AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Tabelas salariais 2016: o que mudou

Tudo sobre as mudanças nos valores de retenção na fonte de IRS e como afetam as tabelas salariais 2016.

Tabelas salariais 2016: o que mudou
O que mudou

O corrente ano trouxe mudanças ao nível dos valores de retenção na fonte de IRS, afetando as tabelas salariais 2016. A partir de maio deste ano estão em vigor novas regras, fazendo-se os seus efeitos sentir no bolso de todos os portugueses.


Tudo sobre as tabelas salariais 2016

As tabelas de retenção na fonte de IRS são anualmente publicadas e aguardadas com alguma expecatativa, pois podem ter um impacto significativo naquilo que efetivamente os trabalhadores recebem no final de cada mês.

As tabelas salariais 2016 foram mais afetadas para quem tem filhos, uma vez que foram modificados os valores de retenção na fonte de IRS.



Quais as tendências observadas nas tabelas salariais 2016?

De um modo geral, o que se verifica é que quem tem filhos a seu cargo e aufira um vencimento médio ou alto terá cortes mais significativos no salário, enquanto os trabalhadores com filhos e salários mais baixos terão menos cortes salariais.



O que se entende por “salário baixo” e “salário alto” para este efeito?

As tabelas de retenção na fonte de IRS estipulam que os salários ditos “baixos” são os que são inferiores a 1053 euros. Os salários ditos “altos” são os superiores a 5815 euros.



Taxas aplicadas a um trabalhador dependente, casado, com dois filhos e salário bruto de 1000 euros

Este trabalhador terá passado, em Maio deste ano, de uma taxa de 5,2% para 4,2%, ou seja, a retenção na fonte é de 42 euros por mês, em vez dos anteriores 52 euros.



Taxas aplicadas a um trabalhador dependente, casado, com um filho e salário bruto de 6 000 euros?

Aqui também se registou um ajuste em um ponto percentual da taxa de retenção na fonte. Este trabalhador ficará sujeito a uma taxa de 36,3%, quando antes era de 35,3%. Efetuados os cálculos, passará a receber menos 60 euros por mês.



Quais as alterações aos escalões de IRS e que impacto têm sobre as tabelas salariais 2016?

Os escalões de IRS também sofreram modificações. Assim, os trabalhadores que se encontravam  no limiar inferior do seu escalão passaram para um patamar mais baixo, ficando sujeitos a uma taxa mais reduzida.

Por exemplo, um trabalhador casado com dois filhos e um salário bruto de 1126 euros pagava até abril deste ano, uma taxa de retenção na fonte de 12,7% - correspondente ao escalão entre 1 125 euros e 1 205 euros – mas após a reorganização dos escalões ocorrida em maio, passa a estar enquadrado no escalão inferior ao que tinha antes, entre 1 054 euros e 1 130 euros, ao qual corresponde uma taxa de retenção na fonte de 11,7%.

Veja também: