AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Subsídio de Desemprego acabou – Quais as alternativas?

O subsídio de desemprego acabou ou está a acabar e não sabe o que fazer? Conheça quais as alternativas a que pode recorrer quando o subsidio de desemprego terminar.

Subsídio de Desemprego acabou – Quais as alternativas?
Perceba o que pode fazer quando o subsídio de desemprego terminar.

O aproximar do final do subsídio de desemprego adensa, ainda mais, as preocupações de quem está desempregado e não consegue encontrar forma de regressar ao mercado de trabalho. Assim que o subsídio de desemprego se esgotar o risco dos orçamentos familiares não chegarem para suprir todas as necessidades agrava-se sobremaneira. As alternativas para quem ficou sem este apoio social não são abundantes, mas existem. Conheça as alternativas para quem viu terminar o subsídio de desemprego.
 

Subsídio social de desemprego

Umas das alternativas, quando se esgota o prazo para receber o subsídio de desemprego, é aceder ao subsídio social de desemprego (inicial e subsequente). No entanto, existem condições a cumprir:
  • Para receber o subsídio social de desemprego inicial ou subsequente é necessário que o rendimento mensal do agregado familiar, por pessoa, não ultrapasse os 335,38 euros (80% do IAS – Indexante dos Apoios Sociais);
  • Além disso, deve requerer o subsídio social de desemprego no prazo de 90 dias após a data do desemprego (subsídio social de desemprego inicial) ou de ter deixado de receber o subsídio de desemprego (subsídio social de desemprego subsequente). Após os 90 dias, os dias correspondentes ao atraso serão descontados no período de concessão das prestações de desemprego.
 

Rendimento Social de Inserção

Outro apoio social a que pode recorrer quando terminar o subsídio de desemprego é o rendimento social de inserção. Todavia, também aqui as regras são apertadas e impossibilitam, muitas vezes, os desempregados de aceder a este apoio, concretamente:
  • Estar inscrito no centro de emprego;
  • Não possuir um património mobiliário (depósitos ou fundos de investimento, por exemplo) nem bens móveis (motas ou automóveis) no agregado familiar de valor superior a 25.153€.
 

Reforma antecipada

As antecipações da reforma estão canceladas, mas existem exceções e entre elas estão os desempregados de longa duração que esgotaram o prazo inicial do subsídio de desemprego ou o social de desemprego. Assim, pode ter aqui uma alternativa para quando terminar o subsídio de desemprego, isto se cumprir as condições (idade e data de entrada no desemprego) para que a reforma antecipada seja aceite. Eis as condições:
  • Tem de estar inscrito no centro de emprego há mais de 12 meses;
  • Ter 57 anos ou mais para poder solicitar a pensão antecipada.
 
No entanto, antes de decidir pedir a reforma antecipada deve estar consciente de que isso significará uma redução do valor da pensão. Essa diminuição depende de três factores: data em que pediu o subsídio de desemprego, idade e anos de descontos do requerente.
 

Procurar emprego no estrangeiro

Mesmo que não seja a opção mais desejada, se o subsídio de desemprego está a terminar e ainda não encontrou emprego então deve pensar na alternativa de emigrar. Existem inúmeros sites onde pode encontrar emprego no estrangeiro e/ou conselhos antes de emigrar.
 

Criar um negócio próprio

Se não pode recorrer a nenhum outro subsídio e emigrar não está nos seus planos então pode procurar criar o seu próprio emprego
 
Veja também: