5 tipos de CEOs para quem não quer trabalhar

Há alguns tipos de empresas que acabam por “manchar” o ambiente de trabalho. Saiba quais são os tipo de CEOs para quem não quer trabalhar.

5 tipos de CEOs para quem não quer trabalhar
Afaste-se destes chefes

Quem nunca se deu conta de estar numa entrevista de emprego com o seu possível chefe e começar a “analisá-lo”? É comum que os candidatos também avaliem os seus prováveis chefes e decidam se, enquanto possíveis superiores hierárquicos, eles valem a pena – afinal, será com eles que vão conviver diariamente e de quem vão receber indicações.

No topo do quadro, temos os “donos” da empresa – os ditos CEOs – e com estes, à partida, não vamos contactar diretamente antes ser certo o vínculo de trabalho.  Mas, ainda assim, é possível ficar com uma ideia da empresa a partir da entrevista.

Sabia que, de acordo com um estudo recente da Glassdoor, existem funcionários que estão dispostos a abdicar de um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional para terem um CEO que seja motivador, inspirador e um bom líder?

Se não tiver o oportunidade de estar pessoalmente com responsável máximo da organização, conheça aqui – pelo menos – os 5 tipos de CEOs para quem não vai querer trabalhar. Na altura de escolher a empresa onde quer estar presente, certifique-se de passa longe deste tipo de chefia.

5 tipos de CEOs para quem não quer trabalhar

1. O eterno sonhador

Este é um dos tipos de CEOs que, apesar de conceber grandes ideias, não é tão bom a concretizá-las. A maioria das pessoas valoriza um líder que saiba guiar e ajudar a indicar o caminho. Este género não é um deles.

Exemplo deste tipo de CEOs? Bill Gates. Além de tudo, os funcionários sentem geralmente uma grande pressão para implementar as ditas ideias mirabolantes dos CEOs.

2. O condutor de comboio

Com este tipo de CEO, o caminho é sempre em frente e sem grandes desvios. Nestes casos, não existe grande lugar para a inovação e criatividade – e “pensar fora da caixa” não é bem vindo.

São geralmente empresas estáveis e robustas, mas que não conseguem dar o passo seguinte, para o crescimento, pela falta de elasticidade e abertura a novas ideias.

3. O artista

O produto e o marketing destas empresas pode ser fenomenal e verdadeiramente inspirador. Mas analisando os números e as contas… Acredite: podem muito bem estar no alerta vermelho.

Este é um dos tipos de CEOs que se mantém firme à sua ideia original e visionária e que, embora no exterior possa aparentar uma excelente forma, no interior pode precisar de grandes ajudas.

4. O sabe tudo

Sabemos que para chegar a uma posição de topo é necessário auto confiança e segurança naquilo que defendemos. Mas, daí a considerar cegamente que só as nossas opiniões são válidas e só os nossos conhecimentos devem ser tidos em conta… é outra história!

Este é um dos tipos de CEOs com quem não vai querer trabalhar. A razão é simples: eles são incapazes de ouvir os outros e considerar ideias que não as próprias.

5. O esquilo

O tipo de CEO esquilo é um tipo que vai ter grande dificuldade em acompanhar. Sempre a tratar de várias tarefas ao mesmo tempo, o esquilo é um tipo de pessoa com problemas de gestão de tempo, com dificuldade em delegar e, por isso, com imensas tarefas acumuladas e realizadas apenas “a meio gás”.

O que normalmente acontece é que o funcionário tem de acompanhar este ritmo, quase impossível de conseguir.

Preparado para conquistar a vaga de emprego, e certificar-se da melhor escolha? Desejamos-lhe boa sorte.

Veja também: