Varicela na gravidez: prevenção e riscos

Saiba como prevenir e tratar a varicela na gravidez.

Varicela na gravidez: prevenção e riscos
Que cuidados deve ter na gravidez, com a varicela, se ainda não a teve?

Normalmente, esta questão da varicela na gravidez, não é muito relevante em Portugal porque é muito comum todos termos contacto com o vírus na infância. Contudo, se não teve este contacto ou está na dúvida se teve, deve falar nesta situação na consulta pré-concecional. Normalmente é feito um estudo através do sangue, doseando os anticorpos específicos contra a varicela. 

Se o teste sanguíneo indicar que não possuiu imunidade, aconselha-se a toma da vacina contra a varicela uns meses antes de engravidar. Em Portugal está disponível esta vacina mas não está integrada no Plano Nacional de Vacinação.

Se já está grávida não a deve tomar porque é uma vacina viva.
 

Está grávida e teve contacto com alguém com varicela: o que fazer?

Se teve varicela no passado não precisa de se preocupar, está tudo bem, porque os anticorpos protetores que desenvolveu na altura protegem-na a si e ao feto contra uma nova infeção.

No caso de a grávida não estar imune (os anticorpos são negativos), estará indicada a administração de imunoglobulinas específicas contra o vírus o mais rapidamente possível, até 96 horas após a exposição

A medicação com antivirais, que deve ser iniciada logo no primeiro dia da erupção, será uma alternativa menos eficaz, mas segura (em termos de efeitos secundários) tanto para a mãe como para o feto. 

Esta medicação justifica-se pois a varicela na gravidez tem sempre um risco aumentado de doença grave durante toda a gravidez, em especial de pneumonia primária da varicela (PPV). A redução da imunidade, própria da gravidez, em especial durante o 3º trimestre (o período mais crítico para a mãe) contribui para este risco.

 

Varicela na gravidez: riscos para o feto na primeira metade da gravidez

A infeção nas primeiras 20 semanas de gestação poder-se-á complicar e gerar aborto espontâneo, morte fetal ou síndrome da varicela congénita (SVC), sendo este último mais frequente se a infeção ocorrer entre as 13 e as 20 semanas de gestação.

 

Varicela na gravidez: riscos para o feto na segunda metade da gravidez

Entre as 20 semanas gestação e as 3 últimas semanas antes do parto, a ocorrência de varicela coloca problemas quase em exclusivo à mãe. Neste período, a produção de anticorpos protetores pela mãe e a sua transferência através da placenta, protegerão o feto de potenciais complicações da infeção.
 


Varicela na gravidez: riscos para o feto 3 semanas a 5 dias antes do parto

Neste período, o bebé contrairá a infeção in útero e irá permanecer algum tempo ainda em ambiente uterino. Embora com espaços temporais apertados, existirá ainda tempo suficiente para a produção de anticorpos pela mãe e para a sua transferência ao feto. Em regra estas infeções no bebé evoluirão com quadros clínicos benignos. 

Veja também:

Raquel Pacheco Neves Raquel Pacheco Neves

Farmacêutica, Raquel Pacheco Neves é especialista na prevenção e no tratamento das mais variadas patologias, no que à farmacologia diz respeito. Com uma paixão especial pela puericultura, a promoção da saúde tem sido, desde sempre, o seu principal objectivo profissional.
O seu mais recente projeto é o portal Bébéu.