7 técnicas infalíveis para ser um aluno mais criativo

A criatividade é um dom especial? Não, afinal, o nosso cérebro é como um músculo e pode ser treinado. Descubra tudo o que precisa para ser um aluno mais criativo.

7 técnicas infalíveis para ser um aluno mais criativo
Conhece a história de Van Gogh?

Sabia que a sua criatividade pode ser treinada, tal como acontece com os seus músculos? Sim, é verdade. Esta característica não é um privilégio só de alguns, como uma espécie de dom. Pensar diferente, produzir de forma diferente e ver soluções diferentes é possível através de exercícios e passos simples. Se quer ter destaque na vida académica e profissional, fique atento a este artigo e veja as 7 técnicas infalíveis para ser um aluno mais criativo.

Acredita que todos os bebés já nascem com o dom da criatividade e que perdem esta característica ao longo da vida? Ou, por outro lado, acha que nem todas as pessoas são criativas? Essa dúvida não é só sua. Cientistas da Universidade de Harvard estudaram o assunto e concluíram que esta habilidade é, sobretudo, uma questão de treino. Na pesquisa, os especialistas revelaram que 85% da criatividade depende da aprendizagem e a aptidão natural é responsável apenas pelos 15% restantes.

Isso quer dizer que os grandes génios criativos tiverem de estudar muito para marcar a história com os seus trabalhos “fora da caixa”.  Van Gogh, por exemplo, teria nascido “15% talentoso”, no entanto, o que fez ecoar o seu nome na história da arte foi o contínuo e duro trabalho que realizou para estudar, treinar e exercer a sua capacidade criativa.

Sabe qual é a boa notícia que os cientistas de Harvard trouxeram para si? O facto de agora saber que pode desenvolver este potencial, ainda que não tenha um dom ou talento especial.

Afinal, porque deve treinar a sua criatividade?

A resposta é simples: porque há duas ótimas razões para querer ser criativo.

A primeira razão é que a criatividade é útil. No Brasil, um estudo realizado com 1500 presidentes de empresas concluiu que esta característica é colocada como o factor mais importante para o sucesso de um executivo. Esta pesquisa tem especial impacto quando o assunto é derrubar os grandes mitos sobre a criatividade – como, por exemplo, acreditar que só os profissionais de artes e comunicação devem ser criativos.

Agora sabe-se que médicos, executivos e engenheiros devem ser criativos para conseguirem encontrar soluções inovadoras, desperdiçarem menos recursos, produzirem mais e com melhores resultados.

A segunda razão é autotélica – e isto quer dizer que a própria finalidade de ser criativo é viver os prazeres e desafios da criatividade.  As pessoas consideradas como criativas investem tempo e dedicam-se a aprender mais – muitas vezes, sem qualquer objetivo definido -, enriquecendo o seu leque de conhecimentos e expandindo a capacidade de formular e combinar ideias, obtendo soluções diferentes para resolver os mais diversos tipo de problemas.

7 técnicas infalíveis para ser um aluno mais criativo

técnicas infalíveis para ser um aluno mais criativo

1. Está cansado? Coloque em prática a criatividade

Sim, leu bem. Deve explorar o seu cansaço para ser mais criativo. Pesquisas científicas mostraram que a hora em que há mais produtividade é a altura menos indicada para testar a criatividade. Se é uma pessoa matinal, por exemplo, a hora mais criativa do seu dia não será a manhã. É paradoxal, mas há uma explicação para isso.

Os cientistas concluíram que quanto mais focado está o nosso cérebro, há menos oportunidades para a criatividade. Por outro lado, quando ele está cansado e disperso é a altura em que nascem as desejadas ideias criativas. Isso acontece porque o cérebro acaba por ver mais alternativas, mais interpretações e mais soluções quando está menos focado e fora das suas horas mais produtivas – altura em que o pensamento é mais linear.

Quanto mais cansados e menos focados estamos, mais criativos podemos ser e mais livre estará o nosso cérebro para imaginar, romper limites e construir associações. Entendeu agora porque alguns grandes artistas criaram grandes obras durante períodos de insónias, cansaço extremo ou bebedeiras? Podemos concluir que a criatividade nada mais é do que a inteligência a divertir-se.

2. Consuma entretenimento de qualidade

Saia da rotina, desligue a televisão e mude de hábitos. Comece por dar espaço à novidade e conheça novos tipos de entretenimento. Experimente assistir a filmes antigos, ler os grandes clássicos da literatura ou ouvir um estilo de música que não seja habitual.

Aventure-se pela sua cidade, visite museus, bibliotecas e galerias de arte. Invista tempo para ter contacto com tudo aquilo que, mais tarde, vai oferecer a oportunidade de encontrar soluções criativas.

3. Questione tudo

questione

“Eu duvido, logo penso, logo existo”. A célebre frase do filósofo Descartes mostra que a curiosidade é um importante passo a dar para treinar a criatividade. Quer ser criativo? Faça mais perguntas criativas. Lembre-se: se aceita a realidade tal como ela é e não questionar o mundo à volta, não há como aumentar a sua criatividade.

4. Rabisque

Uma pesquisa concluiu que algumas das maiores e mais criativas mentes da humanidade, como a de Steve Jobs, gostavam de rabiscar durante o processo criativo. Rabiscar seria uma forma visual de pensar, de construir mapas mentais e ativar diferentes caminhos neurológicos.

5. Escreva pequenos contos

Esta é uma técnica reconhecida pelos especialistas: escrever textos de ficção estimula a criatividade através do próprio processo de criação das histórias. Na internet, já é possível encontrar centenas de grupos que lançam desafios que utilizam a escrita para criar mais soluções inovadoras.

6. Crie um ambiente estimulante

Google Büro Berlin 2012

Já ouviu falar nos escritórios e empresas do tipo “Google”? O ambiente é capaz de estimular a criatividade, por isso, aposte nos jogos, nas decorações coloridas, nas atividades recreativas.

Quando as empresas disponibilizam comida à vontade para os funcionários, promovem o ping-pong a seguir ao almoço ou marcam convívios fora do horário de trabalho, não o fazem porque são “boazinhas”. Numa economia capitalista, as empresas querem resultados e elas sabem que inúmeras pesquisas já apontaram que a criatividade está diretamente relacionada com o sucesso – por isso, é claro que elas apostam  nas ferramentas que estimulem esta competência.

Não se trata só do ambiente físico. As empresas também já entenderam que é preciso haver mais liberdade para expôr ideias, mais tempo para os projetos e mais distrações para “oxigenar” o cérebro e evitar a exaustão. Personalize a sua secretária com elementos que estimulem a sua criatividade – aposte, por exemplo, em livros motivacionais, imagens inspiradoras, frases e jogos.

7. Não tenha medo de errar

Para ser um aluno mais criativo, esqueça o medo de errar – ou, melhor, não permita que o receio interrompa a ação. Aceite a falha, o engano, a falta de talento em determinada área. As crianças não têm medo do julgamento alheio e são o maior exemplo de criatividade que podemos observar. Não há como ser criativo se não existir a liberdade da tentativa e a vontade de experimentar – independente dos resultados. Lembre-se: a inovação não acontece na zona de conforto.

Veja também: