Vantagens e desvantagens das aplicações financeiras de curto prazo

O investimento no curto prazo é conhecido pelos baixos níveis de retorno. No entanto, o risco é baixo e torna este produto ideal para quem não quer perder o seu dinheiro.

Vantagens e desvantagens das aplicações financeiras de curto prazo
Conheça as potencialidades destes produtos e tome decisões informadas

Na hora de investir as poupanças que muito lhe custaram a amealhar é chamado a tomar a decisão entre a aplicação do seu dinheiro em produtos com diferentes horizontes temporais de investimento recomendado. Para efeitos de simplificação, podemos considerar 3 patamares:
 
  • Obrigações de Governos — de 1 a 3 anos;
  • Obrigações de empresas — 3 anos;
  • Ações — de 3 a 5 anos.
 
Sendo intervalos de tempo dilatados são meramente indicativos e pretendem aumentar a probabilidade de obter o retorno desejado no seu investimento.
 
O presente artigo irá focar a sua atenção nas aplicações para o curto prazo, considerando-se horizontes de tempo de 18 meses a dois anos. Concretamente, falaremos das vantagens e desvantagens do investimento neste tipo de produtos.
 

Vantagens dos produtos para o curto prazo?

Se necessita do seu dinheiro dentro de 1-2 anos deverá coloca-lo em produtos de aforro/investimento com baixo nível de risco. Neste contexto, destacam-se os depósitos a prazo, os certificados de aforro e os fundos de investimento de tesouraria ou liquidez. Do rol de vantagens, destacamos:
 
Menos risco — Quem investe em produtos para o curto prazo não está à procura de retorno mas antes pretende investimentos que assegurem que o seu capital está garantido e cujo valor não oscile muito. Procura evitar que quando precisa do seu dinheiro este esteja a perder dinheiro.
 
Maior flexibilidade — Sendo produtos de investimento para o curto prazo os seus donos têm uma maior flexibilidade na sua movimentação, uma vez que o risco que lhes está associado é reduzido. Pode acontecer que tenha de perder os juros acumulados dos seus depósitos mas pode liquidar os seus investimentos de forma mais imediata. Aliás, no caso dos fundos de investimento estes costumam poder ser movimentados num prazo de 1-2 dias.
 
Maior responsabilização dos gestores — Se estamos a falar de fundos de investimento, a maior flexibilidade/liquidez permite ao dono do fundo uma maior exigência junto dos gestores. Se estes não obtiverem bons níveis de retorno o cliente poderá sempre rumar a outras paragens!
 
TOME NOTA:
Os investimentos para o curto prazo têm uma boa relação risco retorno uma vez que tendem a ter um nível de risco muito baixo. São produtos ideais para investidores conservadores como os portugueses.

Desvantagens:

Como em todos os investimentos, não existem apenas vantagens. Deste modo, tenha consciência das seguintes desvantagens:
 
Menor retorno — Produtos com menos risco e cujo horizonte temporal seja reduzido têm de esperar níveis de retorno mais baixos. Nos dias que correm, estamos a falar de taxas que poderão ir apenas até 1.5% no melhor dos casos... não se pode ter tudo, no máximo de que "quem não arrisca... não petisca".
 
Maior tentação para consumo — Tendo o dinheiro disponível mais facilmente será mais tentado a movimentar a sua poupança para outros objetivos, como sendo o consumo. Tenha atenção que as suas poupanças de curto prazo deverão ser destinadas a fazer face a emergências ou a uma compra que já tinha programado anteriormente. Não deverão servir para gastar de forma indiscriminada ou consumista.
 
Mais impostos — No mundo dos investimentos apenas existe lugar ao pagamento de impostos quando se realiza uma mais-valia ou se recebe um rendimento. O problema dos produtos de investimento para o curto prazo é que esta mais-valia ou rendimento se realizam com maior frequência. Sabendo que o estado nos leva sempre 28% dos nossos lucros... quanto mais tarde pudermos pagar os impostos, melhor.
 
Conheceu as vantagens e as desvantagens dos produtos de investimento para o curto prazo. Como em qualquer situação, existem duas faces da mesma moeda que importa ponderar. Nunca se esqueça, contudo, que deverá diversificar o seu risco e investir de acordo com o seu horizonte temporal de investimento.


Veja também: