Publicidade:

Stress ocupacional: o que é e quais são suas consequências

O stress ocupacional pode ser desencadeado por diversos motivos e afeta negativamente trabalhadores e empregadores. Fique a saber mais.

Stress ocupacional: o que é e quais são suas consequências
Saiba identificar as causas

O stress ocupacional é já considerado um verdadeiro problema de saúde pública, segundo a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho (EU-OSHA). Este é o segundo problema de saúde reportado com mais frequência na Europa, logo a seguir às perturbações músculo-esqueléticas. A EU-OSHA revela que “cerca de metade dos trabalhadores europeus considera o stress uma situação comum no local de trabalho, que contribui para cerca de 50% dos dias de trabalho perdidos”.

Em Portugal, 59% dos trabalhadores referem que o stress no trabalho é comum e apontam como causas principais a reorganização do trabalho, a insegurança no vínculo laboral e as horas de trabalho ou carga de trabalho, bem como a falta de apoio por parte dos colegas ou superiores.

O que é o stress ocupacional?


É o stress relacionado com o emprego ou ocupação, que pode ser definido como um conjunto de reações emocionais, cognitivas, comportamentais e fisiológicas a aspetos adversos da organização e do ambiente de trabalho.

Nalguns casos, o stress ocupacional não tratado pode gerar o síndrome de Burnout, caracterizado pelo esgotamento físico e psíquico devido ao trabalho.

stress ocupacional

O que pode desencadear o stress ocupacional?

  • Excesso de trabalho
  • Exigências contraditórias e falta de clareza na definição das funções
  • Falta de participação na tomada de decisões que afetam o trabalhador
  • Falta de controlo sobre a forma como executa o trabalho
  • Má gestão de mudanças organizacionais
  • Insegurança laboral
  • Comunicação ineficaz
  • Falta de apoio da parte de chefias e colegas
  • Assédio psicológico ou sexual, violência de terceiros
  • Insatisfação com o trabalho
  • Atrasos no pagamento de salários
  • Falta de compromisso da empresa com a saúde e segurança
  • Salários inadequados
  • Falta de oportunidades de crescimento na empresa

Quais os sintomas e consequências do stress ocupacional?

Para os trabalhadores:

  • cansaço;
  • irritabilidade;
  • perturbações do sono;
  • hipertensão arterial;
  • dores de cabeça;
  • dificuldades de memórias e concentração;
  • perturbações gástricas;
  • tristeza;
  • baixo desempenho;
  • absentismo;
  • desmotivação;
  • isolamento social.

Para as empresas:

  • maior número de acidentes de trabalho;
  • menor rendimento e produtividade;
  • incumprimento de horários;
  • aumento da taxa de rotação de pessoal;
  • aumento da taxa de absentismo.

Como prevenir o stress ocupacional?

Os riscos psicossociais e o stress relacionado com o trabalho podem ser prevenidos e geridos da mesma forma lógica e sistemática que outros riscos de saúde e segurança no local de trabalho.

De acordo com a EU-OSHA , “a gestão do stress constitui não só uma obrigação moral e um bom investimento para as entidades empregadoras como também um imperativo legal estabelecido na Diretiva-Quadro 89/391/CEE, reforçado por acordos-quadro com os parceiros sociais sobre stress no trabalho e sobre assédio e violência no trabalho.”

Os princípios gerais de prevenção enumerados na diretiva são os seguintes:

  • evitar riscos;
  • avaliar os riscos;
  • combater os riscos na fonte;
  • adaptar o trabalho ao indivíduo;
  • adaptar-se ao progresso técnico;
  • substituir o perigoso pelo não ou o menos perigoso;
  • desenvolver uma política de prevenção global coerente;
  • priorizar medidas coletivas de proteção (sobre medidas de proteção individuais);
  • dar instruções adequadas aos trabalhadores.

Se pretende saber mais sobre stress ocupacional, a EU-OSHA disponibiliza na sua página um vasto conjunto de informações e instrumentos práticos para a identificação, prevenção e gestão dos riscos psicossociais e do stress relacionado com o trabalho.

Veja também: