AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Trabalhar à comissão: vantagens e desvantagens

Deve ou não aceitar uma proposta para trabalhar à comissão? Conheça as vantagens e desvantagens deste sistema e decida você mesmo.

Trabalhar à comissão: vantagens e desvantagens
No mercado de trabalho atual é possível encontrar várias ofertas de emprego com pagamentos por comissão.

Responda a esta pergunta: trabalhar à comissão vale ou não a pena?

A remuneração salarial é sempre tema de grande discussão no meio profissional e percebe-se porquê, afinal todos trabalham em troca de um salário. E neste campo, são os trabalhos à comissão que mais discussão geram.

Existem no mercado várias ofertas de emprego – essencialmente na área comercial – com salários à comissão. Se está a considerar aceitar uma oferta de emprego para trabalhar à comissão é bom que esteja ciente que este tipo de emprego pode ter vantagens mas também tem várias desvantagens.
 

O que é significa trabalhar à comissão?

Dito de forma simples, quem trabalha a comissão recebe um salário com base no número de vendas que fez ou lucro que gerou para a entidade empregadora. Ou seja, um salário por comissão corresponde a uma percentagem do número de vendas feitas.  Basicamente, quanto mais vendas forem feitas, maior será o salário. E falamos de vendas porque esta prática é muito comum nesta área.

No âmbito dos pagamentos por comissão podem verificar-se duas modalidades: pagamento unicamente das comissões correspondentes às vendas realizadas ou a combinação de um salário-base acrescido das respetivas comissões.  

Para os empregadores esta é uma boa opção já que – na realidade – envolve pouco risco. Aqui as regras são simples: se o profissional produzir muito e bem, mantem o lugar e recebe mais; se não, o mais certo é não durar muito tempo nesse emprego.  Tem vantagens? Sim. Mas também tem as suas desvantagens.

 

As características do trabalho à comissão

Este tipo de trabalho define-se pela busca imediata de resultados (ou melhor dizendo, lucros para as empresas) e será essa luta desenfreada que irá definir o salário de cada profissional. Dito assim parece simples, mas há mais por detrás deste tipo de emprego. No fundo o trabalho à comissão carateriza-se por:

1. Recompensar os resultados de curto prazo;
2. Orientação para o “herói” individual, ou seja, o bom vendedor (aquele que consegue melhores resultados);
3. Os melhores vendedores são aqueles que têm maiores probabilidades de sucesso e de passar a integrar a equipa de vendas;
4. Os profissionais são vistos como embaixadores da marca/empresa;
5. A força de vendas é analisada com base nos resultados;
6. Os vendedores tornam-se quase “caçadores” de negócios;
7. É valorizada a iniciativa e arrojo.

 

Vantagens e desvantagens de trabalhar à comissão

Atenção: nem todos os profissionais estão “talhados” para trabalhar à comissão. É por isso que deve conhecer bem as vantagens e desvantagens deste tipo de trabalho antes de aceitar uma proposta de emprego.
 

As vantagens...

1. O pagamento por comissão muitas vezes funciona como um incentivo ou fator de motivação (o profissional ganha de acordo com o que produz e por isso investe mais tempo e energia para ganhar mais);
2. O vendedor passa a ser um microempresário (é “dono” de si mesmo e o seu salário depende do seu esforço);
3. É um sistema de fácil entendimento e medição (as partes envolvidas percebem os riscos e sabem as regras “do jogo”);
4. O pagamento de acordo com resultados ou com o volume de vendas (esta é uma vantagem essencialmente para as empresas);
5. Verifica-se uma maior flexibilidade entre ambas as partes (profissional e empregador);
6. Possibilidade de premiar e motivar os profissionais que conseguem melhores resultados.
 

As desvantagens…

1. Verificam-se valores de remuneração muito discrepantes dentro da mesma equipa, o que pode funcionar como um fator de desmotivação para certos profissionais;
2. Os vendedores focam-se essencialmente no número de vendas e não no lucro ou no retorno financeiro para a empresa;
3. Não se verifica uma lealdade forte à empresa por parte dos profissionais;
4. Há uma maior instabilidade laboral, já que a permanência no emprego depende das vendas conseguidas;
5. Verifica-se também uma forte instabilidade financeira (não há um salário fixo/definido. As coisas podem correr muito bem num mês e no mês seguinte serem um verdadeiro desastre);
6. O profissional procura resultados imediatos e tende a esquecer os resultados a longo prazo (como as relações com os clientes).

 

O veredito final

Não há um. Trabalhar à comissão pode ser interessante para uns e não o ser para outros. O que para uns são as vantagens deste modelo, para outros serão desvantagens. Se vale ou não a pena, a escolha é sua.


Veja também: