Plano de Saúde Medicare

Gratuito durante 6 meses!

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt

Saber mais

Vai fazer uma TAC? Explicamos tudo

A TAC - Tomografia Axial Computorizada - utiliza um equipamento de Raios X para obter dados de vários segmentos do corpo. Saiba todos os pormenores!

Vai fazer uma TAC? Explicamos tudo
Uma ferramenta de diagnóstico muito precisa!

Existem muitas situações em que o paciente se queixa de determinados sintomas e em que não existem resultados relevantes nos exames ditos mais “básicos”, como por exemplo uma ecografia ou mesmo um Raio X. Nestes casos, é necessário recorrer à TAC, uma técnica de imagem que utiliza a interacção entre a radiação ionizante (Raio X) e os tecidos de forma a obter imagens do corpo humano com grande definição anatómica.

Este sistema processa as imagens de vários segmentos do corpo (aquisições “de volume”) num computador para obter imagens de secções do corpo no plano transversal ou noutros planos,  visualizando-se o seu interior e exterior.

 

Como funciona

A TAC é particularmente útil em vários tipos de tecidos, podendo praticamente ser aplicado a todas as partes do corpo. O seu objetivo é diagnosticar doenças dos órgãos, designando-se como exame complementar de diagnóstico.

A TAC permite detetar tumores, hemorragias, fraturas do crânio, alterações de órgãos, entre outras.
As imagens obtidas pelos computadores são interpretadas por um médico radiologista especialmente treinado em Tomografia Axial Computorizada da área do corpo examinada. 

A TAC permite imagens mais nítidas e com mais pormenor do que o Raio X e é um exame complementar às ressonâncias magnéticas, que usam imagens em três planos do espaço e não utiliza radiações.

 

Tipos de TAC

Dos órgãos e aparelhos mais frequentemente observados em Tomografia Axial Computorizada, destacam-se o tórax (pulmões, mediastino), o abdómen (fígado, baço, pâncreas, rins, tubo digestivo), extremidades (membros, articulações), sistema venoso central (cérebro e espinal medula),  face e pescoço (laringe, boca, faringe, seios perinasais).

No entanto, aqui fica uma lista dos TAC possíveis de realizar:

  • Angio-TAC Abdominal
  • Angio-TAC Carotídeo
  • Angio-TAC Cerebral
  • TAC Abdómen
  • TAC Ângulo Ponto Cerebeloso
  • TAC Crânio
  • TAC Órbitas
  • TAC Ouvidos
  • TAC Pélvico
  • TAC Pescoço
  • TAC Renal
  • TAC Sela Turca
  • TAC Tórax
  • Uro-TAC
  • TAC Coluna Cervical
  • TAC Coluna Dorsal
  • TAC Coluna Lombo-Sagrada
  • TAC Coluna Sacro-Coccigea
  • TAC Charneira Crânio-Vertebral
  • TAC Seios Peri-Nasais
  • TAC Dental-Scan
  • TAC Articulações Têmporo-Mandibular
  • TAC Articulações Sacro-Iliacas
  • TAC Membros
 

Preparação

A preparação para a TAC é muito simples, pois na maioria dos casos não existe qualquer recomendação especial.

Em geral é solicitado que se retire os objetos metálicos que poderão interferir com as imagens (brincos, anéis e piercing’s).

Alguns tipos de TAC obrigam a uma preparação prévia específica. Existem situações em que é necessário o uso de contraste por via endovenosa. Isto requer que o utente tome apenas uma refeição ligeira, sem álcool, cafeína ou comidas "pesadas" ou abundantes. Em poucos casos é prescrito o jejum absoluto.

Além disso, para situações específicas de exames dirigidos ao abdómen, é pedido ao doente que ingira um produto de contraste por via oral (uma solução com sabor a groselha), que se destina à opacificação do estômago e intestinos.

Como em todos os exames que utilizam Raios X, existe contra-indicação em caso de gravidez.

 

Contraste endovenoso

O contraste endovenoso consiste num composto que contém iodo que serve para opacificar os vasos e mostrar a atividade e a vascularização dos tecidos normais ou doentes.

É utilizado numa pequena percentagem de exames e a decisão dessa utilização é da responsabilidade do médico radiologista, com o devido consentimento do paciente.

A injeção de contraste iodado provoca por vezes algum calor passageiro na garganta, que se estende ao resto do corpo, geralmente de pequena intensidade, mas na maioria dos casos não é sentida qualquer reação.

Em casos pouco frequentes pode conduzir a algumas reações alérgicas de pequena gravidade e em casos extremamente raros pode conduzir as reações alérgicas de gravidade.

Por este motivo, geralmente não é administrado contraste a doentes com condições cardíacas graves, insuficiência renal ou ainda a pessoas que tenham história de reações alérgicas significativas e/ou asma brônquica.

 

Realização da TAC 

O aparelho onde se realiza este exame tem a forma de um círculo aberto, onde se encontra o aparelho de Raios X e, do lado contrário, o detetor que capta a quantidade de radiação absorvida pelo tecido, e que transmite a informação ao computador.

À frente deste círculo existe uma maca onde a pessoa é deitada, deslizando ao longo do tomógrafo até fixar na zona a estudar, para aí ser emitida a radiação.

Durante o exame o utente não se pode mexer e é orientado pelos técnicos, através de um intercomunicador.

A duração depende da zona a estudar. O aparelho a funcionar emite ruídos normais ao funcionamento.

 

Preços

A TAC é um exame bastante dispendioso. No entanto, dependendo do subsistema de saúde ou seguro de saúde do utente, é possível realizar um exame deste tipo a partir dos 40€.

Veja também: