AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Trabalhar na Polónia: guia essencial

Viver e trabalhar na Polónia, país da Europa Central, o 9.º maior a nível europeu, pode revelar-se uma boa opção.

Trabalhar na Polónia: guia essencial
Emigrar e trabalhar na Polónia está no seu horizonte?

Membro da UE desde 2004, a Polónia tem um vasto património arquitectónico, nomeadamente os centros históricos de Varsóvia e Carcóvia, ambos Património Mundial da UNESCO.


Por que devo procurar emprego e trabalhar na Polónia?

O ranking de educação da OCDE, divulgado em Maio, coloca o país no 5.º lugar a nível europeu e no 11.º mundial. Já o Índice de Competitividade Global atribuiu a 43.ª posição, entre os 144 países avaliados. Números que demonstram bem o crescimento e a evolução da Polónia a todos os níveis, nos últimos anos. Factores que atraem cada vez mais emigrantes.

Bons motivos parecem não faltar para se mudar para a Europa Central. No entanto, antes de fazer as malas e aterrar em solo polaco, leia com atenção o nosso artigo. Queremos que tome uma decisão perfeitamente consciente da realidade que o aguarda. Para isso vamos apresentar-lhe algumas informações e dados adequados a quem quer trabalhar na Polónia.



Emprego

Foi o único país europeu que, desde a crise de 2008, não entrou em recessão. Uma realidade que beneficiou e muito a economia nacional. Destino preferencial para os investimentos de grandes multinacionais, tem assistido a um grande dinamismo económico.

Entre 2003 e 2013 registou um crescimento médio anual do PIB de 4%, bem acima do 1,1% da média da UE. Delphi, Google, HP, IBM, Intel, LG Electronics, Microsoft, Motorola, Siemens e Samsung foram alguns dos gigantes mundiais que escolheram o país para instalarem centros de pesquisa e investigação. O que contribuiu para um aumento nas ofertas de emprego neste sector. A necessidade de mão-de-obra altamente qualificada abriu as portas ao exterior.

Estamos a falar de um país que se tornou no maior centro de pesquisa e desenvolvimento da Europa Central. O Centro de Investigação e Formação Pré-Clínica (CePT), em Varsóvia, é um bom exemplo. Com 10.500m2, tem 45 laboratórios e assume-se como uma plataforma para a investigação interdisciplinar.

As tecnologias de informação, as engenharias, a informática e a indústria automóvel estão entre os sectores que mais recrutam. Também no campo da saúde se tem registado uma procura de profissionais. O crescimento do turismo nos últimos anos levou a um aumento das vagas em hotelaria e restauração.

polonia


Salários

409,53 euros é o valor do salário mínimo nacional polaco. Em 2014, o salário médio mensal ficou-se pelos 844 euros (cálculos com base em 12 meses). Lembramos que a moeda oficial é o zloti polaco (PLN) e que 1zloti corresponde a cerca de 0,2379 euros (dados do Banco de Portugal). Na altura de negociar o vencimento, deixe bem definida a questão.

As empresas e organizações internacionais praticam tabelas salariais próprias e, por norma, superiores à média nacional. Para que tenha uma noção da realidade polaca, informamos que em média um engenheiro civil aufere 1600 euros por mês enquanto um professor primário recebe 1100 euros. Um padeiro pode levar para casa mensalmente cerca de 1000 euros.



Custo de vida

Viver na Polónia é acessível, sobretudo quando comparado com outros países europeus. Numa ida ao supermercado prepare-se para pagar cerca de 72 cêntimos por um pão, 75 cêntimos por um litro de leite ou 48 cêntimos por um iogurte. Já um quilo de maçãs fica por 72 cêntimos e dois quilos de batatas custam 50 cêntimos.

Se for ao cinema, irá gastar entre 6 e 7 euros num bilhete, mas uma ida ao teatro pode custar entre 10 e 45 euros. Em termos de alojamento, as rendas na capital Varsóvia podem ultrapassar os 950 euros por um T2 bem localizado. Os gastos mensais com água, luz, gás e impostos locais variam entre os 75 e os 125 euros. Um passe mensal de transportes públicos custa 27 euros.



Segurança

A Polónia é um país seguro, no panorama geral. Os níveis de criminalidade são baixos e as pessoas sentem-se seguras nas ruas. Ainda assim, chamamos a atenção para a necessidade de manter os cuidados básicos de segurança, sobretudo, nos centros urbanos. Os locais mais turísticos e os transportes públicos merecem um especial cuidado.

polonia


Cuidados de saúde

É o Fundo Nacional e as suas delegações locais que organizam o regime de cuidados de saúde no âmbito do seguro de saúde (obrigatório ou voluntário). Através da celebração de contratos com prestadores de serviços, é disponibilizada uma rede de entidades. O fundo financia as prestações e garante o reembolso de medicamentos a partir do seu próprio orçamento.



Visto

Os cidadãos portugueses não necessitam de visto ou autorização para entrar e sair do país. Para estadias prolongadas, como é o caso dos profissionais que emigram para a Polónia, é necessário obter uma autorização temporária de residência. Esta é válida por um máximo de 2 anos, podendo depois ser renovada.



Língua

O polaco é a língua oficial do país. Ainda que não seja fácil a sua aprendizagem, deve fazer um esforço por dominar o básico para se integrar mais facilmente. Até há poucas décadas atrás, o russo era comumente aprendido como uma segunda língua, mas foi substituído pelo inglês e alemão, como segundas línguas mais comuns estudadas e faladas.

infografia

Veja também: