ter que efectuar a troca.

 


Veja também: