Ter carro próprio custa um ordenado mínimo por mês

A conclusão é do estudo ‘LeasePlan CarCost Index’ 2016, que analisou custos com o carro, tais como o preço de compra, manutenção, seguros e impostos.

Ter carro próprio custa um ordenado mínimo por mês
Conduzir um carro em Portugal custa mensalmente entre 477 e 525 euros

Nem sempre é fácil contabilizar todos os custos mensais associados ao nosso carro. Para que possamos ter uma noção clara dos custos mensais, a empresa Leaseplan fez as contas por país e descobriu que a Noruega é o país mais caro para conduzir um automóvel a gasolina e a Hungria o mais barato. Portugal está a meio da tabela, numa comparação com mais 24 países europeus.

Segundo o estudo ‘LeasePlan CarCost Index’ 2016, um proprietário de um carro em Portugal pode gastar, em média, entre 477 euros para viaturas a gasóleo e 525 euros por mês para veículos a gasolina, ou seja, o gasto mensal com o carro equivale a quase um ordenado mínimo nacional (557 euros em 2017).

Em Portugal, cerca de 70% dos mais de 5 milhões de carros que circulam nas estradas portuguesas são movidos a gasóleo, segundo dados da Associação Automóvel de Portugal, e a idade média do parque automóvel de ligeiros de passageiros em Portugal é de 12 anos.

 

Noruega tem o custo mensal por carro mais caro da Europa

Por países, o custo médio mensal de propriedade do veículo pode variar até 344 euros, entre a Noruega, o país europeu mais caro, e a Hungria, o país mais barato analisado. Segundo o estudo, os três países mais caros para conduzir um veículo a gasolina são a Noruega (708 euros), a Itália (678 euros) e a Dinamarca (673 euros).

O ranking dos países mais caros para conduzir carros a gasóleo é liderado pela Holanda (695 euros), seguido da Finlândia (684 euros) e Noruega (681€). No entanto, é nos países da Europa de Leste, como na Hungria, República Checa e Roménia, que os custos de condução de um automóvel a gasolina e a gasóleo são menores (a partir de 369 euros por mês).

 

Depreciação e impostos encarecem custos

De acordo com o estudo os custos de depreciação do veículo (valor anual que um carro perde conforme o tempo passa) representam a maior despesa relacionada com a propriedade de automóveis na Europa (37%), seguido pelo Imposto Único de Circulação e IVA (20%). O que significa que os proprietários dos automóveis têm relativamente pouca influência sobre os custos.

Embora o preço do gasóleo seja mais barato que o preço da gasolina, constatou-se que em seis dos 24 países europeus em análise, fica mais caro conduzir um carro a diesel. Isto porque, além do combustível, existem outros factores, como impostos, seguros ou encargos de manutenção que são mais elevados e encarecem o maior custo total para os veículos a gasóleo em alguns países.

Para chegar a estas conclusões a LeasePlan, empresa holandesa de gestão de frotas e soluções de mobilidade, teve em atenção a ponderação do preço de compra, os custos de depreciação, as reparações e manutenção, os seguros e a gestão de sinistros, os impostos e as despesas de combustível. A lista tem ainda em linha de conta os primeiros três anos de custos operacionais e uma quilometragem anual de 20 mil quilómetros.

Ver também: