Os SUV são seguros? Descubra mais sobre o carro da moda

Fomos descobrir se os SUV são seguros e perceber porque é que estes veículos têm conquistado uma maior visibilidade nos últimos tempos.

Os SUV são seguros? Descubra mais sobre o carro da moda
Considerados dos veículos mais seguros do mercado

Os Sport Utility Vehicle (SUV) estão na moda. Dinâmicos, com caráter desportivo e capazes de combinar elementos de um carro ligeiro com um todo o terreno, os SUV fazem parte do portfólio de praticamente todas as marcas de automóveis.

Mas nem sempre este tipo de veículo gozou de boa popularidade. Com prestações mais direcionadas para o uso em estrada de alcatrão do que fora dela, este tipo de carro tem gerado dúvidas sobre a segurança que proporciona. Vamos explicar porque os SUV são seguros e uma opção para grande parte das famílias portuguesas na hora de comprar carro.

Os primeiros SUV

Os primeiros modelos de SUV, crossover, offroad, compacto urbano, todo o terreno light – entre muitos nomes que podemos chamar-lhe – nasceram entre a década de 30 e 40, principalmente nos Estados Unidos. Não se sabe ao certo qual foi o primeiro SUV a surgir, mas alguns modelos como o Chevrolet Suburban Carryall, lançado em 1935, já tinham esta configuração.

A“febre” dos SUV parece ter chegado, em 2007, quando a Nissan lançou a primeira geração do Qashqai. A marca japonesa que até essa altura tinha uma história de sucesso nos automóveis convencionais, foi com o crossover Qashqai que reacendeu as vendas na Europa e alterou o seu ADN. A completar 10 anos, o Qashqai já recebeu 81 prémios e distinções, é líder no segmento e já vendeu mais de 3,3 milhões de unidades em todo o mundo.

Não há dúvida que o Qashqai criou uma nova espécie automóvel – o crossover compacto -, que muito rapidamente foi copiada por todas as outras marcas e se transformou numa moda global. Hoje é bastante frequente ver este tipo de veículo na Europa e, particularmente, em Portugal, onde têm quotas de mercado crescentes ano após ano.

Os SUV são seguros?

A resposta é: claro que sim. Hoje é possível adquirir um SUV que seja um dos carros mais seguros do mercado. A verdade é que a indústria automóvel tem interesse na venda de mais crossovers, pois são carros mais caros, e como tal tem investido na segurança, dotando-os de sistemas de segurança ativa e passiva que colmatem as deficiências dos SUV tradicionais. Apesar de serem maiores e mais pesados, as inovações como as câmaras de visão traseira ou o ESP, fazem deles modelos muito populares da indústria automóvel.

Em 2015, o carro mais seguro, segundo os testes da European New Car Assessment Programme (Euro NCAP), foi o Volvo XC90, um SUV com prestações quase perfeitas que se destacava pela nota de 100% em sistemas de assistência de segurança e 97% na segurança do ocupante adulto.

A mesma organização europeia destingiu o Volkswagen Tiguan como segundo carro mais seguro, em 2016, tendo registado notas de 96% na fiabilidade da proteção ao condutor, 84% para as crianças a bordo, 72% para os peões e 68% em termos de sistemas de assistência de segurança. No mesmo ano o Seat Ateca ficou em 5º lugar, conseguindo 93% de fiabilidade na segurança do condutor, 84% para as crianças, 71% para peões e ainda 60% nos sistemas de segurança.

 

O que melhorou nos SUV

Apesar dos esforços da indústria automóvel de tratar a sua imagem e de os apresentar como carros cada vez mais seguros, certo é que os SUV, por serem veículos de porte grande, implicam riscos que deve ter em conta se estiver a pensar comprar um. Descubra quais as caraterísticas que foram melhoradas para tornar os SUV mais seguros.

1. Desenho do chassis importa para a segurança

Originalmente, os SUV foram idealizados para tarefas exigentes e trabalhos intensivos nas áreas da construção, agricultura, entre outras, e não como um carro familiar. Por essa razão, foram desenvolvidos com um chassis de escada, típico das pick-up. Alguns estudos demonstraram que os modelos com base no desenho de pick-up, oferecem menos proteção aos ocupantes do que os modelos de construção unitária, em velocidades moderadas (cerca de 60km/h).

2. Mais altitude mas menor visibilidade em redor

Ao entrar neste tipo de automóvel vai notar as diferenças para um carro com as dimensões normais. A posição de condução do SUV é mais alta e parece que tem uma melhor visão da estrada. No entanto, dependendo do modelo, esta posição pode trazer alguns problemas quando precisar de ver os sinais de trânsito, semáforos ou os piscas de outros carros.

Além disso, quando ajusta a posição dos espelhos retrovisores, pode encontrar variados ângulos mortos na visão traseira e lateral, o que aumenta as possibilidades de dar um toque. A pensar neste problema, os fabricantes colocaram na maior parte dos modelos de SUV câmaras de visão traseira que permitem aumentar a visibilidade.

3. SUV ocupam mais espaço e diminuem margem de manobra

O SUV é um veículo mais largo e mais comprido do que o normal, logo ocupa mais espaço na estrada, em comparação com um carro convencional. Se habita em zonas urbanas, com tráfego denso e lugares escassos para estacionar, não se esqueça que o SUV não é provavelmente o carro que deve comprar. Quando se escolhe um SUV é importante que se perceba que não é um carro com as dimensões tradicionais. Para que a manobra de estacionamento seja mais fácil, já que o espaço da vaga é menor, os fabricantes de automóveis colocaram sensores de estacionamento.

4. SUV são seguros para os ocupantes, mas podem ser um perigo para os outros veículos

Não há dúvida de que os SUV são mais seguros para os seus ocupantes pelo facto de serem mais altos. No entanto, podem trazer um risco maior para os veículos menores, em caso de colisão, sobretudo em impactos laterais. Alguns modelos de SUV já demostraram a sua habilidade para subir o capot de determinados carros num acidente.

Os pontos mais rígidos do chassis do SUV são maiores que os de um utilitário convencional e também mais pesados, o que aumenta a força do impacto e multiplica os danos nos veículos de menor altura e peso. Em alguns países europeus foram proibidos um tipo de proteção do motor que alguns modelos utilizam nos Estados Unidos e na Austrália, para resguardar os carros em redor.

5. Centro de gravidade mais alto e de menor estabilidade

Quando conduzir um SUV vai notar que o centro de gravidade está mais elevado do que o de um utilitário comum, o que o torna mais apto a capotar se sair da estrada ou no caso de fazer algum movimento brusco. Para diminuir esta situação a maior parte dos SUV surgem equipados com sistemas de controlo eletrónico de estabilidade (ESP) e assistente de faixa de rodagem.

De acordo com estatísticas da Administração Nacional de Segurança Rodoviária nos Estados Unidos um automóvel normal tem uma possibilidade de 10% de capotar em caso de acidente, mas no cado do SUV os valores sobem entre os 14 e os 23%, dependendo do tipo de tração.

Veja também: